Beneficiários do INSS não receberão 13º salário em dezembro

A parcela extra do 13º salário do INSS foi antecipada para o primeiro semestre de 2020. Aposentados e pensionistas não terão abono natalino.

Aposentados e pensionistas do INSS não devem receber o 13º salário em dezembro. Isso porque o benefício pago em duas parcelas tiveram antecipação de pagamentos por causa da pandemia de covid-19. Logo, não terão a parcela extra para as compras de fim de ano.

O 13º salário do INSS,  que normalmente tem é pago no segundo semestre, foi antecipado para abril e maio de 2020. Portanto, o pagamento da primeira parcela, geralmente entre agosto e setembro, aconteceu entre 24 de abril e 8 de maio. Já a segunda parcela, de 25 de maio a 5 de junho. Antes da pandemia, o benefício tem recebimento em novembro e dezembro.

Sendo assim, a antecipação foi prevista da Medida Provisória (MP) nº 927, com parte das políticas emergenciais para conter os efeitos da crise e injetar mais recursos na economia.

Contudo, o pagamento do 13º sálario do INSS com antecipação tem caráter emergencial. Em 2021, o recebimento do benefício deve ocorrer conforme os anos anteriores. Ou seja, em duas parcelas, sendo uma entre o fim de agosto e início de setembro e a outra em novembro ou dezembro.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Quem tem direito ao 13º salário do INSS?

O 13º salário do INSS é um auxílio previdenciário para quem recebe aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença ou auxílio-reclusão.

Dessa forma, os aposentados e pensionistas quem tem direito ao benefício no valor de até um salário mínimo, ou seja, R$ 1.045 em 2020, recebem primeiro.

Vale lembrar que o pagamento do 13º salário do INSS tem divisão em duas parcelas. Sendo assim, a primeira parcela deve ser igual a metade do valor do benefício, e a segunda com o restante. Além disso, existe a possibilidade de desconto do imposto de renda.

 

14º salário para beneficiários

O 14º salário para aposentados e pensionistas do INSS ainda está em debate no Senado. A Projeto de Lei nº 3.657 de julho de 2020 sugere que um pagamento extra pode injetar até R$ 42 bilhões na economia, sobretudo no comércio local.

Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, não há estudos sobre o pagamento extra. Contudo, o  projeto avançou a tramitação no Congresso Nacional, mas depende de outros fatores para ter a aprovação.

Sendo assim, a PL ainda entrará em votação no plenário. Assim, caso avaliado e aprovado, seguirá para a câmara dos Deputados e passará por votação simples pela maioria dos votos. Em seguida, o projeto de lei passará para a avaliação do Presidente da República, que decidirá sobre o veto ou sancionamento da lei.

 

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes