Ministério da Economia registra 349 mil de empregos formais em outubro

O índice registra o quatro mês consecutivo de recuperação dos empregos no país. É a maior taxa já registrada desde 1992.

A recuperação dos empregos pode ser um sinal de melhoria na economia brasileira. O mês de outubro registro a assinatura de mais de 394,9 mil carteiras de trabalho. Sendo assim, integra o quarto mês consecutivo de geração de empregos formais.  A divulgação dos dados aconteceu hoje (26) pelo Ministério da Economia.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), registrou-se o resultado recorde para o mês, a maior desde 1992. Contudo, no acumulado do ano, o saldo está em déficit.

Em geral, a alta no índice de empregos formais se deve a abertura de vagas em quatro dos cinco setores de atividades econonômicas. Sendo assim, o setor de serviços com maior taxa de admissão. Em seguida, comércio, indústria e construção.

O secretário do Trabalho, Bruno Silva Dalcolmo disse que o recorde é resultado da retomada econômica, em relação ao primeiros meses da pandemia, ou seja, março e abril.  “No momento de reabertura da economia, de retomada forte como está acontecendo agora, isso documentado por gastos de cartão de crédito, de energia elétrica, falta de matéria-prima, é natural que as admissões crescessem em ritmo mais forte do que as demissões.”

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Recuperação dos empregos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, quanto à recuperação dos empregos e assim, maior número de assinaturas de carteira de trabalho, tem uma visão otimista. Para ele, há a possibilidade de recuperar os empregos perdidos no início da pandemia de covid-19.

“A pandemia atingiu tragicamente as famílias brasileiras, derrubou os empregos, atingiu pessoalmente todos nós. Mas reagimos com resiliência, soubemos fazer o distanciamento social para proteger as nossas vidas e, ao mesmo tempo, manter a economia girando para proteger os nossos empregos e nossas empresas.”

Ademais, em coletiva virtual para apresentação dos resultados do Caged, Guedes ainda acrescentou que “podemos terminar o ano perdendo zero de empregos no mercado formal. Nesta recessão, que nos jogou ao fundo do posso, não perdemos o rumo, nos levantamos, e estamos criando empregos em alta velocidade”.

Por fim, o ministro reforçou que a economia brasileira segue em rápida recuperação. “Desde 1992, o Brasil não criava tantos empregos em um mês. A economia continua retornando em V [rápida recuperação], gerando emprego em um ritmo acelerado”, disse Guedes.

*Com informações de Agência Brasil

 

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes