Como conseguir o Auxílio Brasil e receber a partir de R$ 400

Auxílio Brasil é o novo benefício do Governo Federal que entrou no lugar do Bolsa Família

Como conseguir o Auxílio Brasil tem sido o questionamento de muitos brasileiros desde que o Governo Federal mudou o nome a as regras para a concessão do benefício que anteriormente se chamava “Bolsa Família“.

Depois de 18 anos de programa assistencial para ajudar famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, o Bolsa Família deu lugar ao Auxílio Brasil, mas a mudança não foi só de nome como também de critérios e valores.

Mas afinal, o que muda com o Auxílio Brasil e como conseguir o benefício? Preparamos um passo a passo para você tirar todas as dúvidas acerca do programa de auxílio do Governo Federal.


O que é o Auxílio Brasil?

Como conseguir o auxílio brasil
Foto: reprodução/agência brasil

O Auxílio Brasil é o novo programa do Governo Federal que substitui o Bolsa Família. Gerenciado pelo Ministério da Cidadania, que repassa o dinheiro através da Caixa, o Auxílio Brasil contempla pessoas selecionadas dentro dos critérios de pobreza e de extrema pobreza.

A ideia é que o Auxílio Brasil possa ajudar estas famílias a superarem a situação de vulnerabilidade social. Dentro do Auxílio Brasil ainda estão integradas diferentes políticas públicas de assistência, com outros benefícios que englobam saúde, educação, emprego, além de renda.

+ Auxílio Desemprego 2022: quem tem direito ao benefício?


Como conseguir o Auxílio Brasil?

Para conseguir o Auxílio Brasil, primeiro você precisa se encaixar em uma das faixas de renda já definidas pelo Governo Federal.

O segundo passo é se cadastrar junto ao órgão de assistência social da sua região para fazer parte do CadÚnico (Cadastro Único) que serve de base para todos os programas sociais do Governo Federal.

Se você já é cadastrado no CadÚnico, é preciso atualizar os dados.

Após o cadastro, o interessado em conseguir o Auxílio Brasil precisa passar pela seleção do programa, que é feita pelo Ministério da Cidadania, do Governo Federal.

Semelhante ao Bolsa Família e também ao Auxílio Emergencial, para conseguir o Auxílio Brasil, o programa leva em consideração os dados inseridos no CadÚnico como: composição familiar, ou seja, quantas pessoas fazem parte da sua família e idade delas, bem como a renda de cada um.

Por fim, vem o pagamento, que é realizado pelo Governo Federal através da Caixa Econômica. São pagas parcelas mensais, conforme calendário de pagamento a ser definido pelo número final do NIS (Número de Identificação Social).


Quem tem direito ao Auxílio Brasil?

Para conseguir o Auxílio Brasil é preciso que a família esteja dentro das seguintes situações: pobreza ou extrema pobreza, e que seja composta por gestantes, lactantes, crianças, adolescentes ou jovens dentro da faixa etária de recém-nascido até 21 anos incompletos.

Entenda que família em situação de extrema pobreza é aquela que tem renda familiar mensal per capita de até R$ 105,00. Já as famílias em situação de pobreza precisam receber mensalmente per capita o valor entre R$ 105,01 até R$ 210,00.

Além de ter direito ao Auxílio Brasil, as famílias precisam cumprir algumas medidas de manutenção do benefício, sendo elas:

  • No caso de gestantes, é preciso fazer todo o pré-natal certinho;
  • As crianças devem seguir o calendário nacional de vacinação do Ministério da Saúde;
  • Os pequenos também precisam acompanhar o estado nutricional pelo SUS;
  • As famílias precisam ter os filhos matriculados e obter frequência escolar mínima que é definida pelo
    regulamento.

Como se cadastrar -Como conseguir o Auxílio Brasil?

Para conseguir o Auxílio Brasil as famílias precisam fazer parte do CadÚnico, o mesmo cadastro do Bolsa Família e que também foi utilizado para dizer quem tinha ou não direito ao Auxílio Emergencial durante a pandemia.

É importante ressaltar que quem já recebia o Bolsa Família está elegível, ou seja, foi considerado apto a receber o Auxílio Brasil automaticamente.

Mas, se você não recebia o Bolsa Família e quer tentar pode se cadastrar no CadÚnico. Uma vez cadastrado, você é direcionado a uma lista de reserva que conforme análise do Ministério da Cidadania, pode vir a receber ou não o Auxílio Brasil.

Para se inscrever no CadÚnico, basta seguir estes passos:

O Cadastro Único é a principal base de dados do Governo Federal para a implementação de benefícios e auxílios dentro de políticas públicas assistenciais. Para se inscrever, o candidato pode fazer o pré-cadastro via internet e depois precisa, obrigatoriamente, ir até um polo de assistência social, que pode ser o Cras, ligado à secretaria do seu município.

1 – Fazer pré-cadastro: Isso mesmo, caso você ainda não seja inscrito no CadÚnico, você pode fazer o pré-cadastro pelo aplicativo Cadastro Único no seu celular ou pelo site do CadÚnico. Mas atenção, esta é uma etapa opcional. Quem preferir pode ir diretamente ao Cras.
2- No pré-cadastro você coloca toda documentação necessária e ainda seleciona qual é o Cras mais próximo de você. Importante frisar que feito o pré-cadastro, ele só terá validade após a ida da pessoa até o Centro de Assistência Social dentro do prazo de 120 dias.
3 – Após o pré-cadastro, você deve ir até um posto para apresentar pessoalmente toda a documentação necessária. Quem for até o Cras, o chamado “responsável familiar”, precisa ter pelo menos 16 anos de idade e CPF. Esta pessoa poderá cadastrar toda a família, desde que leve os seguintes documentos:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade – RG;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) – somente se a pessoa for indígena.

Depois de feito o cadastro, o candidato ao benefício vai passar por uma entrevista feita com assistente social para registrar a realidade familiar, por exemplo: onde moram, com quem, quais são as despesas mensais, se há alguma pessoa com deficiência, onde cada um da família trabalha, nível de escolaridade, entre outras questões.

Tudo isso serve para analisar o contexto social e econômico do futuro beneficiário. Depois do cadastro e da entrevista, o responsável vai fazer o NIS (Número de Identificação Social) daquela família. É através deste dado que você vai saber quando será pago o benefício seguindo o calendário do Ministério da Cidadania.

Como saber se eu estou inscrito no CadÚnico – Como conseguir o Auxílio Brasil?

Para saber se você está inscrito no Cadastro Único do Governo Federal basta acessar o aplicativo “Meu CadÚnico” ou então acessar o site: cadunico.cidadania.gov.br. Importante ressaltar que não é porque o cidadão está inscrito que vai, automaticamente, receber algum, benefício.

Para receber o Auxílio Brasil, a pessoa inscrita no CadÚnico precisa entrar dentro dos critérios do programa – fazer parte de uma família em situação de pobreza ou extrema pobreza – o que significa receber per capita o valor mensal de R$ 105,00 até R$ 210,00 como já explicado acima.

A lista de beneficiários já está fechada, no entanto, o Ministério da Cidadania informa que faz o levantamento de dados junto ao CadÚnico mensalmente e novas famílias podem ser contempladas.

Como faço para saber se posso receber o Auxílio Brasil?

Você pode consultar pelo telefone 121, a central do Ministério da Cidadania, ou direto pela Central de Atendimento da Caixa, no 111.

Os aplicativos, tanto o próprio Auxílio Brasil como o da Caixa Tem trazem as informações sobre benefício, saldo e pagamento de parcelas.

Qual é o valor do Auxílio Brasil – Como conseguir o Auxílio Brasil?

Para saber quanto você pode receber mensalmente pelo Auxílio Brasil é preciso compreender os tipos de benefícios em qual você pode ser enquadrado.

Entenda abaixo:

Primeira Infância: Este benefício é destinado às famílias que tenham crianças com idade entre 0 e 36 meses incompletos, ou seja, de recém-nascidos até 2 anos, 11 meses e 29 dias. Para esta composição familiar o Auxílio Brasil será pago no valor de R$ 130,00 por integrante da família que se enquadre nesse benefício.

Composição Familiar: Já para se enquadrar a este benefício, as famílias devem ter na sua composição gestantes ou pessoas entre 3 anos e 21 anos incompletos. Para estes beneficiários será pago o valor de R$ 65,00 por integrante.

Superação da Extrema Pobreza: Segundo o Governo Federal, o valor calculado é de forma que a renda per capita da família, após o recebimento do Benefício de Primeira Infância, supere o valor da linha de extrema pobreza, fixada em R$ 105,00 mensais por pessoa. Por exemplo, se a família recebe o Benefício de Primeira Infância e ou o Benefício de Composição Familiar, esses valores serão acrescentados à renda familiar quando calculado o valor do Benefício de Superação da Extrema Pobreza. O valor mínimo pago a cada integrante da família é de R$ 25,00.

Benefício Compensatório de Transição: Este benefício é concedido para famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família que tiverem redução no valor que recebiam depois da migração do Bolsa Família para o Auxílio Brasil.

Você pode gostar também