BBB21: Sarah reclama de protocolos contra a Covid-19: “frescura”

Sister confessou ter participado de festa de Réveillon antes de entrar no Big Brother Brasil

Nos últimos dias, Sarah tem demonstrado suas polêmicas afirmações sobre a pandemia de Covid-19 no Brasil. Ela, que no BBB21  já declarou ‘gostar de Bolsonaro’, presidente que reprova os protocolos contra a doença, destacou ter a mesma opinião que político. Nesta terça-feira (23/3), a analista em marketing reclamou das medidas de segurança que encontrou em uma festa de Réveillon neste ano.

Sarah critica protocolo de segurança contra a Covid-19 – BBB21

Em conversa com Arthur na área externa da casa mais vigiada do Brasil, Sarah ouviu atentamente um desabafo do participante do BBB21 sobre não conseguir encontrar a família após o confinamento. “Tô falando de ir pra lá. Pandemia, viajar, pegar ônibus, isso que eu tô te falando”. A sister, então, tentou minimizar.  “Mas já tá dando já, a pandemia…”.

Logo depois, Caio, que estava próximo da dupla, ironizou o colega de confinamento. “Ah, pegar um avião pra vir cá [BBB21] foi bom?!”. Percebendo o tom do fazendeiro, Arthur rebateu: “Que avião o quê?! Eu moro aqui do lado! Ô, imundicie! Passei o Natal, o Ano Novo, tudo sozinho”. Sarah interrompeu o crossfiteiro e deu opinião sobre o atual cenário da pandemia. “Mas já dá pra você ir já, não tá mais tão ruim o negócio, não”.

Durante a conversa no BBB21, Sarah confessou ter frequentado festas de fim de ano e que no Réveillon 2021 participou de um evento em meio à pandemia e reclamou das medidas de segurança tomadas contra o avanço da doença. “Eu fui pra o Réveillon esse ano e era uma frescura da p*rra! Toda hora chegava polícia, todo mundo separado nas mesas, tinha que ficar com distanciamento. Era uma festa desse tamanho, pouca gente”

Pandemia de Covid-19 no Brasil

Durante a declaração polêmica de Sarah sobre as medidas de segurança contra a Covid-19, no BBB21, o Brasil superou o próprio recorde de mortes nas últimas 24 horas. Ao todo foram 3.251 vítimas do coronavírus. Com o número, o país chegou a 298.676 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes