Vai escolher o seguro de carro? Veja 5 condições que influenciam o preço

Seguro de carro é uma garantia contra roubos e furtos, acidentes graves ou até mesmo custos com manutenção. Ter um seguro é importante para evitar gastos extras com o veículo, além de ser uma maneira de prevenção contra roubo e furto ou em casos de colisões graves.

Ter um seguro de carro é importante para evitar gastos extras com o veículo, além de ser uma maneira de prevenção contra roubo e furto ou em casos de colisões graves. Mas contratar a apólice nem sempre é uma tarefa fácil (e barata).

Isso porque, o tipo de carro que você dirige, sua idade e até mesmo onde você mora podem influenciar o preço final. A seguir, veja o que você pode fazer para economizar na apólice.

Perfil do Condutor para fazer seguro de carro

Para contratar um seguro de carro, é importante saber que o seu perfil também interfere no valor da apólice. Isso porque, essa é um dos riscos previstos de contratação.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a seguradora tem o direito de realizar um questionário de Avaliação de Risco. Além disso, algumas seguradoras concedem descontos ou aumentar o valor do prêmio do seguro, a depender do perfil do contratante.

Essa prática se deve a estatísticas. No primeiro semestre de 2013, o DPVAT (Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) pagou 51% das indenizações para vítimas entre 18 e 34 anos. Além disso, dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que um terço dos acidentes de trânsito tem envolvimento de jovens de até 25 anos.

 

 

Modelo do veículo

Quando mais velho um veículo, mais caras são as peças de reposição. Isso porque, ao longo dos anos, muitos modelos saem de linha de fabricação, por diversos motivos.

Logo, o veículo com mais anos de fabricação possuem apólices mais caras. Um dos fatores é a ausência de peças, ao longo dos anos, que tenham a fabricação e/ou comercialização paralisada pelas montadoras. Dessa forma, estes carros ficam mais propícios a roubo,  com a finalidade de venda de peças de maneira ilegal.

 

Segurança na área de circulação

O número de ocorrências de roubos ou crimes relacionados interferem diretamente no preço da apólice. Logo, se no local de endereço do contratante localiza-se altas taxas de violência, saiba que o preço certamente será maior.

Os valores em relação a violência se alteram anualmente, principalmente quando o seguro precisa ser renovado.

Contudo, ter acessórios de segurança como localizadores, rastreadores, travas de segurança e alarmes sonoros podem baratear sua apólice, já que serão recursos desnecessário na hora da contratação.

Cobertura do seguro de carro

homem segurando um mini-cobertura sobre a miniatura de um carro branco
Foto:Reprodução

A cobertura é outro fator que altera o valor do seguro de carro. Essa garantia segurada tem como finalidade indenizações por consertos, por exemplo.

Dessa forma, os tipos de cobertura se dividem em 4 grupos:

  • Partes do veículo: acessórios, equipamentos, blindagem e carroceria;
  • Serviços: danos a vidros, lanternas, faróis, retrovisores, assistência 24 horas e carro reserva;
  • Pagamentos em dinheiro: despesas extraordinárias e diárias por indisponibilidade do veículo;
  • Ampliação de limites: coberturas, por exemplo.

Confira abaixo, algumas situações em que a cobertura do seguro de carro pode fazer diferença:

Indenização integral

A cobertura de indenização integral ocorre quando há perda total do veículo. Nessa situação, o segurado tem direito a receber o valor de mercado do veículo ou valor determinado em apólice.

No primeiro caso, o recebimento do valor do carro é de acordo com a tabela FIPE. Ela é a principal referência no mercado sobre preços médios dos veículos em território brasileiro.

Já na segunda opção, a indenização é baseada em uma quantia previamente estabelecida na apólice.

Danos a terceiros

Acidentes que causem prejuízos a terceiros, ou seja, pessoas que não estejam dentro do veículo, podem ter cobertura da seguradora. Nessas situações, ocorre o pagamento indenizatório por danos pessoais ou materiais. Porém, a depender do limite da apólice.

Esse  cobertura é chamada também  de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V) e é um complemento para o seguro DPVAT. No entanto, caso os custos com despesas médico-hospitalares forem maiores que a cobertura do DPVAT, então o RCF-V terá que cobrir os gastos. 

 

Franquia de seguro de carro

A franquia nada mais é o valor mínimo para acionar o seguro de carro, em casos de manutenção, danos ou acidentes. No entanto, se o custo necessário for menor que o acordado em apólice, é mais vantajoso arcar com os valores.

Para esclarecer, a taxa do seguro, ou melhor a franquia, é um valor referencial determinada pela seguradora para assumir o conserto do veículo. Neste caso, o custo de conserto é pago em conjunto: a empresa arca com o valor da franquia e o proprietário assume o restante, se necessário.

Existem 4 tipos de franquias de seguro: básica ou comum, reduzida, ampliada e isenta. Dessa forma, o valor da franquia é inversamente proporcional a quantia total da apólice. Ou seja, quando a franquia tem uma taxa mais alta, o seguro é mais barato. Sendo assim, o contratante só acionará a franquia em casos de danos maiores, já que custa mais caro.

Vale ressaltar que em casos de perda total, a franquia é isenta. Isto é, colisões graves, explosão, queda de raio, incêndio ou roubo do veículo sem chances de recuperação.

Informar Erro
Através da RodoBens Susep

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes