MEI pode receber seguro-desemprego em caso de inatividade ou falência

O auxílio é oferecido a trabalhadores com carteira assinada, demitidos sem justa causa e que não possuam outra fonte de renda. Processo para Microempreendedores pode ser complicado

Muitos microempreendedores individuais (MEIs) estão com o faturamento afetado pela pandemia. Diferente do CLT, o seguro-desemprego não é um benefício que grande parte deles possui. Entretanto, existe uma exceção que pode garantir ao MEI parcelas do seguro-desemprego.

 

O que é o seguro-desemprego?

O benefício do seguro desemprego tem destino a trabalhadores com carteira assinada, demitidos sem justa causa e que, portanto, não possuam outra fonte de renda. Dessa forma, o sistema compreende que o registro na Receita Federal é sinônimo de faturamento.

O trabalhador que possui emprego com carteira assinada pode se formalizar como MEI. Apesar de manter diversos direitos, como o FGTS e décimo terceiro, ele perde o direito ao seguro-desemprego. Para o MEI que deseja receber parcelas do seguro-desemprego, é necessário comprovar que sua empresa não possui lucros. Assim, segundo a legislação do benefício, o valor do seguro-desemprego é cedido a trabalhadores que não possuem nenhuma renda certificada.

 

Como posso receber seguro-desemprego sendo MEI?

Entretanto, após a Lei Complementar n.º 155/2016, as regras para MEI foram flexibilizadas. Agora, o trabalhador que estiver inativo como MEI, ou que comprovar que não teve faturamento um ano antes da dispensa, receberá o seguro-desemprego normalmente.

O Portal do Empreendedor informa que o microempreendedor tem direito ao seguro-desemprego “desde que não tenha renda mensal igual ou superior a um salário mínimo (R$ 1.039, em janeiro de 2020, e R$ 1.045, a partir de fevereiro) no período de pagamento do benefício”.

O titular da empresa ou marca que não está em funcionamento ou foi a falência pode validar a ausência de dinheiro em Caixa e o benefício pode ser reconsiderado. Por outro lado, o processo passa por diversas análises.

 

Alternativas para solicitar o seguro-desemprego para MEI

O primeiro caminho é tentar resolver de forma administrativa, emitindo junto à Receita Federal um documento que mostre o faturamento nulo ou irrisório da empresa no ano anterior. Se o pedido for negativo, o trabalhador precisará entrar com um mandado judicial, a ser distribuído na Justiça Federal, com base em provas como histórico de faturamento e contrato social.

Por outro lado, é possível gerar um mandado de segurança contra ato do gerente regional do Ministério do Trabalho e Emprego, solicitando a tutela de urgência para a liberação do pagamento.  Desse modo, o procedimento irá exigir a exibição do histórico de pagamentos da empresa, lucros, dívidas e demais informes financeiros. Após reunir todos os dados, o proprietário pode entrar na justiça, com o auxílio de um advogado especialista, para solicitar a liberação de seu seguro.  

 

Como retirar o seguro-desemprego?

Aqueles que possuíram conta poupança ou conta Caixa Fácil podem ter o valor creditado automaticamente. Mas é possível retirar o benefício em Casas Lotéricas, Correspondente Caixa Aqui, Autoatendimento da Caixa ou Agências da Caixa.

 

Leia também:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes