Independiente del Valle: conheça a história do “mata gigantes” da Libertadores

Mesmo sem nunca ter vencido a Série A em seu país, o Independiente del Valle surge como novo grande do Equador e vira sensação na Libertadores

Mesmo sem nunca ter vencido a Série A em seu país, o Independiente del Valle surge como novo grande do Equador e vira sensação na Libertadores. “O mata gigantes humilha o campeão da América”, escreveu o jornal equatoriano El Comercio depois da vitória histórica por 5 a 0 sobre o Flamengo.

Antes mesmo de impor a maior derrota do Flamengo na Libertadores, o Independiente del Valle já era conhecido como “mata gigantes”. Na Copa Sul-Americana do ano passado, avançou à final após vencer o Corinthians por 2 a 0 na Arena lotada, e acabou ficando com o título.

Na Libertadores de 2016, o Independiente del Valle chegou à final depois de eliminar River Plate e Boca Juniors. E vendeu caro a derrota para o Atlético Nacional na decisão. Mas de onde surgiu esse time que há pouco tempo ninguém tinha ouvido falar?

A trajetória do Independiente del Valle

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O clube foi fundado em 1958 pelo sapateiro José Terán, que se juntou a um grupo de amigos para disputar as ligas amadoras locais em Sangolquí, na região metropolitana da capital Quito. O nome Club Deportivo Independiente era uma homenagem ao xará argentino. Após a morte de seu fundador, o time então passou a se chamar Independiente José Terán.

Até 2006, o Independiente era semiamador. Foi quando o empresário Michel Deller assumiu o controle e promoveu uma transformação no clube. A camisa mudou de cor: antes era vermelha e branca, mas virou preta e azul. E o nome foi alterado para Independiente del Valle, que passou a ser um clube-empresa focado na formação de jogadores.

Estrutura exemplar

Independiente del Valle cmemora título da Sul-Americana em 2019
Conmebol.com

A princípio, a ideia era lucrar com a negociação de jogadores. No entanto, partir de então, aquele modesto clube da periferia de Quito começaria a virar uma ameaça para os grandes. Em 2009, o Del Valle enfim conquistou a Série B e subiu pela primeira vez para a primeira divisão. De lá, não saiu mais. Em 2014, portanto, veio a primeira participação na Copa Libertadores. Além disso, mais uma mudança de nome: Clube Especializado de Alto Rendimento Independiente del Valle.

Não é à toa, afinal, que o Independiente del Valle se autointitula um centro de alto rendimento. A mudança de nome veio depois da entrega do novo centro de treinamento, um dos mais modernos do Equador. Os jogadores das categorias de base podem morar e até mesmo estudar no clube. Segundo a diretoria, 60% das receitas do futebol vão para a formação de jogadores, e o clube se orgulha por não acumular dívidas com grandes contratações.

Técnico cobiçado

Técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez
Reprodução/Twitter @IDV_EC

Foi esta filosofia que atraiu o técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez, que desperta interesse de vários clubes brasileiros, inclusive o Corinthians. Ramírez trabalhava com categorias de base quando chegou ao Equador, em 2018. Ao assumir o elenco principal do Independiente del Valle, em 2019, teve sua primeira experiência como treinador profissional.

Mesmo com um elenco jovem e pouco valorizado em relação aos concorrentes, Ramírez teve sucesso meteórico à frente do Del Valle. Afinal, logo em seu primeiro ano como técnico, conquistou a Copa Sul-Americana. O estilo ofensivo, de marcação intensa, faz com que o time jogue um futebol vistoso, atraindo interesse dos dirigentes brasileiros.

Assim, Ramírez já foi procurado mais de uma vez para trocar o Equador pelo Brasil. Negociou com Santos e Athletico-PR, mas não fechou negócio. Depois da goleada sobre o Flamengo, o espanhol valorizou a união do grupo no Del Valle. “No individual, eles são muito bons. Mas, como equipe, não tenho nenhuma dúvida de que somos muito melhores”.

Revelações do Independiente del Valle

Aliás, o autor do gol que abriu o placar contra o Flamengo veio das categorias de base do clube. O meia Moisés Caicedo, considerado uma das principais promessas do futebol equatoriano, tem apenas 18 anos e já esteve na mira do Manchester City.

O Del Valle também revelou outros nomes que ficaram conhecidos no Brasil. Um deles é o meia Junior Sornoza, com passagens por Corinthians e Fluminense. O volante Jefferson Orejuela também se destacou na Libertadores de 2016 e teve uma chance no tricolor carioca. Já o meia Alan Franco, recentemente contratado pelo Atlético-MG, chamou atenção durante a conquista da Sul-Americana de 2020.

Além disso, o clube é o atual campeão da Libertadores sub-20. Com tantos nomes cobiçados no mercado, o Independiente del Valle cumpre o objetivo de ser referência na formação de jogadores. Mais do que isso, colhe os resultados em campo e sonha em deixar de ser “mata gigantes” para se transformar em “papa-títulos”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes