Joe Biden: Quem é o oponente de Trump que lidera as eleições norte-americanas

Joe Biden é o candidato dos Democratas à presidência dos Estados Unidos em 2020. Único opositor de Trump, ele já foi vice-presidente de Obama. Saiba mais sobre Biden e o que ele pretende fazer pelos norte-americanos.

Nesse ano, a disputa pela presidência dos Estados Unidos está entre Joe Biden e Donald Trump. Biden, que já foi vice-presidente na era Obama, concorre à vaga pelos Democratas, enquanto Trump representa os Republicanos.

 

Como são as eleições presidenciais nos Estados Unidos

Como são as eleições nos Estados Unidos
Imagem: Reprodução / Unsplash

Em 2020, a votação está marcada para o dia 3 de novembro. Essa é apenas uma das etapas das eleições norte-americanas, que são indiretas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Diferentemente do Brasil, nos Estados Unidos o voto não é obrigatório e também não é o voto popular que define o vencedor. Na verdade, a maior influência na vitória está nas mãos dos delegados, que compõem o Colegiado Eleitoral. Na eleição passada, por exemplo, Hillary Clinton teve a maioria dos votos dos eleitores. Mas Donald Trump levou a melhor entre os delegados.

No momento atual, os Estados Unidos possuem 538 delegados no colégio eleitoral. Logo o candidato a presidência precisa ter 270 votos, pelo menos, para conquistar o cargo.

Em resumo, é fundamental o apoio de determinados estados, que possuem os maiores números de delegados. Por isso os candidatos lutam tanto para se dar bem em estados como Califórnia, Flórida e Texas, por exemplo. Isso porque, juntos, eles têm 133 delegados – quase 25% do total.

Em pesquisas realizadas no país todo, Joe Biden aparece à frente de Donald Trump em locais estratégicos, além de ter a maior média nacional das intenções dos eleitores.

 

História de Joe Biden

Joe Biden é o candidato do partido Democrata à presidência nas eleições de 2020. Ele tem 77 anos e nasceu no estado da Pensilvânia.

Filho mais velho de quatro irmãos, Biden vem de classe trabalhadora. A família mudou-se da Pensilvânia para Delaware quando ele tinha dez anos. Isso aconteceu depois que seu pai conseguiu um emprego como vendedor de carros.

Durante sua vida, ele enfrentou tragédias familiares, incluindo a morte de sua primeira esposa e de sua filha de 13 meses em um acidente de carro. Ainda, décadas depois, seu filho Beau morreu de câncer no cérebro aos 45 anos.

 

Fatos sobre a história de Joe Biden
Imagem: Reprodução / Pinterest

 

Em Delaware, Joe Biden se tornou Senador aos 29 anos . Dessa forma, foi um dos mais jovens senadores na história dos EUA. Curiosamente, se eleito ele será o presidente mais velho a assumir o cargo – com 78 anos.

Ele ocupou a vaga no Senado por seis mandatos consecutivos, deixando o Congresso apenas em 2008, para ser o vice-presidente de Barack Obama.

Como vice de Obama, ele se mostrou um grande negociador. Aliás, em uma oportunidade ele convenceu três senadores republicanos a votar a favor de um pacote de estímulo. Assim, conseguiu a aprovação da proposta feita pelo governo em meio à Grande Depressão. Por ele ser um democrata, ter o apoio de republicanos é um grande feito.

 

Perfil do presidenciável

Perfil do candidato à presidência dos EUA
Imagem: Reprodução / Pinterest

Apesar de se posicionar como um democrata, a verdade é que Joe Biden parece mais como um candidato de centro. Assim, atrai tanto democratas, quanto alguns republicanos – além de independentes.

Com uma postura estável, não é exatamente carismático. Contudo, evoca segurança aos eleitores. Essa é uma característica bastante valiosa considerando o cenário mundial de pandemia e economia abaladas.

As principais propostas de Joe Biden para os EUA são:

  • Defender o Obamacare e quer expandir o programa com mais 750 bilhões de dólares.
  • Triplicar o repasse federal para escolas com alunos de menor renda, entre os distritos mais pobres.
  • Além disso, na área de educação, Joe Biden quer destinar US$ 750 bilhões a fim de tornar gratuitas as community colleges – faculdades que oferecem um ensino superior profissionalizante. Também tem intenções de que as universidades públicas passem a ser gratuitas para famílias que ganham até US$125 mil dólares anuais.
  • Biden também considera o perdão de dívidas estudantis para indivíduos de baixa renda e pertencentes a grupos minoritários.
  • Em relação a propostas focadas em meio ambiente, Joe Biden quer fazer com que o país volte a fazer parte do Acordo de Paris (abandonado em 2017 por Trump). Ademais, planeja atuar na redução da emissão de carbono, além de lançar a ousada proposta de que a energia do país seja 100% limpa até 2050.
  • Também promete atuar firmemente na taxação de grandes fortunas. Para as empresas, a tributação sobre os lucros passaria de 21% para 28%. Estima-se que essa medida sozinha geraria uma receita de US$ 1,3 trilhão.
  • Ainda, para pessoas que recebem salários acima de US$400 mil anuais, as taxas subiriam de 37% para 39,6%.

 

Polêmicas envolvendo o candidato Joe Biden

Entretanto, Joe Biden não é reconhecido apenas um bom negociador. Ele também é apontado como um orador com dificuldades, além de estar envolvido em polêmicas sobre assédios sexuais.

 

Gafes nos Discursos

Seus discursos muitas vezes contam com erros de inglês, falas improvisadas e infames. Inclusive, em agosto de 2019 vários jornais noticiaram que Barack Obama havia recomendado que Biden não concorresse à presidência. Isso porque a candidatura poderia “estragar seu legado” por constrangimentos.

 

Em quais polêmicas Joe Biden está envolvido
Imagem: Reprodução / Pinterest

Por exemplo, ainda em novembro de 2019, em um dos debates dos pré-candidatos Joe Biden disse: “Temos que continuar batendo nisso”, se referindo ao problema de violência contra mulheres.

Também recentemente em um evento voltado a eleitores asiáticos e latino-americanos, Biden disse que “crianças pobres são tão inteligentes e talentosas quanto crianças brancas”.

 

Envolvimento em Assédios Sexuais

Também no ano passado, denúncias envolvendo Joe Biden em assédios sexuais vieram à tona. Como o caso de Lucy Flores, por exemplo. Ela alegou que em 2014, após Biden se oferecer para ajudá-la numa campanha política, aproximou-se e beijou a parte de trás de sua cabeça sem seu consentimento.

Logo após, dias depois dessa denúncia, outras mulheres vieram a público. Elas também relataram comportamentos parecidos e inadequados por parte do candidato.

Atualmente, o ex-Vice-presidente se encontra em meio de outro escândalo sexual. Há dois meses, a sua ex-funcionária Tara Reade, disse que ele abusou sexualmente dela em uma ocasião. Até o momento, Joe Biden optou por não se manifestar sobre. Mas sua porta-voz de campanha negou as acusações.

Ademais, outra questão que está em debate público atual é que Biden desempenhou um papel central na aprovação da Lei de Controle do Crime Violento de 1994.

Também conhecida como “Lei do Crime de Biden”, essa lei impôs sentenças mais duras no nível federal. Igualmente, forneceu financiamento para que os Estados construíssem mais prisões, expandissem as forças policiais e operações contra crimes relacionados às drogas.

No entanto, muitas pessoas alegam que o impacto dessa legislação recaiu principalmente entre as minorias, como os negros e pessoas com baixa renda.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes