Obesidade: descubra fatos importantes sobre a doença

Segundo o IBGE, 60% dos brasileiros acima dos 18 anos apresentam excesso de peso. Por isso, é cada vez mais importante desfazer mitos sobre a obesidade e entender como cuidar melhor da saúde.

Os números sobre obesidade no Brasil são cada vez mais preocupantes. Dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE) mostram, por exemplo, que 26% da população com mais de 18 anos estava obesa em 2019. Ou seja, são 41 milhões de pessoas nessa condição. Enquanto isso, o excesso de peso atinge 96 milhões, ou 60% do mesmo grupo etário.

Mas não são apenas os casos que vêm crescendo. Afinal, há ainda muita dúvida e desinformação quando o assunto é ganho de peso. “Muitos pensam que as causas da obesidade dependem exclusivamente de questões pessoais, como preguiça, gula e falta de força de vontade. São suposições que estão em desacordo com as evidências científicas”, esclarece Sophie Deram, PHD em Nutrição.

Apesar de gerar muitas dúvidas e também preconceitos, é necessário entender os fatores que se associam ao problema. Assim, o tratamento se torna mais humano, efetivo e acessível. Confira, então, os principais mitos da obesidade.

obesidade
Imagem: reprodução / Pinterest

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Obesidade é excesso de comida

De acordo com Edivana Poltronieri, especialista em obesidade, o problema vai muito além da alimentação. Há diversas questões – mentais e físicas – que influenciam no sobrepeso. “Quem sofre de ansiedade ou está preocupado, por exemplo, provavelmente vai comer o que vier, sem se importar se é saudável ou não.” Em resumo, a obesidade se refere, em grande parte, à má qualidade da dieta e não à quantidade.

 

Pouca força de vontade

Muitos obesos são taxados de “preguiçosos”. Isso está longe de ser verdade. Afinal, a obesidade é multifatorial. Estresse, desequilíbrio hormonal, medicamentos e genética fazem parte da lista. Por isso, é essencial investigar cada caso.

Além disso, dietas restritivas levam o corpo a pensar que está vivendo uma privação de alimentos. Como resultado, eleva o apetite. E ainda estoca mais calorias por medo de passar fome. Isso não só dificulta o processo de perda de peso, como também está fora do controle pessoal.

 

Genética é o fator predominante

Sim, é verdade que a genética influencia na obesidade, mas essa não é uma regra sem exceções. “Adotar simples mudanças no dia a dia ajudam a diminuir o risco do problema. É o caso de incluir 30 minutos diários de atividades físicas e cuidar da qualidade dos alimentos”, afirma Edivana.

escolhas saudáveis
Imagem: reprodução / Pinterest

 

Obesidade é um estilo de vida

Estudos mostram que o excesso de peso é um problema de saúde que pode surgir em diferentes estágios da vida. “Considerar a obesidade como opção é transferir toda a responsabilidade para o indivíduo. Na verdade, ela envolve questões sociais, culturais, genéticas, emocionais e fisiológicas”, avalia Sophie.

 

Tomar café da manhã protege contra a obesidade

Ainda que seja importante repor as energias depois de uma noite de sono, o ganho de peso vem dos hábitos alimentares e não somente de uma refeição.

 

Apenas dieta e exercícios resolvem o problema

Esse mito é bastante comum. Porém, a verdade é que somente restrição alimentar e atividades físicas não são suficientes. Em geral, para quadros severos de obesidade isso traz apenas resultados modestos que não se sustentam no longo prazo.

“O tratamento deve ser multidisciplinar, com nutricionistas, psicólogos e educadores físicos. As atividades ajudam só de 3% a 5% a emagrecer. E a manter o peso depois que os quilos são eliminados. Por isso, nem sempre fazem parte do plano inicial de tratamento”, revela Edivana.

 

Fast-food é a raiz da obesidade

Segundo a especialista, nenhuma categoria de alimentos causa obesidade sozinha. De fato, o problema é o consumo de muitas calorias por um longo período de tempo. “Comer fast-food vez ou outra não vai engordar. Hambúrguer e fritura não fazem ganhar peso, mas sim a decisão de comer muito e não ter um estilo de vida saudável. Gerenciar esse equilíbrio é o mais importante para evitar o sobrepeso”, conclui.

Fontes
Sophie Deram, PHD em nutrição. Especialista em comportamento alimentar. Edivana Poltronieri, especialista em obesidade. Criadora do método 5S Estilo de Vida Saudável.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes