Saiba o que é ‘stalking’ e por que vai ser criminalizado no Brasil

Senado Federal aprovou o crime de stalking, que deve ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro. O texto do projeto de lei passou por mudanças importantes, e agora stalkers terão que pagar pena maior.

Um novo projeto de lei do Código Penal está para ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No último dia 9 de março, o Plenário do Senado aprovou a prática conhecida como “stalking” como crime de perseguição. O texto passou pela Câmara, que endureceu a pena para o crime.

Segundo informações da Agência Senado, o projeto de número 1.369/2019, ganhou por unanimidade, com 74 votos favoráveis. Agora, a PL segue para sanção presidencial. Para entender melhor que é stalking e como o crime vai ser configurado perante ao Código Penal, confira abaixo algumas informações que o DCI separou sobre o assunto:

O que é stalking?

Stalking: entenda o que é o termo e porque é crime
(Reprodução / Pexels)

O termo do vocabulário inglês vem da palavra “stalk”, que em português pode ser traduzida e entendida como: perseguir, atacar ou estar à espreita. O stalking nada mais é que a atitude de observar alguém, e assim, coagir a pessoa, ferindo sua intimidade, privacidade e até mesmo atacando a sua liberdade de ir e vir.

No mundo virtual, um “stalker” é aquela pessoa que sabe de todas as informações somente observando páginas e perfis nas redes sociais. Os jovens, por exemplo, usam o termo para se referirem ao ato de “investigar” a vida de uma pessoa só por suas contas na internet. No entanto, assim como o stalking pode se limitar a essa brincadeira, também pode ser um crime grave de perseguição, deflagrado tanto por meios físicos ou virtuais.

De acordo com uma publicação do JusBrasil, da Comunidade de Advogados, a vítima de stalking pode se sentir “coagida e ameaça” sendo por “ligações telefônicas, mensagens, e-mails” e também pessoalmente, se o stalker a seguir durante sua rotina

Stalking agora é crime

A senadora Leila Barros (PSB-DF) foi a responsável por defender mudanças na PL 1.369/2019, que até então não tipificava “stalking” como crime. A versão do projeto de lei do Senado previa a pena de seis meses a dois anos, agora, após passar pela Câmara dos Deputados, a lei endureceu as normas. A aprovação do projeto foi dedicado à Verlinda Robles, vítima de um caso “stalking” em 2018 que a levou a mudar de estado.

Quantos anos de pena?

O texto aprovado pelo Congresso Nacional, e que deve ser sancionado por Bolsonaro, determina que a pena de quem comete stalking pode ser aumentada pela metade caso o crime seja cometido contra crianças, adolescentes, idosos ou mulheres, esta última por questões de gênero.

A pena para quem comete tal crime pode variar de 6 meses a 2 anos, com cumprimento em regime fechado. Há uma multa cumulativa à pena. Se o agressor praticar o stalking com armas de fogo a pena também pode ser aumentada.

Como denunciar?

Assim como qualquer outro crime, o stalking pode ser denunciado através de canais oficias das autoridades, tais como o próprio boletim de ocorrência da polícia militar.

Fonte: Agência Senado, JusBrasil

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes