Saiba como usar o FGTS para financiar a casa própria

O Fundo de Gatantia por Tempo de Serviço é um recurso formado por valores depositados mensalmente pelos empregados em contas da Caixa Econômica Federal e pode ser útil na aquisição de imóvel

Inesperadamente, a pandemia criou condições perfeitas para uma retomada forte do setor imobiliário. Com os juros baixos, imóvel barato, crédito farto e poupanças em níveis recordes, o movimento aparece no crédito imobiliário para pessoas físicas, que aumentou 44% de janeiro a agosto, chegando a R$ 51,3 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Uma forma de aproveitar a oportunidade é financiando sua casa com o FGTS.

A aquisição da casa própria é um dos principais objetivos de muitas pessoas, encerrando as preocupações com aluguéis. Assim, uma das opções é utilizar o FGTS.  Dessa maneira, o fundo de garantia retido pode ser um recurso para tornar a aquisição possível. 

 

O que é FGTS?

O Fundo de Gatantia por Tempo de Serviço é um recurso formado por valores depositados mensalmente pelos empregados em contas da Caixa Econômica Federal. O montante  corresponde, então, a 8% do salário do trabalhador e fica sob administração do banco até ter uso. Assim, ele não tem acesso direto a poupança.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Foi instituído por lei em 1966 e é um dispositivo previsto em legislação trabalhista. Serve para dar proteção ao profissional no caso de demissão por iniciativa da empresa, funcionando como uma reserva para o trabalhador para resguardá-lo em casos de emergência. Entretanto, o governo usa os recursos para financiar iniciativas de diversas áreas enquanto o dinheiro continua em depósito. Por outro lado,  o titular pode utilizar o montante nos casos:

  • compra da casa própria;
  • para construir em terreno próprio;
  • em situações de calamidade no local onde mora;
  • diante de diagnósticos de doenças graves;
  • após 3 anos sem trabalhar com carteira assinada.

Porém, aos trabalhadores que pedirem ou receberem demissão por justa causa, não há o direito de sacar o saldo do FGTS.

 

Quais as vantagens de financiar casa com FGTS?

É uma boa opção para aqueles que desejam investir em um imóvel, mas não tem o valor necessário para dar entrada no financiamento. Logo, o saldo deve ajudar a alcançar o objetivo mais rapidamente e não perder a chance de investir em um imóvel.

Além disso, utilizar o benefício também pode reduzir o valor do financiamento pelo banco. Assim, é possível reduzir o valor das prestações mensais e pagar menos juros.

Foto: yanalya / Freepik

 

Quando posso usar o FGTS para comprar um imóvel?

Existem situações específicas onde você pode contar com o saldo do FGTS para financiar a casa própria. São elas:

  • Construção ou compra de um imóvel: os recursos podem ser utilizados para a construção em terreno próprio ou aquisição de terreno em contrução (não sendo permitido utilizar para a conclusão, reforma, ampliação ou melhoria).
  • Amortização ou quitação de débitos: as dívidas precisam ser feitas após a assinatura de um contrato com reconhecimento do sistema financeiro de habitação (SFH).
  • Pagamento parcial do valor de cada mensalidade de compra do imóvel: desde que o contrato de aquisição receba a gestão do SFH, é possível reduzir o valor das prestações até cerca de 80%, abatimento mantido por 12 meses sequenciais.

 

Requisitos

A utilização dos recursos em contas do Fundo de Garantia para a compra da casa própria teve regulamentação em 1998. Assim, os interessados devem cumprir os requisitos:

  • ter trabalhado pelo menos 3 anos sob o regime do FGTS — ou seja, de carteira assinada;
  • não ser proprietário de imóvel residencial com financiamento do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) em território brasileiro;
  • não possuir imóvel residencial no município onde pretende comprar a propriedade;
  • trabalhar ou morar no município em que fica o imóvel que se pretende adquirir com o FGTS;
  • para pagamento de financiamento, é preciso estar com as parcelas da negociação em dia.

Além disso, outros requisitos devem se relacionar ao imóvel:

  • o imóvel deve estar avaliado em até 950 mil reais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, passando para 800 mil nos demais estados;
  • o terreno deve estar em nome do titular da conta do Fundo de Garantia;
  • o imóvel deve ter como destino a moradia do titular;
  • a situação do imóvel deve estar regular junto a todos os órgãos competentes.

 

Documentação

  • a carteira de identidade;
  • o Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • a certidão de nascimento;
  • a certidão de estado civil, se for o caso;
  • a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • o comprovante de residência atual com no máximo 3 meses de vencimento — contas de serviços, como água, gás ou luz;
  • o extrato do FGTS;
  • a certidão de matrícula e uma cópia do IPTU do imóvel que deseja comprar.

Na prática, a instituição financeira intermedia a compra, pagando diretamente ao vendedor. Além disso, é preciso ter atenção. Algumas condições podem restringir a ação de financiar uma casa com o FGTS. Por exemplo, o fundo não pode ser usado em transações que envolvam terrenos com uma construção iniciada e nem liberado para gastos com materiais de construção.

Como o fundo pode ser utilizado mais de uma vez, através dele é possível adquirir um segundo imóvel. Todavia, o primeiro imóvel deve estar quitado e apresentar localização que não faça divisa com a mesma área do segundo imóvel desejado.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes