Guia Michelin: 9 restaurantes de SP premiados com a estrela

Certamente, uma das principais referências para o universo da gastronomia é o Guia Michelin. O sistema de classificação em até três estrelas premia restaurantes por sua excelência culinária; o levantamento é feito a partir de seis critérios.

Certamente, uma das principais referências para o universo da gastronomia é o Guia Michelin. O sistema de classificação em até três estrelas premia restaurantes por sua excelência culinária; o levantamento é feito a partir de seis critérios. Conheça abaixo quais a avaliação do Guia Michelin para 9 restaurantes paulistanos e entenda mais sobre o guia:

Como surgiu o Guia Michelin?

Criado por André Michelin, o Guia autointitulado foi publicado pela primeira vez em 1900. Embora sua tiragem fosse baixa, a publicação ganhou fama por indicar quais eram os melhores hotéis e restaurantes para viajantes do mercado automobilístico. O criador do guia era extremamente exigente e não indicava qualquer restaurante.

Inicialmente, o guia era distribuído gratuitamente, mas começou a ser cobrado após 1920 – quando André Michelin encontrou um morro de guias sendo utilizados como banco de um mecânico. Para essa decisão, o francês se baseou no princípio de que “o homem só respeita de verdade aquilo que ele paga para ter”. Como resultado, o guia é vendido por cerca de R$ 300.

Quais são os critérios de avaliação para as estrelas Michelin?

O Guia Michelin foi publicado pela primeira vez em 1900

Conforme Derek Bulmer, editor-chefe do Guia Michelin na Europa, existem seis critérios chave para a avaliação dos restaurantes. São eles:

  • qualidade dos ingredientes 
  • habilidade no preparo 
  • combinação de sabores 
  • níveis de criatividade; incluindo a personalidade do chef 
  • consistência dos padrões culinários; tanto do menu completo quanto da comida durante o ano
  • custo-benefício

A avaliação é feita de 1 a 3 estrelas, mas também existem as categorias Bib Gourmand (melhor custo-benefício) e Prato Michelin (restaurante recomendado). Surpreendentemente, nenhum restaurante do Brasil possui três estrelas; mas a cidade de São Paulo possui nove restaurantes com avaliação entre uma e duas estrelas. 

Restaurantes com duas estrelas Michelin em SP

Ryo

O restaurante Ryo é um dos únicos do Brasil a possuir duas estrelas pelo guia. Foto: Divulgação/Ryo
O restaurante Ryo é um dos únicos do Brasil a possuir duas estrelas pelo guia. Foto: Divulgação/Ryo

Conforme o Guia Michelin, o melhor restaurante de SP oferece “um conceito superlativo da gastronomia japonesa! Surpreende pela sua estética minimalista, com uma utilização de madeira que nos conecta com a natureza, dois pequenos jardins zen e um balcão exclusivo para oito clientes, o que transforma o chef Edson Yamashita, no grande protagonista. Sua cozinha impressiona pela excelente qualidade dos produtos e pelas técnicas utilizadas, cujo objetivo é destacar as texturas e os sabores. Reserve com antecedência!”

D.O.M. – Guia Michelin

Embora seja repleto de recomendações da culinária japonesa, o Guia premiou o restaurante D.O.M (comida brasileira) com duas estrelas. Foto: D.O.M.

“Com certeza, Alex Atala é o chef brasileiro mais conhecido internacionalmente, um status merecido graças a propostas que… sempre têm algo a dizer! Concebe a cozinha brasileira como “um sonho viável”; contemporâneo, mas também comprometido com as raízes culinárias do país, pois seus menus degustação (alguns vegetarianos) utilizam ingredientes nativos (Tucupi, Jambu, Palmito Pupunha, etc. ) elaborados a partir da gastronomia amazônica e indígena anterior ao Descobrimento’, explica o Guia ao coroar o restaurante como um dos melhores do mundo.

Restaurantes com uma estrela Michelin em SP

Evvai

Conforme o guia MIchelin: “a história do chef Luiz Filipe Souza mostra, acima de tudo, o que significa ter fé em si mesmo e no trabalho, a chave do sucesso. Aqui, você vai encontrar área de espera, uma elegante sala principal com acesso à cozinha e uma proposta italiana com duas vertentes, uma mais tradicional nos pratos à la carte e outra mais inovadora nos menus degustação. Recomendamos o menu Oriundi, de nove etapas, que combina a cozinha italiana moderna e a brasileira atual.” Embora esteja fechado presencialmente, o restaurante oferece delivery (confira o vídeo acima para saber mais).

Huto – Guia Michelin

“Qualidade extrema em um local pequeno e dirigido pessoalmente, pelo atencioso proprietário. Neste restaurante, deixe-se guiar pelo chef e escolha um dos menus Omakase sugeridos (Omakase = deixar-se aconselhar). Confiando totalmente no anfitrião, peça o número três: o chef lhe oferecerá diferentes pratos, todos escolhidos por ele, até que você esteja satisfeito. Nesta extraordinária experiência, será você quem determinará as quantidades servidas!”, avalia o Guia sobre a comida japonesa deste restaurante.

Jun Sakamoto

“Leonardo Jun Sakamoto irradia personalidade e deixa sua marca inconfundível neste peculiar restaurante, por não exibir nenhuma indicação exterior. Aqui realizam, possivelmente, os melhores nigiris da cidade e a melhor forma de saborear tudo isto é sentar-se no balcão de sushi para admirar a arte do chef em sua elaboração ou também com a habilidade de seu braço direito Ryuzo Nishimura (o preço pode variar conforme o chef)”, explica o guia a dar uma estrela. 

O guia de origens francesas também reforça que a reserva de lugares “é imprescindível”. 

Kan Suke – Guia Michelin

Kan Suke é mais um dos incríveis restaurantes de São Paulo que foca na culinária japonesa; certamente uma das favoritas dos críticos do Michelin. 

“Este minúsculo japonês demonstra a razão pela qual, muitas vezes… os melhores perfumes estão nos menores frascos! Localizado em uma simples galeria comercial, é preciso prestar atenção para não passar sem perceber essa jóia da gastronomia japonesa. O destaque de sua cozinha são os sushis, preparados de forma magistral e com um equilíbrio especial de sabores de atum, enguia, ouriço-do-mar, sardinha, etc… E para sobremesa? Aqui não há opções, apenas seu clássico Pudim”, avalia o site do Guia Michelin.

Kinoshita

Kinoshita é mais um dos restaurante focado em culinária japonesa presentes no guia. Foto: Michelin Guide

Surpreendentemente (ou não), mais um restaurante do guia é focado na culinária de origens japonesas. Conforme o guia, este restaurante “foi o primeiro que apostou na cozinha Kappo para levar aos brasileiros a gastronomia japonesa mais pura e autêntica, mostrando níveis de excelência em sua vertente Washoku: produtos de temporada, apresentações impecáveis e uma harmonização perfeita dos ingredientes. Predominam os nigiris, mas também encontramos sashimis, temakis, yaimons (grelhados), etc… tudo com finas texturas, elegância e muitíssimo sabor.” Você pode até não ser tão fã de comida japonesa, mas um restaurante como esse pode mudar sua opinião.

Maní

Embora mostre uma tendência por restaurantes japoneses, o guia também premia iniciativas inovadoras dentro da culinária brasileira. Conforme o guia, Maní é “uma casa que exala… paixão absoluta pela cozinha! Surpreende na estética ao entrar, dado que é personalizada por uma decoração contemporânea que brinca com tons off-white e o uso de diferentes materiais de construção. Tudo para conceber um espaço criativo aberto ao prazer gastronômico. Liberte os seus sentidos frente aos pratos de gosto atual que, com base em sabores marcantes e texturas magníficas, sempre sublimam os produtos brasileiros.”

Picchi – Guia Michelin

Por último, mas não menos importante, há o restaurante Picchi. Neste restaurante “em um ambiente clássico/atual bem cuidado, o chef Pier Paolo Picchi recorda suas memórias de infância através de uma cozinha transalpina, de sabores bem definidos, com toques de autor e a interessante contribuição de ingredientes brasileiros. Prove o Pici (massa artesanal típica da Toscana) com molho de linguiça calabresa, feijão branco e peperoncino.” Certamente, vale investir em uma reserva para experimentar e deliciosa comida.

Aniversário de São Paulo: 12 lugares para provar a gastronomia paulista

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes