Eleições 2020 SP: entrevista com o prefeito Bruno Covas

Atual prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas é um dos principais candidatos nas Eleições 2020. Segundo pesquisa XP/Ipespe, o candidato do PSDB à Prefeitura da cidade de São Paulo possui 25% das intenções de voto na capital. 

Eleições 2020 SP – Atual prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas é um dos principais candidatos nas Eleições 2020 na capital paulista. Conforme pesquisa XP/Ipespe, o candidato do PSDB à Prefeitura da cidade de São Paulo está em primeiro lugar nas intenções de votos. 

A fim de saber mais sobre os futuros desafios da Prefeitura e suas propostas para um possível segundo mandato, o DCI realizou uma entrevista com Bruno Covas sobre as eleições 2020 SP. Confira a seguir:

Efeitos da pandemia na cidade de São Paulo durante a gestão de Bruno Covas

Quanto a pandemia afetou a cidade de São Paulo? Quais serão os principais desafios de retomada para a prefeitura no próximo ano?

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Bruno Covas: A crise sanitária trouxe uma crise econômica e social, não só em São Paulo, como em todo o mundo. A previsão esse ano de queda de arrecadação na Prefeitura de São Paulo é de R$ 7 bilhões. Somado aos novos custos que tivemos, em especial, nas áreas da saúde, de assistência, e de mobilidade, estamos falando neste ano de um rombo orçamentário de R$ 9,6 bilhões.

Estamos atuando em várias frentes desde o início da pandemia e temos conseguido êxito, ouvindo e atuando em conjunto com os comerciantes para diminuir os efeitos da crise social e econômica. A nossa prioridade absoluta será geração de emprego, renda e estímulo ao empreendedorismo. A revitalização da região central, por exemplo, será fundamental na retomada. Também vamos continuar apostando na desestatização, na parceria com o setor privado.

Se Prefeitura não tivesse feito sua lição de casa para colocar as contas públicas em dia, nós não estaríamos atravessando a pandemia da forma que estamos enfrentando.

Há algum setor (segurança, educação, infraestrutura, cultura) que está mais prejudicado? Os danos a este setor vieram como resultado da pandemia ou há uma questão maior envolvida? Como pretende lidar com esse setor?

Bruno Covas: Nossa prioridade é focar esforços e investimentos nas mais diversas áreas que ajudem a melhorar a qualidade de vida da população, como Saúde, Educação, Assistência Social, Habitação, Segurança, Transporte, Mobilidade Urbana. Quero destacar que mesmo com os impactos enormes da pandemia do covid-19, a Prefeitura de São Paulo terá R$ 4,37 bilhões para novos investimentos no Orçamento de 2021, o maior valor em dez anos, o que nos permitirá investir nessas áreas prioritárias. Faremos isso com muita responsabilidade, mas sempre tendo como foco reduzir a distância entre os mais ricos e os necessitados.

Apoio ao comércio na retomada pós-pandemia

Foto mostra Bruno Covas de máscara falando ao microfone
Como resultado da crise causada pela pandemia, Bruno Covas pretende “aumentar a geração de emprego e renda e investir em qualificação”  (Foto: Governo de São Paulo)

Como você pretende apoiar o comércio municipal neste contexto de retomada?

Bruno Covas: Toda ação da prefeitura será focada para aumentar a competitividade da cidade, aumentar a geração de emprego e renda e investir em qualificação. E já fizemos muito nessa área. Criamos o programa Trabalho Novo, que se destina a promover o acesso de pessoas atendidas pela rede socioassistencial da prefeitura a vagas de emprego. Instituímos a Política Municipal de Qualificação Profissional e a Política Municipal de Apoio ao Empreendedorismo. Também investimos cerca de R$ 1 milhão para acelerar o desenvolvimento de 24 startups em bairros da periferia, dentro do Programa de Valorização de Iniciativas Tecnológicas, da Agência São Paulo de Desenvolvimento.

E focar no que é um grande diferencial da cidade de São Paulo que é a economia criativa, a área de cultura, gastronomia, eventos, games, internet, startups, esse é um grande diferencial que inclusive gera oportunidades aos jovens de periferia que são aqueles mais prejudicados nesse momento de grande recessão econômica que o Brasil e o mundo atravessam.

Planos do candidato para um segundo mandato

Quais são os pilares do seu projeto de desenvolvimento econômico da maior cidade do país nos próximos quatro anos?

Bruno Covas: Trabalho, emprego, renda e empreendedorismo são prioridades absolutas da nossa gestão. O desemprego é a face mais perversa da crise econômica. A Prefeitura tem trabalhado para ampliar as oportunidades no município. Somente com as obras e ações da administração, mais de 100 mil empregos diretos forma gerados. São três grandes eixos de trabalho: 1. Estabelecer São Paulo como uma cidade vocacionada à Economia Criativa, para que possa concorrer com outras cidades no mundo. 2. Fortalecer a cultura empreendedora. 3. Combater a desigualdade social e regional. Com isso, vamos ampliar as oportunidades e ajudar o setor privado a gerar mais vagas e negócios.

Quais serão as principais diferenças entre a gestão atual, assumida perto da metade do mandato de João Doria, e uma gestão inteiramente sua após uma possível reeleição?

Bruno Covas: Fiz parte do governo João Doria como vice-prefeito, onde juntos demos andamento a vários programas, e sendo reeleito prefeito, vou colocar em prática as diretrizes e metas que constam no meu Plano de Governo para que tenhamos uma cidade cada vez melhor. Esse ano de 2020 foi marcado por um desafio sem precedentes no mundo, por conta da pandemia do coronavírus, e como prefeito quero melhorar a vida das pessoas que escolheram São Paulo para viver. Nos últimos quatro anos, fizemos muito pela cidade. E agora é necessário ir mais longe e fazer a diferença para melhorar a vida das pessoas, e principalmente para reduzirmos a desigualdade social.

Mudanças na equipe da prefeitura – Eleições 2020 SP

Se reeleito, pretende manter a atual equipe ou fará modificações substanciais? Por quê?

Bruno Covas: Faço parte de um arco de alianças de dez partidos e vou buscar dialogar com todos eles para procurar montar a melhor equipe. Para governar uma cidade do porte de São Paulo, com seus 12 milhões de habitantes – a maior metrópole da América Latina-, é preciso contar com auxiliares experientes.

Ideias de Bruno Covas para a cidade de São Paulo

Caso seja reeleito, quais serão suas principais revisões ao Plano Diretor Estratégico?

Bruno Covas: Vamos continuar ouvindo a população na revisão do Plano Diretor Estratégico em 2021, para garantir uma cidade mais moderna, equilibrada e funcional. Um dos pontos centrais será aproximar emprego e moradia – inclusiva, ambientalmente responsável, produtiva e com qualidade de vida. Destacamos que, no final do ano passado, propomos uma revisão na Lei de Zoneamento. Nesse processo, também participativo, mantivemos os princípios do PDE aprovado. Fizemos mudanças pontuais – como no gabarito – visando atrair o setor produtivo, ampliando habitações sociais e preservando o desenho de cada região.

Certamente, a região central gera alguns dos maiores desafios urbanísticos da cidade. Qual sua proposta para revitalizar a área e buscar resolver o subaproveitamento de lotes na região?

Bruno Covas: Estamos encaminhando para a Câmara Municipal de São Paulo a revisão do Projeto de Intervenção Urbana (PIU) da região central para que possamos também ter recursos privados na revitalização. A Prefeitura está entrando com mais iluminação, mais câmeras de vigilância e mais presença da Guarda Civil Metropolitana (GCM), focando na linha de fomento ao empreendedorismo, dos espaços noturnos aos finais de semana, para revitalizar o centro de São Paulo. Estamos investindo em infraestrutura, como o projeto do novo Anhangabaú. Dezenas de outros projetos de intervenções urbanísticas seriam realizados na região central esse ano, mas devido a pandemia acabaram não sendo discutidos. Se eu for reeleito, esses projetos terão prioridade na Câmara Municipal de São Paulo.

O futuro das ciclofaixas – Eleições 2020 SP

Recentemente, a Uber fez um investimento para o retorno das ciclofaixas para lazer por um ano. Fora o aspecto de lazer, o projeto das ciclofaixas é interessante para a renovação da mobilidade urbana. Além disso, pesquisas do CET também já indicaram que a implementação das ciclofaixas fixas na Zona Oeste reduziu os acidentes em 38%. Há planos para aumentar a extensão das ciclovias fixas em toda a cidade?

Bruno Covas: O Plano Cicloviário valoriza o compartilhamento que propicia um ambiente mais seguro e atraente para trocar o carro pela bicicleta. Com mais opções de conexão, as pessoas podem usar mais bicicletas, patinetes, bikes elétricas em seus primeiros deslocamentos, ou para fazer a integrar com o transporte público. A nossa gestão valoriza a intermodalidade levando a malha cicloviária até terminais de ônibus e estações de trem e metrô, permitindo formas múltiplas e seguras de deslocamento.

Nós reativamos as ciclofaixas de lazer. São 117 km, instalados por meio de uma parceria com a iniciativa privada. Vamos ampliar esses projetos, sempre consultando a comunidade local por onde passam as ciclovias e conectando-as ao sistema público de transporte.

A ciclovia da Avenida Faria Lima, por onde passam 4.300 ciclistas por dia, é um exemplo dessa integração. É possível alugar uma bike ou patinete em uma estação compartilhada e se deslocar até o terminal de ônibus ou estação de metrô, em Pinheiros.

Até o fim deste ano, São Paulo terá a maior malha dedicada às bicicletas dentre todas as capitais brasileiras, com 676 km. Já foram entregues as novas conexões da Av. Eng. Caetano Álvares; Samaritá; Iapó; José Bernardo Pinto; Freire Cisneiro; Artur de Azevedo; Jacu Pêssego; Domingos de Morais; Henrique Schaumann; Guadelupe; Ricardo Jafet; Condessa de São Joaquim; Ataliba Leonel; Nadir Dias Figueiredo; e Vila Jaguara.

Acompanhe as eleições 2020 SP no DCI.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes