Quanto ganha uma jogadora de futebol feminino do Corinthians?

Jogadoras ainda enfrentam problemas como diferença salarial e também nas premiações entre masculino e feminino

Mesmo com o crescimento do futebol feminino no cenário brasileiro, a categoria ainda sofre com desigualdades desde investimentos até os valores destinados para as premiações. Em 2021, o Corinthians ganhou o Paulistão, o Campeonato Brasileiro e a Libertadores, provando ser o melhor elenco em atividade. Diante disso, a curiosidade dos torcedores aumentou para saber quanto ganha uma jogadora de futebol feminino do Corinthians.

Quanto ganha uma jogadora do Corinthians do futebol feminino?

O Corinthians, melhor clube em atividade no futebol feminino em 2021, não divulga o salário de nenhuma de suas jogadoras. No entanto, é fácil identificar que os números são obviamente menores do que os do masculino.

De acordo com o jornalista Jorge Nicola, através de seu blog no Yahoo, divulgou no fim de 2020 que o valor do elenco feminino por temporada era de 5 milhões de reais. Esse valor é significativamente menor do que o salário do goleiro Cássio, por exemplo, que fatura por mês R$ 14 milhões.

A folha da equipe feminina até o fim de 2020 era de R$385 mil mensais, segundo Nicola, além de contar com apoio de patrocinadores e parceiros para pagar a conta.

É importante ressaltar que esses valores são destinados para as jogadoras do Corinthians, time de expressão no cenário feminino e com muitos recursos. Do outro lado, atletas de equipes pequenas chegam a ganhar até mil reais por mês, sem patrocínio e direitos de imagens.

Jogadoras sem contrato e carteira

A diferença não fica só no salário, os problemas no futebol feminino são diversos. O blog Dibradoras revelou em janeiro de 2020 algumas das principais dificuldades vividas por jogadoras no cenário brasileiro.

Mesmo se o time estiver em alta enquanto briga por título, o contrato das atletas no Brasil dura apenas um ano, sem a carteira assinada. No Corinthians, isso mudou em 2019, com a melhora de investimentos e recursos vindo da Diretoria.

Além disso, o blog também ressaltou que o vínculo entre a jogadora e a equipe praticamente não existe, isto é, se o clube decide vender ou emprestar a jogadora, a negociação acontece de maneira rápida e direta onde as duas partes negociam entre si.

Existe também o fato de que equipes dispensam facilmente jogadoras ao fim da temporada, chegando até mais de 10 jogadoras por ano, diferente do masculino onde isso só acontece em casos extremos. Nessas situações, a atleta quase não recebe todos os seus direitos.

Diferença nas premiações de títulos entre feminino e masculino

Assim como a diferença no salário, patrocínios e cotas televisivas, as premiações do futebol feminino e masculino apresentam grande diferença. Com a conquista do Brasileirão, o time feminino do Corinthians embolsou R$290 mil como recompensa da CBF por terminar em primeiro lugar. O Palmeiras, vice-campeão, ganhou 190.

Se comparado aos anos passados, os valores subiram. No entanto, ainda são menores do que o do masculino, onde é apenas 0,87% dos 33 milhões recebidos pelo time campeão da Série A, não chegando nem a 1%.

Na Libertadores novamente a desigualdade fica escancarada. No feminino as campeãs garantem 469 mil, enquanto no masculino recebe mais de 120 milhões em reais ao todo.

Confira os valores das premiações do masculino e feminino, segundo dados da CBF.

 

FEMININO

1ª fase – R$ 25 mil
2ª fase – R$ 30 mil
3ª fase – R$ 35 mil
Vice-campeão – R$ 100 mil
Campeão – R$ 200 mil

 

MASCULINO

1º lugar – 33 milhões
2º lugar – 31,3 milhões
3º lugar – 29,7 milhões
4º lugar – 28 milhões
5º lugar – 26,4 milhões
6º lugar – 24,7 milhões
7º lugar – 23,1 milhões
8º lugar – 21,4 milhões
9º lugar – 19,8 milhões
10º lugar – 18,1 milhões
11º lugar – 15,5 milhões
12º lugar – 14,6 milhões
13º lugar – 13,7 milhões
14º lugar – 12,8 milhões
15º lugar – 11,9 milhões
16º lugar – 11 milhões

 

Leia também:

Quanto ganha o vice-campeão da Copa do Brasil? Veja a premiação

Você pode gostar também