13º salário do INSS será adiantado a partir de 2021

O 13º salário do INSS passa a ter antecipação de pagamentos, a partir de 2021. O abono anual será recebido em duas parcelas.

O 13º salário do INSS terá pagamentos em duas parcelas antecipadas nos próximos anos. A medida foi instituída em 1 de julho por Decreto nº 10.410, publicada no Diário Oficial da União (DOU). Além da antecipação do 13º salário para aposentados, outras mudanças para benefícios da Previdência Social.

Sendo assim, a partir de 2021, a primeira parcela do 13º salário do INSS terá pagamento no mês de agosto, sendo a metade do valor do benefício. Já a segunda parcela deverá ser paga em novembro. Dessa forma, o recebimento das parcelas do 13º acontecem juntamente com o benefício do mês correspondente.

Por fim, o decreto foi publicado com o objetivo de atualização do Regulamento da Previdência Social às regras da Nova Previdência.

Como vai funcionar o pagamento do 13º salário do INSS 2021

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A antecipação do 13º salário em duas parcelas, com pagamentos de metade do valor em agosto e a outra parte no mês de novembro, se destina para aposentados, mas também para os beneficiários do INSS que recebem o auxílio por incapacidade temporária, auxílio-acidente, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio-reclusão.

Sendo assim, o pagamento do 13º salário do INSS deve acontecer em conjunto com o recebimento do benefício no meses de agosto e novembro.

Outras mudanças

Dentre outras mudanças na Previdência Social, previstos no  Decreto 10.410, o regulamento acrescenta segurados na categoria de contribuinte individual, sendo assim, inclui-se motoristas de aplicativos, artesãos, repentistas e empregados em contrato de trabalho intermitente.

Além disso, prevê a extensão de direitos previdenciários a trabalhadores domésticos. Dessa forma, podem receber benefícios acidentários, como auxílio por incapacidade temporária e aposentadoria por incapacidade permanente, ou seja, as novas nomenclaturas para auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, respectivamente.

Vale lembrar que as palavras ‘doença’ e ‘invalidez’ foram substituídas por incapacidade temporária ou permanente, por meio da Emenda Constitucional nº 103/2019.

Por fim, dentre as principais mudanças está a instituição de valor unificado para o salário-família, em que a cota passa a ser R$ 48,62. Para isso, o segurado deve receber salário inferior ou igual a R$ 1.425,56, em 2021. Antes, o valor do salário-família tinha valores diferentes, de acordo com o salário do trabalhador.

 

Leia também

Novo fator previdenciário começa em dezembro; veja o que muda

Quais os documentos podem comprovar o direito a aposentadoria especial? 

INSS mantém suspensão da prova de vida até janeiro de 2021

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes