Entenda por que o Julgamento de Moro foi adiado

Veja como foram os votos de Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Nunes Marque. O julgamento de Sergio Moro deverá ser finalizado em uma próxima sessão, ainda sem data agendada pela 2º turma do STF.

A 2º turma do STF (Supremo Tribunal Federal) julgou nesta terça-feira o pedido de suspeição do ex-juiz Sergio Moro, apresentado pela defesa do ex-presidente Lula, que teve seu habeas corpus acatado pelo ministro Edson Fachin. Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Nunes Marques apresentaram seus votos, mas o julgamento de Moro não teve conclusão.

Julgamento de Moro

Imagem do ministro gilmar mendes durante julgamento de moro
Gilmar mendes na votação que aconteceu nesta terça-feira, 9 de março.

O primeiro a votar no julgamento de Sergio Moro foi o presidente da Segunda Turma do STF, Gilmar Mendes. Ele, por sua vez, votou a favor do pedido de suspeição e afirmou que o caso foi o “maior escândalo da história”. Em seu discurso, Mendes disse que seu voto descrevia uma “cadeia sucessiva a compromisso de imparcialidade”.

Ricardo Lewandowski também votou a favor da ação de suspeição movida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra Moro. Entretanto, o julgamento não pode ser concluído já que o vote de Nunes Marques foi pela “vista de análise”, que permite que  seu voto seja adiado para uma próxima sessão.

Os outros dois ministros da 2º turma do STF, Cármen Lúcia e Edson Fachin já haviam votado contra a suspeição de Moro em dezembro de 2018. Entretanto, Cármen se manifestou nesta terça-feira, e afirmou que pretende apresentar um novo voto na próxima sessão. Fachin também pode fazer o mesmo, mas não se manifestou sobre.

O que acontece agora?

Agora, a segunda turma do STF deve marcar uma próxima sessão em que Marques Nunes e Cármen Lúcia irão manifestar seus votos. Edson Fachin pode também votar diferente. Segundo informou o UOL e a Folha de S. Paulo, Fachin tentou adiar o julgamento de Moro desta terça. Isso porque para ele, como não existiam condenações necessárias que motivaram o pedido da defesa de Lula, seria desnecessário julgar conduta de Moro, uma vez que as condenações foram anuladas.

Ainda não há uma data oficial do novo julgamento de Moro.

Por que Moro está sendo julgado?

Imagem do ex-juiz sergio moro
Ex-juiz sergio moro (foto: agência brasil)

O julgamento de suspeição do ex-juiz Sergio Moro foi um pedido proferido pela defesa do ex-presidente Lula, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro pela operação Lava Jato. Os famosos casos do tríplex do Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia (SP) levaram o petista a ficar mais de 500 na prisão. Entretanto, em julho de 2019, o site The Intercept Brasil colocou à prova de fogo a imparcialidade de Sergio Moro durante o julgamento de Lula.

O veículo expôs conversas comprometedoras do ex-juiz com o coordenador e procurador Deltan Dallagnol, responsável pela operação Lava Jato. O fato fez com que uma nova investigação fosse feita pela PF, conhecida por “Operação Spoofing”. Conversas no aplicativo Telegram, entre autoridades relacionadas à Lava Jato, reforçaram a defesa de Lula, de que seu julgamento foi parcial.

Leia também:

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.