Eleições 2022: quais são os partidos que apoiam Bolsonaro?

O DCI lista quais agremiações são as que representam a base parlamentar do presidente

Partidos que apoiam Bolsonaro podem ser determinantes para a próximas eleições gerais no Brasil. Seja por se posicionarem a favor do mandatário, ou contrariamente aos rivais, essa análise é muito importante para a definição da política brasileira.

Atualmente, o presidente, Jair Bolsonaro, está sem partido. Entretanto, ele está em negociações com o Patriota e outras agremiações. Dessa forma, ele também quer definir qual será seu vice no ano que vem.

Vale lembrar que seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (RJ), se filiou a esse partido na metade do ano. Além disso, ele destacou que quer unir pelo menos cinco legendas para o pleito.

Que partidos Bolsonaro pode se eleger?

Um dos partidos que mais apoiam o presidente é o Partido Progressista (PP). O presidente é o senador Ciro Nogueira, do Piauí, que tem defendido Bolsonaro durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19.

Além disso, o presidente da Câmara dos Deputados Federal, Arthur Lira, do Alagoas, é outro aliado importante. Eleito com apoio presidencial, ele tem aprovado pautas caras à gestão do governo federal, e recusado pedidos de impeachment.

O cientista político e professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Daniel Estevão de Miranda, explica ao DCI que esses apoios são importantes para como o governo é atualmente. No entanto, outros fatores vão dizer o que esperar das próximas eleições.

“Quando chega nas eleições presidenciais, os partidos não mudam a sua lógica. Continuam pensando no ganho a curto e longo prazo, de candidaturas que parecem minimamente com chance de vitória, ou que pelo menos podem ir para um segundo turno. Se a candidatura não decolar, erosar a população, com certeza esses partidos no governo vão apostar em outras alternativas, nem que seja no primeiro turno”.

Vale lembrar que nas últimas eleições municipais, disputadas em 2020, o PP elegeu 685 prefeitos e prefeitas, registrando um aumento de 38% em relação ao ano anterior. Com verba eleitoral de R$ 140 milhões, quase 80% maior que o do Patriota (R$ 27 milhões), essa pode ser uma alternativa para a candidatura.

Por fim, vale ressaltar que os ministros Tereza Cristina e Fábio Faria, da Agricultura e das Comunicações, respectivamente, também cogitaram se filiar ao partido.

Lista de partidos que apoiam Bolsonaro

Segundo o painel Radar do Congresso, elaborado pelo Congresso em Foco, 12 partidos são “fieis” de Bolsonaro na Câmara dos Deputados.

Esse índice é medido com base na aprovação de projetos, orientadas pelo governo federal. Ao todo, são pelo menos 318 deputados federais em alinhamento com o presidente, cerca de 61%.

“Mesmo que não apoie formalmente, oficialmente não declare apoio, tendem a convergir em termos de votação do plenário”, explica Miranda. “Esses partidos ocupam espaço no governo. Quando há uma proposta, quem elaborou? As próprias pessoas ligadas a esses partidos. Isso é esperado, é coerente, que é uma dinâmica muito regida na governabilidade”, completa.

Sendo assim, veja quais estão mais próximos:

  • Partido Social Liberal (PSL) – 97%
  • Patriota – 94%
  • Democratas (DEM) – 93%
  • Partido Social Cristão (PSC) – 93%
  • Novo – 92%
  • Partido Social Democracia Brasileira (PSDB) – 92%
  • Movimento Democrático Brasileiro (MDB) – 91%
  • Progressistas (PP) – 91%
  • Republicanos – 91%
  • Partido Liberal (PL) – 90%
  • Partido Social Democrata (PSD) – 90%
  • Por fim, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) – 90%

Na metade da lista, nem tão próximos mas não muito distantes, há o Solidariedade (SD), com 89%; o Cidadania, com 87%; o Podemos, com 77%; o Partido Republicano da Ordem Social (Pros), com 75%; o Avante, com 74%; por fim, o Partido Verde (PV), com 68%.

Bolsonaro é do PSL?

Em 2019, Jair Bolsonaro rompeu com o PSL. No entanto, ele ainda mantém contato com figuras ligadas à sigla. Assim, um eventual retorno até já entrou em cogitação. Contudo, há uma ala opositora dentro da agremiação que não quer essa possibilidade.

Vale lembrar que o PSL tem a maior bancada da Câmara, do mesmo tamanho que a do Partido dos Trabalhadores (PT). Dessa forma, o tempo de televisão e fatia do Fundo Eleitoral são maiores.

“Partidos que apoiam hoje, não estão negociando com nenhum partido, com ninguém, mas sim com o próprio Bolsonaro. Mas ele depende deles para a campanha, para recursos. É uma relação de mão dupla”, ressalta o cientista político, Daniel Estevão de Miranda.

Segundo a Gazeta do Povo, ao menos 30 deputados do PSL já sinalizaram se aliar a Bolsonaro no Patriota, se ele for. Assim, se houver uma aliança com o PSL, isso nem seria necessário.

No entanto, o presidente do partido que elegeu o atual líder brasileiro, Luciano Bivar, tem tido desavenças com ele. Dessa forma, estuda-se uma relação com outras legendas do centro.

Qual o partido dos filhos do Bolsonaro?

Ainda que o pai esteja sem partido, seus três filhos ligados diretamente à política estão, cada um, em um lugar.

Dessa forma, Flávio Bolsonaro está eleito senador do Rio de Janeiro pelo Patriota. Além disso, o vereador Carlos Bolsonaro está filiado no Republicanos. Por fim, o deputado federal Eduardo Bolsonaro se mantém fiel ao PSL.

Vale lembrar que o Republicanos, partido ligado com a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), chegou a ter algumas rusgas com a atual gestão federal. Isso ocorre por conta de um entrave diplomático com a Angola.

Ainda assim, o bispo Edir Macedo – líder da IURD – segue apoiando Bolsonaro.

PTB ou PL

O PTB, então chefiado pelo ex-deputado Roberto Jefferson, condenado pelo mensalão, chegou a ser cogitado como o partido para o presidente se filiar. No entanto, negociações não continuaram. Ainda assim, essa legenda pretende se aliar na campanha de 2022.

Já o Partido Liberal (PL), comandado pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto, também julgado pelo mensalão, teve um flerte. Entretanto, não há atualizações sobre uma eventual filiação. O PL também é forte aliado de Bolsonaro, já que a Secretaria de Governo é chefiada pela deputada Flávia Arruda (PL-DF).

Além disso, o governador do Rio, Claudio Castro e o pré-candidato ao governo de Santa Catarina, o senador Jorginho Melo, ambos do PL, declararam apoio.

Quantos partidos teve Bolsonaro?

Bolsonaro foi vereador pela cidade do Rio de Janeiro, em 1988, pelo Partido Democrático Cristão (PDC). Em seguida, se elegeu deputado federal, em 1990, pelo mesmo partido.

Posteriormente, pelo Partido Progressista Reformador (PPR), deu continuidade ao mandato. De 1998 até 2014, continuou no cargo pelo que hoje é o Progressistas.

Em 2018, elegeu-se presidente pelo PSL, onde se desfiliou no ano seguinte. Atualmente, segue sem partido.

Quais são os partidos de oposição ao governo?

Dentre os partidos que têm menos de 50% do índice de governismo, mensurado pelo Congresso em Foco, estão o:

  • Partido Democrático Trabalhista (PDT) – 48%
  • Partido Socialista Brasileiro (PSB) – 46%
  • Rede – 36%
  • Partido Comunista do Brasil (PCdoB) – 29%
  • PT (20%)
  • Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) – 15%
Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes