Fase amarela em SP: veja o que pode ou não funcionar

O estado de São Paulo passou por uma nova reclassificação nesta sexta-feira (05/02). A fase amarela e laranja passaram a predominar em SP. Entenda o que vai mudar a partir de sábado (06/02).

O Plano São Paulo passou por novas alterações nesta sexta-feira, 5 de fevereiro. Segundo o anúncio feito pelo governador João Doria (PSDB), dez regiões do estado de SP vão avançar para a fase amarela e laranja a partir de sábado, 6 de fevereiro. A reclassificação aconteceu após uma melhora nos índices de controle da pandemia, segundo o governo.

Fase amarela em SP

A Grande São Paulo passou por grandes mudanças nas últimas semanas. No final de janeiro a região estava na fase mais restrita, a fase vermelha, em que apenas serviços essenciais é permitido. Após manifestações e pressões de comerciantes, o governo recuou e reclassificou a capital para a fase laranja. Agora, a partir , a região passa para a fase amarela.

O que pode abrir na fase amarela?

Imagem mostra shopping
Foto/Reprodução

A fase amarela permite 40% de ocupação de todos os setores comerciais, entre eles academias, salões de beleza, cinemas, teatros, bares e restaurantes, entre outros. No entanto, o atendimento presencial deve ser encerrado às 22h, com exceção dos bares, que fecham mais cedo, às 20h.

Quais regiões que entram na Fase Amarela em SP?

  • Grande São Paulo
  • Araçatuba
  • Baixada Santista
  • Campinas
  • Presidente Prudente
  • Fase laranja
Leia também

Postos de vacinação abertos em SP: confira os locais

Confira os pontos de vacinação contra COVID-19 em SP

- PUBLICIDADE -

Regiões passam para a Fase Laranja

As regiões que antes estavam na fase vermelha, também foram reclassificadas com o novo Plano São Paulo. A fase laranja passa a valer já neste sábado (06/02). Confira as regiões:

  • Barretos
  • Marília
  • Ribeirão Preto
  • Taubaté

O que pode abrir na fase laranja?

  • Shoppings e galerias: ocupação máxima de 40% da capacidade local, inclusive nas praças de alimentação;
  • Comércio e serviços:  ocupação máxima de 40% da capacidade local, inclusive nas praças de alimentação;
  • Bares: sem atendimento presencial, com capacidade reduzida até 20h;
  • Restaurantes: podem abrir com capacidade reduzida até 20h;
  • Salões de beleza e barbearias: ocupação máxima de 40% da capacidade local por 8 horas;
  • Academias de esporte e centros de ginástica: ocupação máxima de 40% da capacidade local por 8 horas.

Melhora nos índices

Segundo o governo de SP informou nesta quinta-feira (05/02), houve uma queda no número de internações hospitalares pela terceira semana consecutiva. Os dados epidemiológicos mostraram que a média estadual passou de 347,8 para 343,7 novos casos por 100 mil habitantes. A taxa de novas internações foi de 51,9 para 48,3 a cada 100 mil habitantes, e as mortes ficaram praticamente estáveis, em 7,0 por 100 mil habitantes.

O que é o Plano SP?

- PUBLICIDADE -

O chamado “Plano São Paulo” foi elaborado em maio de 2020 com o intuito de frear a contaminação da população com o novo coronavírus. Ele determina as regras da quarentena no estado. É por meio do plano que o governo determina quais setores vão poder funcionar e de que maneira, como horário de funcionamento ou capacidade máxima.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes