Ceará participará do promissor mercado global de Hidrogênio Verde

O governo do estado do Ceará assinou uma parceria com a empresa australiana Energix para construir uma enorme planta para a produção de hidrogênio.  Nesse sentido, o investimento previsto de $ 5,4 bilhões de dólares para a construção de um hub inicial de hidrogênio verde no estado.  O combustível é produzido a partir de fontes de energias renováveis. Dessa forma, o hidrogênio é fundamental no processo de descarbonização do planeta nos próximos anos.

 

O que é o hidrogênio verde?

Hidrogênio verde é o hidrogênio obtido a partir de fontes renováveis, como energia solar e eólica, sem a emissão de carbono. Diferentemente dos combustíveis fósseis, o aproveitamento energético do hidrogênio raramente se dá por sua combustão. Mas sim por meio de uma transformação eletroquímica, realizada em células conhecidas como “células a combustível”.

O oxigênio presente na atmosfera se combina com o hidrogênio, produzindo energia elétrica e água. Assim, a geração de energia por meio de células a combustível em si não causa danos ao meio ambiente.

O hidrogênio verde representa uma das soluções energéticas mais promissoras, acessíveis e sustentáveis para reduzir as emissões de gás carbônico. E para alcançar a neutralidade climática proposta para 2050, a descarbonização de indústrias que dependem do uso de combustíveis fósseis será preponderante.

Entenda o projeto do hub de hidrogênio verde no Ceará

O projeto consiste em sua primeira etapa em uma planta-piloto de eletrólise com insumo de energias eólica e solar para produção de hidrogênio verde. Nesse sentido, o método utiliza corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água.

A planta estará no Complexo do Pecém. Nesse sentido, o local é estratégico por se tratar de uma das Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) . Além disso, o Nordeste abriga a maior capacidade instalada de eólicas e tem tudo para ser o principal hub de plantas solares. Adicionalmente, a proximidade com os mercados dos EUA, Europa e – via Panamá – Ásia, é uma vantagem competitiva importante.

Enfim, o projeto liderado pelo Governo do Estado conta também com a parceria e articulação do Complexo do Pecém; Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e Universidade Federal do Ceará (UFC).

WhatsApp%20Image%202021-02-19%20at%2009.30.32.jpeg?f=default&$p$f=a6f037e

Conheça o promissor mercado de hidrogênio

A Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA) projeta até 2025 que 6% do consumo final de energia global esteja associado ao hidrogênio.

A Europa está pulando na frente na economia do hidrogênio. Enfim, dos 228 projetos de hidrogênio anunciados globalmente, cerca de 55% estão na Europa. Todos esses projetos devem movimentar investimentos da ordem de $ 300 bilhões de dólares em 10 anos.

Os planos para 2050 são de instalar 40 GW de eletrolisadores. Além disso, ter toda uma infraestrutura de importação e distribuição em toda a região.

Atualmente a Europa possui apenas 0,1 GW de capacidade instalada, mas planeja rápida expansão. O objetivo é descarbonizar os setores de siderurgia, transportes pesados e química.

Claramente, os desafios para a expansão do hidrogênio são muitos. Dentre eles, temos:

  1. o desenvolvimento de toda a infraestrutura de transporte e armazenamento e
  2. a expansão massiva de geração elétrica renovável para produzir o combustível.

Enfim, uma vez solucionado os gargalos, as expectativas são promissoras. A meta é atingir a eficiência de custos e competitividade por volta de 2028.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes