Série B: as melhores e piores campanhas de clubes grandes

Na virada de turno da Série B 2020, o Cruzeiro luta para se afastar das últimas posições, mas não é o primeiro clube grande a sofrer na competição

Na virada de turno da Série B 2020, o Cruzeiro luta para se afastar das últimas posições, mas não é o primeiro clube grande a sofrer na competição. Afinal, nem sempre os times de maior investimento consegue confirmar o favoritismo em um campeonato tão disputado.

A situação do Cruzeiro, no entanto, é ainda mais preocupante, pois a diretoria já tinha antecipado o recebimento de suas cotas de TV até 2022. Além da crise financeira, o clube ainda começou a Série B com seis pontos a menos devido a uma punição da Fifa referente à dívida pelo empréstimo do volante Denilson.

Felipão comanda o Cruzeiro na Série B
Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Em campo, o Cruzeiro somou apenas seis vitórias nos primeiros 18 jogos e apostou suas fichas na contratação do técnico Luiz Felipe Scolari. Portanto, o experiente treinador terá a missão de recuperar uma diferença de 12 pontos em relação ao G-4. Afinal, o acesso à Série A é visto como obrigação, e ficar mais um ano na Série B seria um vexame histórico. No entanto, outros clubes grandes já passaram por essa situação.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Grandes na Série B

Entre os 12 clubes mais tradicionais e de maior torcida no Brasil, apenas três nunca amargaram o rebaixamento no Brasileirão: Flamengo, Santos e São Paulo. Veja a seguir, então, como foram as campanhas dos gigantes que já disputaram a Série B.

Grêmio

O primeiro time grande a cair para a segunda divisão foi o Grêmio, em 1991. O tricolor gaúcho terminou a primeira fase do Brasileirão com apenas 12 pontos em 19 jogos, terminando na penúltima colocação. Curiosamente, no mesmo ano, chegou à final da Copa do Brasil, mas foi superado pelo Criciúma.

Na Série B de 1992, o torcedor tricolor teve uma nova decepção, pois o Grêmio não passou de um modesto nono lugar. Por sorte, a CBF já havia determinado que, em vez de apenas dois times, os 12 primeiros colocados subiriam para a primeira divisão no ano seguinte.

Grêmio na Batalha dos Aflitos pela Série B de 2005
Divulgação/Grêmio

O Grêmio voltou a disputar a Série B em 2005, e só conseguiu subir depois de muito sofrimento. No jogo que entrou para a história como a Batalha dos Aflitos, o tricolor teve quatro jogadores expulsos. Além disso, o Náutico só precisava converter um pênalti para encaminhar a vitória e o acesso. Mas o goleiro Galatto defendeu e, em seguida, Anderson fez o gol do título e da dramática classificação para a Série A.

Fluminense

Em 1996, o Fluminense só se salvou da queda graças ao caso Ivens Mendes, que revelou um escândalo de manipulação de jogos. Como resultado, a CBF cancelou o rebaixamento, salvando o tricolor carioca, que havia terminado em penúltimo lugar.

No entanto, no ano seguinte, o Fluminense voltou a terminar o campeonato na vice-lanterna. Dessa vez, não teve como escapar do rebaixamento. Na Série B de 1998, o tricolor ficou em penúltimo lugar de seu grupo e caiu para a Série C.

Fluminense campeão da terceira divisão de 1999
Reprodução

Assim, depois de ser campeão da Série C de 1999, o Fluminense saltou diretamente para a primeira divisão por causa da Copa João Havelange, criada pelo Clube dos 13 em 2000 depois que o Gama entrou na Justiça comum e impediu a CBF de organizar o Brasileirão.

Palmeiras

O Palmeiras caiu pela primeira vez em 2002, junto com o Botafogo. Na Série B de 2003, o alviverde fez a melhor campanha, com apenas três derrotas em 35 jogos. Assim, ficou com o título e garantiu o acesso. Assim como aconteceu após a segunda queda, em 2012: na segunda divisão do ano seguinte, o Palmeiras sobrou na classificação e assegurou o título com 79 pontos.

Botafogo

O Botafogo caiu pela primeira vez em 20023, junto com o Palmeiras, mas subiu de volta ao ser vice-campeão da segundona em 2003. Em 2014, o alvinegro carioca voltou para a Série B. Mas, no ano seguinte, o Glorioso não teve maiores dificuldades para assegurar o título com uma rodada de antecedência.

Atlético-MG

Após o primeiro e único rebaixamento do Atlético-MG, em 2005, o Galo mostrou força na Série B do ano seguinte e assegurou o título com 71 pontos em 38 jogos. O goleiro titular daquele time era Diego Alves, que hoje está no Flamengo. O elenco também contava com mais nomes que ficaram conhecidos em outros clubes, como o volante Márcio Araújo e o atacante Éder Luís.

Corinthians

Corinthians na Série B de 2008
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Após o trauma do rebaixamento em 2007, o Corinthians voltou ao topo com tudo. Afinal, em 2008, o time fez a melhor campanha da história dos pontos corridos na Série B. Foram 85 pontos em 38 jogos, com apenas três derrotas. Assim, o título veio com quatro rodadas de antecedência. Em 2009, o time foi campeão da Copa do Brasil e, nos anos seguintes, ainda conquistaria o Brasileiro e a Libertadores.

Vasco

Rebaixado três vezes em um intervalo de apenas oito anos, o Vasco só foi campeão da Série B uma vez. O título veio em 2009, depois do primeiro rebaixamento. Alex Teixeira e Philippe Coutinho estavam entre os jogadores campeões da segundona pelo cruzmaltino.

Em 2014, o Vasco subiu com uma rodada de antecedência, mas fez apenas a terceira melhor campanha, atrás de Ponte Preta e Joinville. Finalmente, em 2016, o time carioca voltou a terminar a Série B em terceiro lugar. Mas só confirmou o acesso na última rodada ao vencer o Ceará no sufoco em um Maracanã lotado.

Internacional

Antes do Cruzeiro, o último gigante a disputar a Série B foi o Internacional, que não evitou o rebaixamento no Brasileirão de 2016. O colorado não chegou a passar sufoco na segundona, mas ficou sem o título. Afinal, terminou na segunda colocação, com dois pontos a menos que o campeão América-MG.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes