IGP-M acumulado atinge 24,25% em 12 meses, diz FGV

O IGP-M é a taxa de parâmetro para reajuste de contratos, como aluguéis, planos de saúde e serviços de educação. Calculado pela FGV.

O IGP-M, Índice Geral de Preços – Mercado, subiu para 3,05% em seguda prévia de novembro. Isso porque o índice teve influência da alta dos preços de produtos no atacado. Os dados foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (18).

Sendo assim, o IGP-M acumula a taxa de inflação de 24,25% em 12 meses, ou seja, o valor maior que a projeção do mês anterior. A taxa acumulada na segunda prévia de outubro era de 20,56%, quando a inflação atingiu 2,92%.

Além disso, a alta da taxa de outubro para novembro ocorreu pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), com registro da taxa de 3,98% em novembro. Ou seja, o valor é superior aos 3,75% de outubro.

Contudo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC)  teve queda na taxa de inflação, ao passar de 0,71% na prévia de outubro para 0,51% na prévia de novembro. A inflação do Índice Nacional de Custo da Construção também registrou taxa inferior ao mês de outubro, com 1,38% em novembro.

O que é o IGP-M?

O Índice Geral de Preços – Mercado é a taxa de referência para a correção de valores de contratos, como por exemplo aluguéis de imóveis, educação e planos de saúde. Também, utilizado por empresas de telefonia e energia elétricas para reajustes de tarifas anuais.

Sendo assim, o IGP-M tem influência da cotação do dólar, além das cotações internacionais de produtos primários, ou seja, commodities e metais.

Além disso, o IGP-M reúne outros índices que servem de base para diversos setores da economia. Dessa forma, integra o Índice de Preços ao Produtos Amplo (IPA) para matérias-primas brutas, ou seja, as commodities, O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em relação aos produtos, observando as taxas da inflação. Mas também, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) que serve de base para a construção civil.

Por fim, o IGP-M tem cálculo mensal pela Fundação Getúlio Vargas (FGV),

 

Leia também

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.