Ministros demitidos no governo Bolsonaro: 6 mudanças em 24 horas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) iniciou um processo de reforma ministerial em seu governo no dia 29 de março de 2012. Ao todo, seis ministros foram exonerados em menos de 24 horas, e já há comandantes das Forças Armadas sinalizam que vão colocar cargos à disposição. Veja quem são os ministros demitidos no governo Bolsonaro.

As exonerações foram anunciadas por Bolsonaro diretamente nas redes sociais e, em seguida, publicadas no Diário Oficial da União.  As mudanças nos ministérios ocorrem após pressão política do centrão. Saiba o que é o centrão e qual sua influência na política brasileira.

Os ministros foram demitidos no governo Bolsonaro após uma semana em que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), argumentou sobre a necessidade do presidente tomar novos rumos e que a crise da pandemia pode resultar em “remédios políticos amargos”.

Quem saiu do governo Bolsonaro? Veja os 6 ministros demitidos

- PUBLICIDADE -

Foto: divulgação

1 – MINISTÉRIO DA DEFESA

Quem saiu: general da reserva Fernando Azevedo e Silva
Quem entra: general da reserva Walter Souza Braga Netto, atual chefe da Casa Civil

2 – MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES

Quem saiu: embaixador Ernesto Araújo
Quem entra: embaixador Carlos Alberto Franco França, diplomata de carreira

3 – SECRETARIA DE GOVERNO DA PRESIDÊNCIA

Quem saiu: general da reserva Luiz Eduardo Ramos, transferido para a Casa Civil
Quem entra: deputada federal Flávia Arruda (PL-DF)

4- ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO

- PUBLICIDADE -

Quem saiu: José Levi, procurador da Fazenda Nacional
Quem entra: André Mendonça, que já chefiou a AGU no início do governo e está atualmente no Ministério da Justiça.

5 – CASA CIVIL

Quem saiu: General Walter Souza Braga Netto
Quem entra: General Luiz Eduardo Ramos

6 – MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Quem saiu: André Mendonça
Quem entra: Delegado da PF Anderson Gustavo Torres

Saída dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica

Comandantes da Aeronáutica, Antônio Carlos Moretti Bermudez; do Exército, Edson Pujol; e da Marinha, Ilques Barbosa — Foto: TV GLOBO/Reprodução

Além da demissão de 6 ministros do governo federal, o Ministério da Defesa anunciou no dia 30 – um dia depois – a saída dos comandantes das três Forças Armadas: Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Moretti Bermudez (Aeronáutica). Curiosamente, essa é a primeira em 36 anos que os comandantes das Forças Armadas deixam o cargo sem ser em troca de governo. As mudanças no governo de Bolsonaro acontece às vésperas do Golpe Militar de 1964.

- PUBLICIDADE -

Na nota, o ministério não informou o motivo da saída dos comandante. Veja o comunicado na íntegra:

“Ministério da Defesa

Centro de Comunicação Social da Defesa

Nota oficial

Brasília, DF

Em 30 de março de 2021

O Ministério da Defesa (MD) informa que os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica serão substituídos.

A decisão foi comunicada em reunião realizada nesta terça-feira (30), com presença do Ministro da Defesa nomeado, Braga Netto, do ex-ministro, Fernando Azevedo, e dos Comandantes das Forças”. 

Veja as últimas notícias da política brasileira no DCI

- PUBLICIDADE -

Bolsonaro hoje
Comentários (0)
Comentar