Conheça os 12 prováveis candidatos a presidente em 2022

Apenas uma mulher e um negro devem concorrer ao Planalto este ano

Em outubro deste ano, os brasileiros vão às urnas para escolher presidente, governadores, senadores e deputados. O primeiro turno será no dia 2 e o segundo, se houver, no dia 30 do mesmo mês. A corrida eleitoral ainda está na fase das pré-candidaturas, mas alguns nomes de candidatos a presidente já são praticamente certos. Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) são os principais personagens do pleito deste ano, mas políticos de esquerda, de centro e de direita se apresentam como terceira via. Saiba quais são os prováveis candidatos a presidente na eleição de 2022.

Quem são os candidatos a presidente na eleição de 2022

candidatos a presidente 2022
Calendário vai até julho de 2023. Foto: Reprodução/Marcelo Camargo/Agência Brasil

Embora a eleição para presidente de 2022 tenha um grande número de concorrentes (por enquanto, são 12 pré-candidatos), segundo pesquisas, a disputa deve ficar entre o atual presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula. Quatro concorrentes desistiram de se candidatar: Luiz Henrique Mandetta (DEM), Cabo Daciolo (Brasil 35), José Luiz Datena (PSD) e João Amoêdo (Novo). Por enquanto, apenas uma mulher está entre os prováveis candidatos a presidente em 2022, Simone Tebet, do MDB. Confira os pré-candidatos:

Jair Bolsonaro (PL)

Antes de chegar ao Planalto, o atual Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi deputado federal pelo Rio de Janeiro entre 1991 e 2018. Na presidência desde então, Bolsonaro tenta a reeleição e deve ser o candidato pare presidente do PL em 2022. No entanto, seu mandado vem sendo marcado por gafes e críticas, principalmente em relação à economia e à postura adotada frente à pandemia de Covid-19. O presidente tem índices de popularidade ruins e aposta no Auxílio Brasil como uma das maneiras de conquistar o maior número de votos na eleição.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – candidatos a presidente 2022

Lula volta a ser candidato a presidente na eleição de 2022 como o principal concorrente de Bolsonaro. Por enquanto, de acordo com algumas pesquisas, ele é o preferido do eleitorado. O petista deve ter como vice o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que deixou o PSDB em dezembro de 2021. Lula governou o país entre 2003 e 2010, mas os escândalos de corrupção ligados ao partido e a crise econômica que se instalou durante o governo Dilma Roussef causam rejeição em boa parte dos eleitores. Sua principal bandeira, no entanto, é o reaquecimento da economia, melhorando a renda dos trabalhadores.

Sério Moro (Podemos)

O ex-juiz federal Sérgio Moro ganhou notoriedade no país pela atuação na Operação Lava-Jato. Foi convidado por Bolsonaro para ser Ministro da Justiça, cargo que ocupou durante um ano e quatro meses e saiu do governo fazendo críticas ao atual presidente, com quem teve muitos atritos durante o período em que ocupou a pasta da Justiça. Moro tenta, atualmente, ser o principal nome da terceira via e, por isso, tem procurado fazer alianças no Congresso. O ex-juiz tem como argumentos para tentar vencer o combate à corrupção, a retomada da economia, com geração de emprego e renda, e a erradicação da pobreza.

João Dória (PSDB)

Dória é o atual governador de São Paulo e suas principais bandeiras como candidato a presidente em 2022 são a privatização de estatais, a erradicação da fome e a geração de empregos. Durante a pandemia de Covid-19, Dória ganhou reconhecimento graças à atuação sobre a compra e distribuição de vacinas contra o coronavírus. Mas, apesar disso, enfrenta forte rejeição do eleitorado. Ele foi prefeito de São Paulo, eleito em primeiro turno em 2016, antes de se eleger governador. Adversário político de Lula, também se desentendeu com Bolsonaro e também vai tentar a eleição como terceira via neste ano.

Ciro Gomes (PDT) – candidatos a presidente 2022

Mais uma vez, Ciro Gomes tenta ser presidente da República, cargo ao qual já concorreu em três ocasiões. Em 2018, obteve 13,3 milhões de votos, conquistando o terceiro lugar. Já foi governador e secretário de Saúde do Ceará, Ministro da Fazenda e da Integração Nacional e, atualmente, é crítico de Bolsonaro e de outros pré-candidatos. Sua candidatura se baseia na reforma educacional, na geração de empregos e na reindustrialização. Durante a votação da PEC dos Precatórios, no entanto, Ciro se desentendeu com o PDT, que votou com Bolsonaro. Por isso, apesar de ser pré-candidato, ainda não confirmou sua participação no pleito.

Simone Tebet (MDB)

A única mulher que deve concorrer à presidência este ano é Simone Tebet, atualmente senadora. Foi a primeira mulher a liderar a bancada do MDB no Senado e se destacou após sua atuação na CPI da Covid, no ano passado. Tebet é filha do ex-senador e ex-presidente do Congresso Ramez Tebet, que morreu em 2006 e já foi confirmada como a candidata oficial do partido para a eleição de 2022. A senadora defende reformas estruturais, melhorias na Saúde e na Educação e o combate à fome e à miséria. Foi duas vezes prefeita e uma vez vice-prefeita de sua cidade natal, Três Lagoas (MS).

Rodrigo Pacheco (PSD)

Rodrigo é o atual presidente do Congresso Nacional. Natural de Porto Velho (RO), foi eleito deputado federal em 2014 e já presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. É senador desde 2018 e se filiou ao PSD em outubro de 2021. Suas principais bandeiras para concorrer como candidato a presidente em 2022 são a pacificação do país, a estabilidade e o desenvolvimento econômico e social, por meio de uma reforma tributária. Foi duramente criticado por Simone Tebet por causa da atuação na PEC dos Precatórios e ainda não foi oficializado como concorrente.

Luiz Felipe D’Avila (Novo)

O paulista Luiz Felipe D’Avila é cientista político com mestrado em Administração Pública pela Harvard Keneddy School. Se for candidato a presidente em 2022, será a segunda vez que o Novo disputará a vaga no Planalto – em 2018, João Amoêdo ficou em quinto lugar. D’Avila defende um Estado Democrático eficiente, o fim do patrimonialismo, do corporativismo e do clientelismo. É autor de livros de história e política e fundador do Centro de Liderança Pública (CLP), que tem o objetivo de engajar a sociedade na política e formar líderes públicos para fazer reformas e enfrentar os problemas do país. DÁvila foi secretário da Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo.

Alessandro Vieira (Cidadania) – candidatos a presidente 2022

Delegado da Polícia Civil de Sergipe por duas décadas, Alessandro Vieira atualmente é senador e, apesar de ter votado com o governo Bolsonaro em pautas econômicas, com o tempo acabou se tornando um crítico rigoroso do atual presidente. Alessandro é gaúcho e ficou conhecido como delegado por ter mandado prender vários acusados de corrupção. Também participou da CPI da Covid e faz parte do movimento suprapratidário Acredito, que tem como bandeira o combate à polarização política. O combate à corrupção e o fortalecimento da educação devem ser os principais argumentos do candidato a presidente em 2022.

André Janones (Avante)

Deputado federal e advogado especialista em Direito do Consumidor, André Janones foi advogado de famílias carentes em ações de saúde no triângulo mineiro. Também foi líder na greve dos caminhoneiros, em 2018, e, devido à sua atuação como deputado, é um dos candidatos mais populares do pleito deste ano – atualmente, tem mais de 12 milhões de seguidores nas redes sociais. Janones é o candidato a presidente mais jovem de 2022, com apenas 37 anos e suas principais bandeiras são o desenvolvimento científico e tecnológico, renda básica e acesso à saúde universal.

Aldo Rebelo (Sem partido)

O ex-ministro de Coordenação Política e Relações Institucionais; do Esporte; da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Defesa, Aldo Rebelo tem 65 anos e foi deputado federal por seis mandatos, além de ter sido vereador na cidade de São Paulo. Aposta na valorização da democracia, na retomada política e no combate às desigualdades como principais argumentos para concorrer ao Planalto este ano. Rebelo foi relator do Código Florestal Brasileiro, que causou muita polêmica mas foi aprovado (com vetos parciais) pela então presidente Dilma Rousseff. Jornalista, atualmente apresenta a coluna “Pensa Brasil”, na BandNews FM, e também escreve para o jornal “O Liberal”.

Leo Péricles (UP) – candidatos a presidente 2022

Leo é o único negro entre os candidatos a presidente em 2022. Iniciou sua carreira no movimento estudantil em 2000, quando foi presidente da Associação Metropolitana de Estudantes Secundaristas de Belo Horizonte (AMES-BH) e integrante da diretoria da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Também fez parte da união Nacional dos Estudantes (UNE) e lutou pelo direito dos estudantes ao passe livre. A Unidade Popular pelo Socialismo (UP) é o partido político mais recente do Brasil – foi registrado em 2019. Leo foi candidato a vice-prefeito da capital mineira em 2020 e suas bandeiras são a taxação das grandes fortunas e a reestatização de empresas privadas.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes