Trump e impostos: entenda a investigação envolvendo o presidente norte-americano

Segundo a matéria, o então presidente pagou apenas US$ 750 em imposto de renda federal por ano em 2016 e 2017. Isso é muito menos do que a imensa maioria dos norte-americanos paga.

No último domingo, o jornal The New York Times (NYT) publicou uma reportagem investigativa envolvendo o Presidente Donald Trump e impostos não pagos nos últimos 10 anos.

 

Denúncia contra Trump foi feita em época eleitoral ns EUA
Imagem: Reprodução / Unsplash

A pouco mais de um mês das eleições presidenciais dos EUA, o NYT esquentou o clima entre os candidatos ao publicar dados das declarações de Imposto de Renda de Trump. Segundo a matéria, o então presidente pagou apenas US$ 750 em imposto de renda federal por ano em 2016 e 2017. Isso é muito menos do que a imensa maioria dos norte-americanos paga.

Logo, em reação aos dados, o democrata Joe Biden lançou um vídeo de campanha mostrando o quanto pagam de imposto de renda os trabalhadores comuns. Professores primários pagam anualmente em IR US$ 7.239 (R$ 40.805). Ainda, bombeiros pagam US$ 5.283 (R$ 29.779), e enfermeiros, US$ 10.216 (R$ 57.586).

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Ademais, em comparação com uma pessoa muito rica, ele desembolsou cerca de US$ 400 milhões a menos em seus impostos de renda.

A relação de Trump e impostos também é discrepante às de Barack Obama e George W. Bush, por exemplo. Os dois ex-presidentes regularmente pagavam, cada um, mais de US$100 mil por ano — às vezes, muito mais — em impostos de renda enquanto estavam na Casa Branca.

 

O que descobriu a investigação sobre Trump e impostos

 

Os dados levantados pelo jornal The New York Times sugerem que ele utilizou as declarações fiscais de maneira estratégica para deduzir e restituir valores. Na prática, isso quer dizer que Trump declarou milhões em despesas que o livraram de pagar uma quantidade significativa de impostos.

Segundo os relatórios, há despesas listadas como empresariais, mas que na realidade não são: como gastos com seus campos de golfe e sua aeronave particular. Também está nessa categoria cortes de cabelo dele — sendo mais de US$ 70 mil para estilizá-lo durante as gravações de “O Aprendiz”.

Não apenas isso, o mesmo é contabilizado para sua filha Ivanka, que pagou quase US$ 100 mil a um de seus cabeleireiros e maquiadores favoritos.

 

Investigação do NYT envolve Trump e impostos
Imagem: Reprodução / Pinterest

Esse valor que está como despesa, ajudam a reduzir o Imposto de Renda. Ainda, a investigação que envolve Trump e impostos, mostrou que como gasto empresarial está na lista a compra da propriedade de Seven Springs. Um terreno de 80 hectares no estado de Nova York que ele comprou em 1996.

Segundo o site da Organização Trump, o lugar é “um retiro para a família Trump”. No entanto, o presidente classificou o local como propriedade de investimento.

Quer dizer, tudo indica que Trump se usou do abatimento de impostos para benefício pessoal. Afinal, com essa estratégia ele se livrou de uma cobrança de cerca de US$ 2,2 milhões em IPTU desde 2014.

 

Dedução de Impostos nas empresas de Trump

Ainda, outro fator que serviu de manobra para Trump abater impostos foi a declaração de perdas de valores exorbitantes em algumas de suas empresas. Logo, isso serviu para compensar os grandes lucros em outros negócios.

Por exemplo: Trump ganha muito dinheiro licenciando sua imagem pessoal para uso de outras empresas, cerca US$ 427,4 milhões entre 2004 e 2018. Também a Trump Tower dá bons lucros, em torno de US$ 20 milhões anualmente.

 

Trump Tower é uma das empresas do presidente
Imagem: Reprodução / Unsplash

 

Entretanto, em outras empresas da Organização Trump (são 500, aproximadamente), ele declara que perdeu muito dinheiro. Desde 2000, seriam perdas de US$ 315 milhões nos seus campos de golfe e mais de US$ 55 milhões no seu hotel em Washington.

Logo, com a declaração de perdas tão altas, é como se todo o lucro do licenciamento de sua marca, por exemplo, fosse liquidado. Em síntese, na relação de Trump e impostos, se entende que a Organização não recebe dinheiro nenhum e, consequentemente, não precisaria pagar Imposto de Renda.

 

Dívidas exorbitantes

Ademais, ainda há a preocupação de que o presidente se beneficie dos recursos governamentais se reeleito. Afinal, ele acumula grandes dívidas para os próximos anos.

A principal hipoteca da Trump Tower, de US$ 100 milhões, será cobrada em 2022. Logo, se vier a perder a disputa com a Receita sobre uma restituição de 2010, ele poderá dever ao governo mais de US$ 100 milhões (incluindo juros).

Para completar, segundo suas declarações de impostos, Trump parece ser o fiador de empréstimos de US$ 421 milhões, valores que vencerão em até quatro anos.

 

Trump se defende das acusações

No mesmo dia em que publicaram as investigações envolvendo Trump e impostos, o presidente se pronunciou rejeitou as revelações do jornal.

Imediatamente ele disse se tratar de “fake news” e garantiu ter pago impostos no período que a reportagem abordou. Entretanto, não apresentou provas, aumentando as desconfianças dos eleitores.

Também, desde 1970, todos os antecessores de Trump divulgaram suas declarações fiscais. Já o atual presidente não adota a mesma prática. A falta de transparência do atual presidente alimenta especulação sobre a dimensão real da sua fortuna.

Também fomenta imaginação a respeito de potenciais conflitos de interesses entre suas atividades como empresário e como presidente.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes