Estiagem pressiona geração termelétrica e eleva conta de luz

A estiagem pressiona o setor elétrico. Afinal, a redução do volume de chuvas neste verão provocou a queda dos reservatórios das grandes hidrelétricas. Nesse sentido, a solução veio da geração termelétrica que depende de combustíveis como óleo e gás natural. No entanto, ela é mais cara e a conta chega para todos os brasileiros com aumentos nas contas de luz.

 

Quão grave é a situação das grandes hidrelétricas?

A diminuição do volume de chuvas neste verão pressionou a geração elétrica em duas das maiores usinas hidrelétricas do país. A quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas registrou o pior cenário em 91 anos de histórico.

A escassez de chuva aconteceu justamente entre o final de 2020 e o início de 2021 (período úmido) nas regiões Sudeste e no Centro-Oeste, que abrigam as principais hidrelétricas do país.

Na 5a feira (11/3), os reservatórios dessas regiões estavam com 32,5% de sua capacidade de armazenamento, um dos piores índices desde 2015. A série histórica mostra que há dez anos esse valor não supera os 80%.

Na usina de Belo Monte no estado do Pará, por exemplo, IBAMA e Norte Energia chegaram a um acordo no começo de fevereiro para manter uma vazão mais baixa ao longo de 2021. Em troca, tem-se ações da empresa para minimizar os impactos da usina no trecho de vazão reduzida do rio Xingu.

No entanto, segundo a ONS, a matriz elétrica brasileira é diversificada e não há risco de desabastecimento de energia elétrica no país.

 

Como é a solução de geração termelétrica na estiagem?

A quantidade de energia gerada por usinas termelétricas em janeiro deste ano foi a maior para o mês desde 2015. Além disso, foi a segunda maior para o mês desde o início da série histórica do ONS, que começa em 1999.

No primeiro mês de 2021, o Brasil registrou geração de 13.436 megawatts (MW) médios de energia termelétrica. Isso representou 18,8% de toda a energia consumida no Brasil naquele mês.

Além dos recursos termelétricos, o governo também está importando energia da Argentina e Uruguai. No entanto, importando outra pressão nos preços devido a cambio desvalorizado.

O que esperar para as contas de luz?

O preço mais alto da energia termelétrica resultou em contas de luz mais caras.

Somente em janeiro, os consumidores pagaram R$ 1,29 bilhão a mais nas contas de luz, por meio das bandeiras tarifárias. Esse sobrepreço é cobrado para pagar o custo extra gerado pelo uso mais intenso das termelétricas.

A Aneel já prevê que as contas de luz no Brasil devem ter em 2021 o maior aumento médio desde 2018.

A segurança hídrica será uma pauta cada vez mais importante

A estiagem e a diminuição dos reservatórios reforçam a importância de o poder público, a iniciativa privada e os cidadãos olharem mais para a questão da segurança hídrica no contexto da mudança do clima.

A proteção e recuperação de áreas de mananciais, responsáveis pela produção da água utilizada no abastecimento das principais áreas urbanas do Brasil deve ser repensada e priorizada.

Além disso, as ações de proteção e recuperação ambiental devem também contribuir para o desenvolvimento local e a geração de renda através de uma economia sustentável.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes