Melasma: aprenda o que fazer para prevenir e tratar o problema 

Confira as dicas da dermatologista Simone Stringhini para fugir dessas manchinhas escuras que tendem a se intensificar no verão.

Sol, calor, praia e piscina são, de fato, a cara do verão. Mas, se você sofre com o melasma, a estação pode não ser tão divertida assim. Afinal, nesse período do ano as manchas costumam piorar e aparecer com mais intensidade. Então, se você quer aprender a prevenir, controlar e tratar o problema, confira as dicas da dermatologista Simone Stringhini.

 

O que é melasma?

Melasma
Imagem: reprodução / pinterest

 

Em resumo, o melasma são manchas escuras que podem aparecer na testa, bochechas, buço e dorso do nariz. Elas atingem, principalmente, as mulheres. De acordo com um artigo científico do The Journal of Dermatology, elas representam cerca de 90% dos casos.

 

Causas do melasma

 

Em relação aos fatores que causam o problema, Simone destaca sol, calor e hormônios. É por isso que os sintomas se agravam no verão. Além disso, grávidas têm mais chances de desenvolver o melasma por questões hormonais. Isso ocorre pelo aumento na dilatação dos vasos sanguíneos, o que contribui para as manchas. Por fim, pessoas de pele morena e negra, assim como asiáticos e latinos, também têm maior predisposição ao problema.

Apesar de crônico, é possível amenizar o melasma com alguns cuidados básicos. “É importante tentar manter a temperatura do corpo mais amena, principalmente do rosto. Por isso, no verão, indico usar água termal e levar sempre na bolsa. Pode deixar o produto na geladeira e pegar antes de sair para conservar a baixa temperatura”, aconselha. A bruma hidratante também é indicada, pois hidrata, refresca e suaviza a pele.  

Questões emocionais também podem desencadear o melasma. “O sistema nervoso e a pele têm a mesma origem embrionária e, portanto, muitos problemas de pele sofrem influência do estado emocional.” Tensões e estresse, por exemplo, elevam o cortisol no organismo. Por consequência, ocorre uma reação na tirosinase, enzima que regula a produção da melanina. Ou seja, isso pode acabar piorando as manchas. 

 

Dicas para prevenir o melasma

Manchas na pele
Imagem: reprodução / pinterest

 

Confira, então, as principais sugestões de Simone para prevenir o surgimento do melasma.

 

Use protetor solar

Filtro solar com FPS alto (acima de 50) e com cor é essencial para quem tem melasma. “O ideal é usar um protetor solar bem grosso para cobrir e aderir bem na pele. Isso cria uma barreira mais reforçada de proteção”, indica Simone.

Além disso, é preciso aplicar todos os dias. Mais que isso, lembre-se de reaplicar ao longo do dia. “Quem tem melasma não pode ficar com a pele exposta ao sol, principalmente na área do rosto. Por isso, o uso do protetor solar tem que ser um hábito diário.”

Uma informação importante é que mesmo as luzes artificiais podem agravar o problema. Isso porque qualquer forma de radiação pode estimular o aparecimento das manchas escuras. Então, mesmo no inverno e dentro de casa, siga usando o filtro solar.

 

Aposte em chapéu ou boné 

Assim como a dica anterior, o objetivo é proteger a pele do melasma. Então, aposte nesses acessórios sempre que fizer atividades ao ar livre. Camisas de manga longa com proteção solar podem completar a proteção. Afinal, mesmo que a incidência seja maior no rosto, qualquer parte do corpo pode apresentar manchas.

 

Invista na água termal 

Manter a pele fresca também ajuda a controlar o melasma. Por isso, Simone sugere usar água termal com frequência. 

 

Anticoncepcional pode agravar o melasma

Os anticoncepcionais podem piorar o melasma, porque acabam por dilatar os vasos sanguíneos. “Quando a mulher toma pílula, o corpo reage de maneira similar ao período de gravidez, produzindo muitos hormônios. Portanto, assim como na gravidez, os vasos sanguíneos dilatam, agravando o melasma“, explica a médica. Na gestação o quadro costuma ser mais grave, mas a pílula também pode despertar o problema.

 

Principais tratamentos 

 

Consultar um dermatologista é importante para quem tem melasma. Só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento. Aliás, existem três caminhos para cuidar do problema. Em primeiro lugar, produtos tópicos, como cremes clareadores. Mas também é possível associar o tratamento a medicamentos orais.

Por fim, em casos de melasma mais persistente, procedimentos em consultório também podem ser utilizados. É o caso de peeling e lasers, por exemplo. Eles podem focar nos vasos sanguíneos ou atuar no controle do excesso de melanina. Mas a indicação depende da avaliação do dermatologista.

 

Fonte: Simone Stringhini, dermatologista. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desde 1994.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.