Quem é Rodrigo Garcia, novo governador de São Paulo em 2022

João Doria anunciou que vai deixar o cargo de governador do estado de São Paulo

Na quinta-feira, dia 31 de março, João Doria anunciou que vai deixar o cargo de governador do estado de São Paulo. Em pronunciamento no Palácio dos Bandeirantes, o tucano afirmou que manterá sua pré-candidatura à Presidência da República pelo PSDB. Dessa forma, quem deve assumir o cargo é seu vice. Saiba quem é Rodrigo Garcia, novo governador de São Paulo.

Conheça Rodrigo Garcia, novo governador de São Paulo

Novo governador de São Paulo, Rodrigo Garcia tem 47 anos de idade e nasceu na cidade de Tanabi, no interior de SP. Advogado e empresário, ele foi eleito como deputado pela primeira vez em 1998, permanecendo no cargo estadual por três mandatos, e também assumiu a presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo, entre os anos de 2005 e 2007. Em 2011, elegeu-se deputado federal, em que foi líder da bancada dos Democratas, ficando no cargo até 2018. No governo do estado de São Paulo, já foi secretário nas pastas de Habitação, Desenvolvimento Econômico e de Desenvolvimento Social. 

Quando ainda era deputado, o político foi alvo de suspeita de ter recebido R$200 mil da Odebrecht por meio de caixa 2. A alegação era que o dinheiro teria sido direcionado para financiar sua campanha eleitoral de 2010. Mas, em 2018, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu arquivar o inquérito aberto para a investigação, por 4 votos a 1. 

Nas eleições de 2018, Rodrigo Garcia foi eleito como vice-governador na chapa de João Doria. Também assumiu durante a gestão o cargo de secretário do governo, e foi responsável por coordenar projetos, obras e serviços de grande impacto. Ele liderou a articulação estratégica no desenvolvimento das políticas públicas estaduais como, por exemplo, o Orçamento do Estado. Em 2021, deixou o Democratas para filiar-se ao PSDB, já com a pretensão de suceder seu aliado no cargo de governador. 

Por que Rodrigo Garcia assumiu o lugar do Doria?

Encerrando o mês de março, João Doria anunciou estar deixando o cargo de governador do Estado de São Paulo, em pronunciamento no Palácio dos Bandeirantes. O movimento deve-se à intenção do tucano em ser pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB nas eleições de 2022. 

Segundo o artigo 14 da Constituição Federal, os chefes do Poder Executivo (prefeitos, governadores e presidente) devem se afastar definitivamente da posição até seis meses antes do pleito para concorrer a um cargo diferente daquele que ocupam. Dessa forma, com o primeiro turno das eleições marcado para o dia 2 outubro, Doria teria até o início do mês de abril para deixar o posto de governador de São Paulo, que passa a ser ocupado pelo seu vice, Rodrigo Garcia. 

João Doria renuncia após permanecer no governo por três anos e três meses, empossado no dia 1 de janeiro de 2019. Anteriormente, havia feito o mesmo como foi prefeito da capital paulista, em que elegeu-se em 2016 e renunciou ao cargo em 2018 para concorrer ao governo do estado, passando o posto para o vice-prefeito da época, Bruno Covas. 

Agora, Rodrigo Garcia assume como governador de São Paulo, onde deve permanecer até o encerramento do mandato, dia 31 de dezembro de 2022. No entanto, o político mantém sua intenção de concorrer ao cargo pelo PSDB nas eleições deste ano, ou seja, vai ter a chance de somar pelo menos mais 4 anos como chefe do Executivo em SP. 

Leia mais: 

Conheça 7 pré-candidatos ao governo de São Paulo em 2022

Conheça 11 pré-candidatos à Presidência em 2022

Você pode gostar também