O acordo que pacifica o conflito de interesses em Belo Monte

O impasse sobre Belo Monte chegou ao fim. O operador da hidrelétrica de Belo Monte chegou a um acordo com as autoridades ambientais. Nesse sentido,  a usina conseguiu sustentar o fluxo de água necessário para geração de energia elétrica. Em troca de investimentos para mitigar os impactos ambientais e sociais.

 

Entenda o conflito entre interesses econômicos vs ambientais

Em janeiro, a agência ambiental Ibama ordenou o operador da hidrelétrica de Belo Monte, Norte Energia, aumentar o fluxo de água  no Rio Xingu. Isso devido ao prejuízo ambiental e impacto nas comunidades locais causada pela restrição de vazão de água.

As críticas de ambientalistas e comunidades indígenas são antigas. De fato, essas críticas estiveram presentes desde a construção da represa de Belo Monte. E reduzia drasticamente os níveis de água do Rio Xingu. O que produzia impacto ambiental negativo e afetava a produtividade da pesca pelas comunidades locais.

De fato, a dimensão da hidrelétrica de Belo Monte trouxe muitas discussões e reflexões durante o processo de licenciamento ambiental. Afinal, Belo Monte é a 4a maior usina hidrelétrica do mundo!

Leia também

Bitcoin consume mais energia que países como Argentina,…

Fernando de Noronha pode ser 100% movida a energia solar

Depois de semanas de tensão, com ameaças de paralisação total da usina hidrelétrica de Belo Monte, a Norte Energia e o Ibama chegaram a um acordo sobre o fluxo de água do rio Xingu.

 

O acordo entre Ibama e Norte Energia

O acordo define que a empresa Norte Energia investirá R$ 157 milhões ao longo dos próximos 3 anos em ações para minimizar os impactos do Trecho de Vazão Reduzida do Xingu. Por outro lado, o Ibama permitirá que a usina libere a vazão mínima de água, de 1,6 mil m3 por segundo, bem abaixo dos 10,9 mil m3 aplicados nos últimos dias.

- PUBLICIDADE -

A concessionária jogou pesado dentro do governo para reverter a decisão do Ibama. Inclusive acionando representantes do Palácio do Planalto e do ministério de minas e energia. Nesse sentido, a justificativa da empresa era de que a liberação de água na vazão máxima afetaria a geração de energia elétrica pela usina. De fato, a empresa chegou a ameaçar a paralisação de Belo Monte caso a vazão não fosse revista. Afinal, Belo Monte responde por cerca de 5% da garantia física total de geração elétrica no Brasil.

O sinal de alerta de refletiria no bolso de todos os consumidores surtiu efeito. Afinal, a redução da capacidade hidrelétrica seria compensada pelas geração termelétrica mais cara. Consequentemente, os consumidores sofreriam o impacto do aumento das contas de luz.

A empresa Norte Energia tem como sócios a estatal Eletrobrás com 49.98% de participação e outras empresas sócias, tais como Vale, Light, Neoenergia e CEMIG.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes