Carros movidos a energia solar são chaves para o futuro

O Reino Unido se destaca no contexto de evolução do setor elétrico global e apresenta interessante debate de como os veículos elétricos podem contribuir com a capacidade de armazenagem complementar às fontes de energia intermitente solar e eólica.

Do Reino Unido vem uma interessante discussão sobre como deve ser o futuro da energia. A predominância de energia renovável com baterias já ficou para trás. Agora, a discussão reside sobre qual a melhor configuração dessa integração. Avançar com grandes sistemas de baterias estacionárias ou pegar carona nas baterias dos veículos elétricos? Saiba mais sobre os carros movidos a energia solar.

 

1 – Avanço da energia solar e eólica – Carros movidos a energia solar

Primeiramente, o Reino Unido apresenta avanços importantes: possui mais de um milhão de consumidores de energia solar distribuída. Além disso, implementou a maior capacidade instalada de energia eólica offshore do mundo. Finalmente, conseguiu eliminar de modo eficaz a geração de energia a carvão. No entanto, a transição de uma fonte de energia tradicional e confiável como o carvão para fontes intermitentes como solar e eólica trazem consigo novos desafios para equilibrar a oferta e demanda todo instante. Nesse ponto, entram em cena, os sistemas de armazenagem de grande escala que podem regular a oferta e demanda e melhorar o controle da rede elétrica.

Carros movidos a energia solar

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

2 – soluções de armazenagem de energia de grande escala

O Reino Unido já possui 1GW de unidades de armazenagem em operação e possui projetos de expansão adicional de 13,5GW em desenvolvimento. A meta é ambiciosa: atingir emissões zeradas até 2050. Nesse sentido, a trajetória de expansão da energia solar e eólica deve avançar nos próximos anos e a grande discussão é sobre a contribuição de capacidade de armazenagem que virá das garagens e estacionamentos.

 

3 – Agregar as baterias dos veículos elétricos à rede elétrica

Os veículos híbridos e elétricos já respondem por 10% das vendas no Reino Unido. Nesse sentido, os veículos elétricos tem uma contribuição importante para a meta. Isto por que o setor de transporte é o principal emissor de CO₂, produzindo 1/3 de todas as emissões de CO₂ no Reino Unido.

 

No entanto, os veículos elétricos quando plugados para recarga, permitem que a rede de eletricidade acessem sua bateria. Quando muitos veículos elétricos estão conectados à rede, tem-se um grande sistema de bateria agregada, que pode complementar a solução de baterias estacionárias. Um cálculo preliminar de potencial de escala da solução impressiona. Se os mais de 38 milhões de veículos do Reino Unido fossem elétricos, a capacidade potencial de armazenagem agregada poderia checar a 220GW.

 

4 – Novos modelos de negócios com incentivos corretos

Dado o avanço dos carros elétricos em toda a Europa, ajudada pela queda dos preços das baterias de mais de 85% na última década, a avaliação de como aproveitar esse potencial extra de armazenagem é imperativo. Além disso, é interessante notar, que o investimento na capacidade de armazenagem é realizado pelos compradores de veículos elétricos. A origem do recurso financeiro pode abrir possibilidades e contribuir com todo o sistema elétrico local.

Consequentemente, novos modelos de negócios poderão ser formulados de forma a remunerar de forma adequada todos os envolvidos nessa cadeia de valor. Claramente, a tecnologia é nova e gerenciar esse fluxo de recarga em mão dupla e comunicação com cada veículo traz desafios para esse sistema de controle agregador.

Sistemas mais simples como por exemplo, o demonstrador da Nissan com a integração em uma residência com painel solar no telhado e a bateria do carro abastecida durante a noite na garagem já estão sendo testados. Por exemplo, a versão mais recente do Nissan LEAF tem uma bateria de 62 kWh que pode jogar energia de volta para a rede elétrica suficiente para atender uma residência por dias e permitir economias de no mínimo 120 libras por ano.

 

5 – inspirar outros a seguir o bom exemplo

Para nós brasileiros, é interessante acompanhar a evolução dos europeus e as lições aprendidas. O potencial de geração solar centralizada e distribuída no país é tão grande que impulsionará a demanda por soluções de baterias. Nesse sentido, diversas empresas estão estudando e testando soluções pontuais em projetos piloto. A Sunwise, empresa especializada em geração solar distribuída, também está avaliando alternativas tecnológicas e integração com soluções digitais de blockchain. Apostas para o futuro que se aproxima a passos rápidos.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes