Eleições 2020: Confira as mudanças na disputa desse ano

De acordo com as novas regras, as coligações proporcionais estão proibidas e o número de candidatos de cada partido foi ampliado

As regras das Eleições 2020 sofreram mudanças devido à aprovação de duas Leis (nº 13.877 e 13.878). Sancionadas, respectivamente, em 27 de setembro e 3 de outubro do ano passado, os dois textos deram origem à Reforma Eleitoral 2019.

Além disso, em 2017, uma minirreforma já tinha alterado algumas disposições da Lei das Eleições e do Código Eleitoral.

Entre as principais mudanças estão o fim das coligações  proporcionais, o aumento no número de candidatos de cada partido  e a criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

Confira essas e outras mudanças das eleições 2020:

Eleições 2020: Fim das coligações proporcionais

A Lei 13.877/19 proíbe as coligações proporcionais para vereadores, ou seja, cada partido contará apenas com seus próprios votos. A decisão acaba com o esquema de “puxadores de voto.”  Antes, caso uma coligação tivesse uma alta votação, os candidatos que estavam dentro dela e que tivessem alcançado um número baixo de votos eram eleitos da mesma forma.

O voto era somado conjuntamente para o cálculo de distribuição das vagas legislativas, realizado a partir do  quociente eleitoral (a razão entre o total de votos válidos apurados pelo número de vagas a serem preenchidas) e  o quociente partidário (a divisão entre todos os votos válidos obtidos por um coligação e o quociente eleitoral, cujo resultado é o número de cadeiras que a coligação pode ocupar).

Leia também

Bolsonaro questiona eficácia das máscaras e faz campanha…

VÍDEO: Bolsonaro encerra entrevista após pergunta sobre…

- PUBLICIDADE -

 Financiamento

  • O autofinanciamento pode ser realizado até o total de 10% dos limites previstos para gastos de campanha
  • As doações de pessoas físicas tem o  limite de 10% do rendimento bruto do ano anterior ao das eleições
  • Criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC): R$ 2,03 bilhões foi reservado para ser repartido entre os partidos políticos. Uma pequena parcela é dividida entre todos os partidos e o seu excedente é repartido através de votação dos partidos e de sua representação no Congresso
  • 30% do montante do Fundo vai para as campanhas de mulheres

Eleições 2020: Impulsionamento nas Redes Sociais

Com  o dinheiro do Fundo Partidário, é permitido contratar o impulsionamento de conteúdos diretamente com provedor de aplicação de internet com sede e foro no Brasil. Isso deve ser realizado até 180 dias antes da eleição.

Aumento do número de candidatos

Anteriormente, cada coligação tinha direito ao lançamento de até 200% da quantidade de vagas disponíveis na Câmara Legislativa Municipal. Agora, cada partido isoladamente terá direito de lançar até 150% do número de vagas existentes na Câmara Municipal do município.

Eleições 2020: Limite de gastos da campanha

Os limites serão os mesmos de 2016, corrigidos pela inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA),aferido pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

- PUBLICIDADE -

No segundo turno, o limite de gastos de cada candidato será de 40% do limite previsto na lei.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes