Doria ataca Bolsonaro sobre pior momento da pandemia: ‘incompetente’

Um dia após o Brasil atingir o maior número de mortes diárias causadas pela Covid-19 desde o começo da pandemia, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), culpou publicamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e voltou a mencionar eu futuro adversário nas eleições presidenciais em 2022. Confira a seguir o pronunciamento em que […]

Um dia após o Brasil atingir o maior número de mortes diárias causadas pela Covid-19 desde o começo da pandemia, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), culpou publicamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e voltou a mencionar eu futuro adversário nas eleições presidenciais em 2022. Confira a seguir o pronunciamento em que Doria ataca Bolsonaro

Doria ataca Bolsonaro

bolsa auxílio
(Foto: Governo de São Paulo/Divulgação)

O pronunciamento de Doria foi motivado após recentes declarações de Bolsonaro. O presidente se reuniu nesta manhã com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, e afirmou que a imprensa criou pânico sobre situação da pandemia no país. “Criaram pânico, né? O problema está aí, lamentamos. Mas você não pode entrar em pânico. Que nem a política, de novo, do fique em casa. O pessoal vai morrer de fome, de depressão?”.

Em resposta à declaração de Jair Bolsonaro, João Doria não hesitou em culpar o presidente pela situação alarmante em que o país se encontra. Doria chamou Bolsonaro de “incompetente” e “pária”, esta última que significa alguém que está excluído da sociedade. Confira abaixo o pronunciamento completo de Doria:

“A culpa é sua. Você além de incompetente, o senhor é um pária no Brasil, e um pária no mundo. Portanto, tenha humildade reconhecer suas falhas e seus erros. Muitos dos brasileiros que estão enterrados neste momento, estão enterrados porque o senhor nao teve capacidade de fazer o que deveria fazer, liderar o Brasil contra a pandemia. Defender a saúde e a vida dos brasileiros. Não culpa da imprensa não.”

— João Doria, 3 de março de 2021

Número de mortes de Covid cresce no Brasil

Leia também

Ministro Ernesto Araújo pede demissão do cargo

Suspeição de Moro vira meme na web; veja

A própria OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que o país enfrenta, atualmente, uma alta de 11% das mortes em decorrência do coronavírus, enquanto no mundo há um recuo de 6%. A crescente tem preocupado governadores, cientistas e profissionais da saúde, que tentam evitar um colapso no SUS.

No dia 2 de março, o Brasil registrou 1.726 mortes pela Covid-19, e com isso, o país chegou ao total de 257.562 óbitos desde o começo da pandemia. A média móvel nos últimos 7 dias chegou a 1.274, aumento de 23% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença. As informações foram divulgadas consórcio de imprensa.

Até então, o dia mais letal havia sido 29 de julho de 2020, quando 1.554 brasileiros morreram diagnosticados com o novo coronavírus.

Bolsonaro faz almoço com leitão em pior momento da pandemia

Imagem mostra presidente Jair Bolsonaro
(Foto: Alan Santos/Presidência da República)

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com vários apoiadores na terça-feira, 2 de março, para um almoço informal no Palácio do Planalto. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, que adiantou que evento foi descrito como “alegre e descontraído”, e até contou com um leitão no cardápio.

Já o Valor Econômico afirmou que Bolsonaro deve fazer um pronunciamento em rede nacional nesta quarta-feira, 3 de março. Entretanto, a informação não foi confirmada em nenhum dos canais oficias do Governo federal.

Leia também:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes