Pronampe: 3ª fase do empréstimo ainda aguarda aprovação na Câmara

O Pronampe já beneficiou mais de 430 mil empresas. Com a alta demanda de solicitações pelo crédito, o programa pode ter a 3ª fase em 2020.

O Pronampe é uma linha de crédito para micro e pequenas empresas durante a pandemia. Em 18 de novembro, o Senado aprovou a  terceira fase do programa prevê mais de R$ 10 bilhões do Tesouro Nacional como garantia para os empréstimos. Sendo assim, o novo lote de recursos segue em tramitação na Câmara dos Deputados e deve ser aprovada ainda este ano.

A extensão do Pronampe em mais uma fase oferece empréstimo de até 30% da receita bruta anual da empresa em 2019. Sendo assim, o limite máximo de crédito é de R$ 108 mil para microempresas e R$ 1,4 milhão para pequenas empresas.

A linha de crédito criada em maio, pela Lei 13.999/2020, prevê empréstimos para investimentos e capital de giro para micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia de covid-19. Sendo assim, os recursos com garantia pelo Fundo Garantidor de Operações (FGO) podem se destinar a aquisição de máquinas e equipamentos, bem como reformas do negócio.

Mas também, para custear despesas operacionais como salário de funcionários, pagamentos de contas de água, luz, aluguel etc, compras de matérias-primas e mercadorias.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As duas primeiras etapas do Pronampe tiveram mais de 460 mil operações de crédito . Segundo o governo, ao todo são cerca de R$ 32 bilhões em empréstimos para 430 mil micro e pequenas empresas em todo o país.

Terceira fase do Pronampe

A terceira fase do Pronampe deve seguir as mesmas condições das anteriores. Ou seja, taxa de juros de 1,25% com acréscimo da Selic, que está em 2% desde agosto. Além disso, prazo para pagamento de 36 meses.

O Projeto de Lei 5.029/2020, que institui a terceira fase do programa, sugere seis meses de carência. Dessa forma, a estimativa é que a novo lote de empréstimos venha injetar cerca de R$ 10 bilhões na economia.

O senador Jorginho Mello (PL-SC) é um dos relatores da proposta, aprovada pelo Senado e que segue para votação na Câmara dos Deputados desde 19 de novembro. Mello avalia que o impacto do Pronampe na economia  “mostra que estamos no caminho certo”.

Além disso, o senador declarou ao jornal Folha de S. Paulo que “se não existisse o Pronampe, esse aquecimento do mercado e a volta do emprego não teriam acontecido”, ao destacar os resultados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Isso porque registrou-se saldo positivo de quase 400 mil vagas com carteira assinada em outubro.

Quem tem pode participar?

O Pronampe se destina micro e pequenas empresas. Sendo assim, microempresas que obtiveram receita bruta igual ou inferior a R$ 360 mil, em 2019. Além disso, pequenas empresas, que em 2019, tiveram receitas brutas de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.

Sendo assim, empresas optantes do Simples Nacional são prioridade na obtenção do Pronampe.

Outros negócios, como os Microempreendedores Individuais (MEIs) também podem solicitar a linha crédito, conforme os dados informados pela Receita Federal.

 

Leia também

Pronampe: guia completo para solicitar; veja a lista de bancos

Pronampe: programa de crédito deve continuar em 2021

Não conseguiu o Pronampe: confira outras linhas de crédito disponíveis

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes