Ministério da Economia registra 349 mil de empregos formais em outubro

O índice registra o quatro mês consecutivo de recuperação dos empregos no país. É a maior taxa já registrada desde 1992.

A recuperação dos empregos pode ser um sinal de melhoria na economia brasileira. O mês de outubro registro a assinatura de mais de 394,9 mil carteiras de trabalho. Sendo assim, integra o quarto mês consecutivo de geração de empregos formais.  A divulgação dos dados aconteceu hoje (26) pelo Ministério da Economia.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), registrou-se o resultado recorde para o mês, a maior desde 1992. Contudo, no acumulado do ano, o saldo está em déficit.

Em geral, a alta no índice de empregos formais se deve a abertura de vagas em quatro dos cinco setores de atividades econonômicas. Sendo assim, o setor de serviços com maior taxa de admissão. Em seguida, comércio, indústria e construção.

O secretário do Trabalho, Bruno Silva Dalcolmo disse que o recorde é resultado da retomada econômica, em relação ao primeiros meses da pandemia, ou seja, março e abril.  “No momento de reabertura da economia, de retomada forte como está acontecendo agora, isso documentado por gastos de cartão de crédito, de energia elétrica, falta de matéria-prima, é natural que as admissões crescessem em ritmo mais forte do que as demissões.”

Recuperação dos empregos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, quanto à recuperação dos empregos e assim, maior número de assinaturas de carteira de trabalho, tem uma visão otimista. Para ele, há a possibilidade de recuperar os empregos perdidos no início da pandemia de covid-19.

“A pandemia atingiu tragicamente as famílias brasileiras, derrubou os empregos, atingiu pessoalmente todos nós. Mas reagimos com resiliência, soubemos fazer o distanciamento social para proteger as nossas vidas e, ao mesmo tempo, manter a economia girando para proteger os nossos empregos e nossas empresas.”

Ademais, em coletiva virtual para apresentação dos resultados do Caged, Guedes ainda acrescentou que “podemos terminar o ano perdendo zero de empregos no mercado formal. Nesta recessão, que nos jogou ao fundo do posso, não perdemos o rumo, nos levantamos, e estamos criando empregos em alta velocidade”.

Por fim, o ministro reforçou que a economia brasileira segue em rápida recuperação. “Desde 1992, o Brasil não criava tantos empregos em um mês. A economia continua retornando em V [rápida recuperação], gerando emprego em um ritmo acelerado”, disse Guedes.

*Com informações de Agência Brasil

 

Leia também

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.