Eleições São Paulo 2020: Guilherme Boulos e Erundina, apostas do PSOL

No dia 5 de setembro, o PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) confirmou oficialmente a chapa formada por Guilherme Boulos e Luiza Erundina para as Eleições 2020 na cidade de São Paulo. A dupla tentará ser eleita para ocupar a Prefeitura de SP (Boulos como prefeito e Erundina como sua vice).

No dia 5 de setembro, o PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) confirmou oficialmente a chapa formada por Guilherme Boulos e Luiza Erundina para as Eleições 2020 na cidade de São Paulo. A dupla tentará ser eleita para ocupar a Prefeitura de SP (Boulos como prefeito e Erundina como sua vice).

Os dois são a grande aposta do PSOL para a conquista de votos da esquerda na cidade. Saiba mais sobre os candidatos à prefeitura de SP nas Eleições 2020:

Quem é Guilherme Boulos, candidato à prefeitura de SP?

Guilherme Boulos, candidato do PSOL à prefeitura de SP nas eleições 2020
Guilherme Boulos, candidato do PSOL à prefeitura de SP nas eleições 2020. Fonte: PSOL

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Certamente, Guilherme Boulos é um dos principais nomes ligados ao socialismo a conquistar espaço na última década. O militante nasceu em 1982 e é filho de dois médicos; a infectologista Dra. Maria Ivete Boulos e o Dr. Marcos Boulos, professor na Faculdade de Medicina da USP. Apesar de ter estudado em colégios particulares antes da faculdade e não falar muito sobre sua vida pessoal, o candidato do PSOL já reafirmou o papel de seus pais em sua atuação política: “Meus pais me deram uma formação humanista, solidária”. 

O impacto dessa formação pôde ser visto desde cedo na vida de Guilherme Boulos. Quando tinha apenas 15 anos, já era membro da União da Juventude Comunista. Alguns anos depois cursou Filosofia na FFLCH-USP e ingressou no Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em 2002. Seu nome apareceu em um jornal pela primeira vez em 2003, quando coordenou a ocupação de um terreno da Volkswagen. Segundo o MTST, “a terra estava improdutiva havia anos”. 

Apesar da atuação ativa e seu destaque no meio acadêmico, o nome de Guilherme Boulos só voltou ao noticiário durante as Copa do Mundo no Brasil em 2014, quando ele coordenou a Ocupação Copa do Povo. A iniciativa do MTST tinha a missão de mostrar como os investimentos feitos na região do Itaquera para a Copa do mundo não beneficiaram o povo da região. Depois disso, o socialista passou a ganhar maior visibilidade e chegou a trabalhar para veículos como UOL e Folha de S. Paulo. Em 2018, ingressou ao PSOL e arriscou uma candidatura à presidência nas eleições daquele ano. Boulos recebeu cerca de 617 mil votos – o pior resultado do PSOL em um pleito pela presidência. 

Qual a trajetória de Luiza Erundina, companheira de chapa de Boulos?

Luiza Erundina, vice de Boulos nas eleições 2020
Luiza Erundina, vice de Guilherme Boulos nas eleições 2020 para a prefeitura de SP. Fonte: Divulgação

Diferentemente de Guilherme Boulos, Luiza Erundina é um nome consolidado na política – principalmente em São Paulo. A pré-candidata de 86 anos foi criada com mais 9 irmãos por artesãos de couro. Por isso, ela trabalhava quando criança para ajudar a sustentar sua grande família. Mesmo trabalhando diariamente, gostava de estudar, mas sua cidade natal não contava com o ensino básico completo. Como resultado da realidade simples de Uiraúna (Paraíba), viu-se obrigada a morar em outra cidade para poder completar seu ginásio. Ela formou-se em Serviço Social pela Escola de Serviço Social da Paraíba em 1966;  certamente, uma formação primordial para sua aproximação com os movimentos de esquerda. 

  • Durante a década de 1970,  Erundina atuou nas Ligas Camponesas de Francisco Julião Arruda de Paula, ajudando imigrantes e a periferia da cidade de São Paulo. Sua atuação rendeu um convite de Luiz Inácio Lula da Silva para participar da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) em 1980.
  • Dentro deste partido, conseguiu ser eleita como vereadora, deputada estadual e prefeita da cidade de São Paulo em 1989. Inclusive, já foi apontada como “a melhor prefeita de SP”, pois nunca se envolveu em escândalos de corrupção. Seu único problema com a justiça foi a devolução de R$ 350 mil a cofres públicos – a dívida surgiu por conta da impressão de cartazes em apoio à uma greve durante sua passagem na prefeitura de São Paulo.
  • Em 1999, foi eleita pelo PSB como deputada federal da cidade paulista e desde então mantém-se no cargo (em 2016, saiu do PSB e filiou-se ao PSOL para concorrer novamente à prefeitura de São Paulo). Segundo sua biografia oficial, a pré-candidata atua tendo como“princípio maior a justiça social e a igualdade de direitos”.

As apostas do PSOL para as eleições 2020

Certamente, o PSOL é um dos partidos de esquerda que mais cresceu depois dos escândalos do PT e a pulverização da esquerda nas eleições 2018. Cerca de 186 mil pessoas estão filiadas ao partido socialista hoje – número que mostra o crescimento 40 mil membros desde 2018. A chapa com Boulos e Erundina é uma tentativa de trabalhar com esse cenário em que ao partido ganha destaque e os eleitores da esquerda que ainda não sabem em quem votar. 

A união de um nome novo como Boulos e outro consolidado como o de Erundina pode funcionar bem para atrair os eleitores indecisos que buscam uma política nova, mas com alicerces bem estabelecidos. Prova disso é como o próprio Guilherme Boulos chama sua vice de “melhor prefeita da história dessa cidade”. O partido também parece estar animado com a ideia e já recebeu um multa de R$ 5 mil por fazer propaganda eleitoral antecipada para Guilherme Boulos e Luiza Erundina. Basta aguardar para vermos se a aposta do PSOL para as eleições 2020 dará algum fruto ao partido fundado em 2005.

https://www.facebook.com/guilhermeboulos/videos/314272689859828

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes