Primeira fase da novela Pantanal: o que sabemos do remake da Globo

Folhetim estreia no dia 28 de março.

Escrita por Benedito Ruy Barbosa e com texto adaptado por Bruno Luperi, uma nova versão de Pantanal chegará às telinhas da Globo no final do mês de março de 2022. Para falar sobre a primeira fase da novela Pantanal, os atores Enrique Diaz, Juliana Paes, Osmar Prado, Irandhir Santos, Almir Sater, Fábio Neppo, Chico Teixeira e a produtora de arte Mirica Vianna conversaram com a imprensa em uma coletiva nesta terça-feira (15) em que o Jornal DCI foi convidado.

+ De volta na novela Pantanal, Almir Sater e filho trocarão de papéis

História de Maria Marruá na primeira fase da novela Pantanal

Durante o papo com a imprensa, Juliana Paes contou que a nova versão da novela traz um mistério ainda maior do que o abordado sobre Maria Marruá no folhetim de 1990, acerca da lenda que a personagem se transforma em onça quando se sente ameaçada.

Juliana se absteve de passar spoilers sobre o que acontecerá com a personagem, mas disse que o público não verá grandes cenas de transformações completas acontecendo ‘à la x-men’, como brincou a atriz. A famosa disse que ficará no imaginário de quem acompanha a novela se realmente a mulher é tudo o que dizem. “É mesmo onça ou é algo que dizem sobre ela. Se transforma de verdade ou é a interpretação que fazem de uma mulher tão forte?”, questionou Paes, que completou ao dizer que não revelaria suas teorias sobre sua personagem, mas não estragar o suspense.

Outro ponto da trama que será bastante abordado na primeira fase da novela Pantanal será a relação da mãe de Juma com Gil, personagem de Enrique Diaz. O casal passa por muitos traumas e momentos de dor juntos, já que perdem 3 filhos e a terra em que moravam. Depois que Gil se torna seu único porto seguro, Maria Marruá passa por um novo trauma e também perde o amado, que é assassinado.

Na primeira fase da novela Pantanal, o público acompanhará a trajetória dos dois e a chegada do casal ao Pantanal. O local será apresentado para a dupla por Eugênio, chalaneiro que é responsável pela travessia no rio.

A atriz acredita que o público irá se identificar com a força de sua personagem, que passa por muito sofrimento ao longo do folhetim: “quando a Maria não tem mais nada, o que se tem é apenas a si mesmo, os instintos”. Juliana avaliou que é possível que o senso da personagem de continuar a vida depois que redescobre o amor, com o nascimento de Juma, pode conquistar.

Além disso, a atriz contou que aceitou imediatamente o convite para trabalhar na novela Pantanal e que tem uma memória afetiva com a primeira versão da novela. Paes disse que seu pai não era grande fã de novelas, diferente dela e da mãe, que eram noveleiras de carteirinhas, mas que ele sempre parava para assistir Pantanal. Juliana se lembra até hoje de como a atmosfera do folhetim impregnava em sua casa, as imagens, a canção de abertura, entre outros elementos. A atriz se lembra até mesmo da cor do sofá em que todos se sentavam para assistir.

Caracterização

Para compor a personagem, a atriz precisou passar por um processo intenso de maquiagem, para que pudesse reproduzir a fisionomia de uma mulher que viveu uma vida isolada, longe dos protetores solares e sempre com muito trabalho pesado nas mãos. Foram pensadas formas de deixar a atriz mais velha e com marcas de expressão sem a necessidade do uso de próteses.

Para o cabelo, a atriz usou alguns de seus próprios fios brancos, que serviram para ajudar na naturalidade quando a caracterizadora Valéria Toth criou um megahair que misturava fio marrons e brancos cacheados. “O personagem nasce depois de tudo isso, maquiagem, o figurino, é tudo muito importante na construção. (…) Você olha no espelho e vem a personagem, mesmo com todo o trabalho de corpo e emoção que a gente faz, vem tudo depois desse processo”, explicou.

Perrengue durante gravações da primeira fase da novela Pantanal

Juliana Paes contou que passou por momentos de sufoco durante as gravações da novela Pantanal, entre eles, enquanto ainda gravavam a primeira fase do folhetim, a atriz quase foi atacada por um jacaré. Enquanto filmava cenas de Maria Marruá grávida, a atriz estava em um rio, boiando, ela não escutava bem o que acontecia pois estava com os ouvidos tampados por causa da água, mas logo escutou uma movimentação estranha.

Quando se levantou, a atriz viu um dos membros da produção gritando para que ela saísse da água, quanto prestou atenção, viu que um jacaré vinha em sua direção. Juliana Paes precisou segurar a barriga falsa e correr para escapar do bicho. “Quase que tomo uma mordidinha de jacaré”, disse rindo.

Enrique Diaz participa apenas da primeira fase da novela Pantanal

O ator Enrique Diaz interpretará Gil e faz parte apenas da primeira fase da novela Pantanal, pois é morto na primeira leva de capítulos do folhetim. O famoso descreveu seu personagem como um homem comum do campo, que tem um forte senso de justiça, sobrevivência e luta. “Um cara massacrado pelo sistema”, comentou.

Além disso, Enrique revelou que seu personagem sente que não tem espaço no mundo e que lida com muitas dores, por causa da perda dos 3 filhos, que morrem no início da trama.

Diaz, que é pai de 2 meninas, contou as dificuldades do processo em interpretar um homem tão sofrido. No papo com a imprensa ele também elogiou o trabalho de Juliana Paes e disse que criou uma grande parceria com a atriz: “vivemos muito bem juntos”.

Intérprete de Chico na primeira versão da novela Pantanal, um dos filhos mortos de Maria e Gil, o ator disse que é uma “coincidência louca” poder retornar ao universo do folhetim, agora como pai de seu personagem antigo: “foi uma participação pequena, mas Pantanal marcou a televisão brasileira e foi muito imersiva. Ao fazer o pai daquele personagem a gente se vê no tempo”.

Leia também: Atores da primeira versão da novela Pantanal que estarão no remake

primeira fase da novela pantanal
Foto: Reprodução/Globo

Osmar Prado como Velho do Rio

Responsável por dar vida ao emblemático guardião da natureza “Velho do Rio”, o ator Osmar Prado aparece no final da primeira fase da novela Pantanal e depois retorna na segunda etapa do folhetim. Osmar contou que ficou surpreso e muito feliz ao ser convidado para viver o personagem, que já tinha Antônio Fagundes como cotado para o projeto. Como o ator declinou o papel, Osmar foi chamado.

Entre semelhanças e diferenças das versões da novela, o veterano frisou que fará sua própria leitura do personagem. Osmar disse que não estudou a fundo o que foi realizado pelo ator Claudio Marzo em 1990 e que no futuro, se surgir uma terceira versão do folhetim, sabe que o ator escolhido também fará sua interpretação do personagem.

O ator então relembrou que já trabalhou em um remake antes, Sinhá Moça, e que usou a mesma técnica: viu pouco da interpretação do outro ator responsável pelo papel antes dele e criou sua própria versão do personagem. Para a caracterização não foi necessário muito trabalho, o processo de maquiagem do ator é pequeno, de cerca de minutos para acentuar as rugas, e a barba do veterano já estava grande, pois Osmar não estava a aparando durante a pandemia.

O Velho do Rio irá aparecer na trama da primeira fase da novela Pantanal depois do sumiço de Joventino, Osmar Prado finalizou ao contar que viu a oportunidade com muito carinho: “o Velho do Rio é complexo, porque ao mesmo tempo é simplicidade em uma sociedade que quer tudo. Ele não tem nada, mas tem amor, empatia, justiça. Luta pela preservação do meio ambiente, em defesa da água. Olha que presente”.

velho do rio
Foto: Reprodução/Globo

Irandhir Santos vai se dividir entre personagens de ambas as fases da novela Pantanal

Na primeira fase do folhetim Irandhir Santos será Joventino, pai de José Leôncio, já na segunda fase ele será o neto do fazendeiro, José Lucas de Nada. O ator contou o quanto se sentiu feliz por trabalhar no projeto. Na construção de seu personagem, o pernambucano falou que se inspirou no trabalho de Osmar Prado como Velho do Rio, já que os dois são ligados na trama, e que buscou trazer um personagem amoroso, carinho, mas também firme para as telas.

“Vejo ele como o homem um passo antes da entidade, o ser que se torna depois guardião da natureza. Fui construindo o Joventino como peça fundamental para o que vai vir, como uma casa, uma concha”, contou.

Entre as curiosidades do trabalho, o ator contou que tinha muito medo de transitar pelos locais de gravações com os pequenos aviões disponibilizados pela produção para o trajeto da produção e elenco. Por isso, ele levava cerca de 1 hora de carro para ir de uma fazenda até a outra. O ator contou se voasse, só seriam gastos alguns minutos, mas que seu pânico falou mais alto. “Eu tinha muito medo do aviãozinho”, disse em tom de bom humor.

Leia também: conheça a trama de cada um dos personagens de Irandhir Santos em Pantanal e a carreira do ator

irandhir santos pantanal
Irandhir Santos em Pantanal como Joventino (à esquerda) e José Lucas (à direita)- Foto: Reprodução/Globo

Estreia do cantor Chico Teixeira na TV

O cantor Chico Teixeira vai atuar pela primeira vez em uma novela, o famoso interpretará um dos peões da trama, Quim, grande parceiro do peão Tião, papel de Fábio Neppo. O núcleo contará com música e cenas em belas paisagens.

Chico e Fábio se tornaram muito próximos durante as gravações e Neppo contou que a amizade cresceu de forma gradativa. Os dois tiveram aulas de montaria e ficaram lado a lado durante o processo, se hospedavam sempre no mesmo hotel, e em cenas gravadas na fazenda que será de José Leôncio na trama, dividam até o mesmo quarto.

atores
Chico Teixeira (à esquerda) e Fábio Neppo (à direita) – Foto: Reprodução/Globo

Cenografia

A produtora de arte Mirica Vianna também participou do bate papo com a imprensa nesta terça (15) e compartilhou como foi o processo de criação do que o público vê nas telinhas, os cenários, objetos, entre outros elementos que fazem parte da direção de arte, que é o setor que busca dar vida ao que o autor imaginou enquanto escrevia.

Mirica explicou que tentou comprar para os cenários o máximo que pôde de objetos vendidos localmente. Segundo a produtora, cerca de 80% dos objetos em cena são do pantanal, ela tentou também usar o máximo de artesões locais que conseguiu encontrar.

Entre os objetos que foram criados do zero especialmente para a primeira e segunda fase da novela Pantanal, Mirica citou a cela de prata de Joventino, a canoa do Velho do Rio, alguns violões, alforjes, a chalana de Eugênio, entre outros, além de animais de mentira, como uma sucuri de 4 metros e porcos do mato.

Imersão

Mirica Vianna contou que permaneceu de 10 a 12 dias com a direção da novela em viagem pelo Pantanal no ano passado, visitando fazendas e demais regiões que podiam servir de cenário. Depois disso, quando a direção deixou o Mato Grosso do Sul, ela permaneceu mais 5 dias com a figurinista Marie Salles em busca de peças e objetos que poderiam ser compradas em lojas locais.

Antes mesmo de viajar para a região, Mirica já pesquisava sobre a região, para ajudá-la no processo e também para que pudesse visitar artesões durante a viagem para o pantanal.

primeira fase da novela pantanal
Grande parte dos objetos em cena foram comprados ou criados no próprio pantanal – Foto: Reprodução/Globo

 

Leia também

História da novela Pantanal: 5 pontos para entender a trama

Você pode gostar também
buy cialis online