Conheça a história do Estádio Olímpico Monumental, casa do Grêmio

Usado pela equipe de Porto Alegre, espaço não é mais utilizado e hoje permanece inativo

Conhecido por ser a casa do Grêmio Foot-ball Porto Alegre, o Estádio Olímpico Monumental recebeu grandes partidas em diferentes campeonatos durante anos. Entretanto, desde 2013, a casa já não funciona mais, porém, o campo segue na memória de cada torcedor gaúcho, fazendo parte da história do clube. Então, conheça mais sobre a história do Estádio Olímpico e saiba porque o Grêmio não utiliza mais para os seus jogos.

 

Quando foi inaugurado o Estádio Olímpico do Grêmio?

Inaugurado em 19 de setembro de 1954 com o nome de Estádio Olímpico, o espaço privado passou a receber partidas de futebol, assim como outras modalidades devido ao seu tamanho e estrutura.  Somente em 1980 passou a se chamar Estádio Olímpico Monumental, já que teve o fechamento da última parte do anel superior concluído no mesmo ano.

Planta baixa do Olímpico mostra Estádio completo (Site Oficial do Grêmio/ www.gremio.net)

Olimpíadas de Tóquio 2021 terá código de conduta

Quantas pessoas cabem no Estádio Olímpico?

De acordo com informações oficiais do Grêmio, o público recorde no Estádio Olímpico foi de 98.421 (85.751 pagantes) em 1981 em partida do Grêmio contra a Ponte Preta pelo Campeonato Brasileiro.

Ao todo, são 140 lugares na Tribuna de Honra. Para a imprensa, 26 cabines duplas fixas mais 50 provisórias, segundo dados divulgados pelo Grêmio.

Quantos jogos foram realizados no Olímpico Monumental?

Desde o começo, o Olímpico Monumental recebia diferentes partidas, especialmente do Grêmio. De acordo com o site Grêmiopedia, foram realizadas 1.767 partidas em toda a história, com 1.159 vitórias para o tricolor gaúcho, 381 empates e 227 derrotas. No saldo de gols, 1.366 com aproveitamento de 72.8%

Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Porque o Grêmio saiu do Olímpico?

Antes da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, clubes de todos os estados brasileiros abandonaram o antigo e ultrapassado modelo de campo, passando a investir em estádios modernos, ou arenas como são mundialmente conhecidos. Dessa maneira, não foi diferente com o Grêmio.

As mudanças são visíveis. Arquibancadas foram substituídas por cadeiras confortáveis e numeradas, além de alterações na estrutura interna, assim como vestiários, iluminação, sala de imprensa e gramado seguindo o padrão FIFA.

Quando foi o último jogo do Grêmio no Estádio Olímpico Monumental?

A partida entre Grêmio e Veranópolis, equipe do Rio Grande do Sul, válida pela última rodada da Taça Piratini, o primeiro turno do Campeonato Gaúcho, aconteceu no dia 17 de fevereiro de 2013 e marcou oficialmente o último jogo do elenco tricolor.

Sob o comando do técnico Vanderlei Luxemburgo, o primeiro tempo contou com o gol do zagueiro Werley, aos 22 minutos, de cabeça. Na segunda etapa, um jogo morno não animou a torcida gaúcha presente na despedida oficial do time ao Olímpico Monumental. Com esse resultado, o Grêmio enfrentou o Internacional no clássico Gre-Nal nas quartas de final, mas foi superado por 2 a 1. Ao fim, o Inter consagrou-se campeão da temporada 2013 no Estadual.

 

Escalação do Grêmio: Dida; Pará, Cris, Werley, André Santos; Fernando, Souza, Elano; Zé Roberto, Eduardo Vargas, Wellinton.

Quando a Arena do Grêmio surgiu?

Em 2012, a inauguração da Arena do Grêmio, totalmente nova, bem planejada e atualizada, começou a receber jogos do Grêmio nas mais diversas competições, desde o Campeonato Gaúcho até a Libertadores. A capacidade, segundo o site oficial do clube, é de 55.662 torcedores, além de vestiários padrão FIFA, 34 cabines de imprensa, 200 mil metros quadrados de área coberta, 194 mil metros quadrados de área construída e 56 de altura.

Ao contrário do que muitos pensam, a Arena do Grêmio não pertence somente ao clube, mas também a construtora OAS, responsável por trabalhar no estádio desde o papel. De acordo com o site da empresa, a Arena foi construída em 30 meses, isto é, dois anos e meio. Além disso, o complexo pode ser utilizado desde eventos culturais, esportivos e sociais até reuniões e congressos.

Arena do Grêmio em 2019 (Matsu Panzenhagen | Camejo Comunicação)

O que aconteceu com o Estádio Olímpico do Grêmio?

Abandonado pelos responsáveis, o Estádio Olímpico sofreu com vandalismos e depredações do que restou depois de muita história. A área ainda pertence ao Grêmio, mas tentativas de vendas e empréstimos foram realizadas anos depois em que a equipe se mudou para a Arena.

Em julho de 2020, o site da Gaúcha Zero Hora revelou que o clube emprestou parte do espaço do estádio para a Prefeitura de Porto Alegre. Porém, depois de muitas negociações, problemas judiciais e reformas paradas, o Estádio Olímpico segue do mesmo jeito. Enquanto isso acontece, a gestão atual do Grêmio luta para conseguir assumir totalmente a Arena.

Hoje, restam somente histórias e momentos em que cada torcedor tricolor viveu sentado nas antigas arquibancadas do Estádio Olímpico Monumental, ou antiga casa do Grêmio.

Assista ao vídeo e veja a situação atual do estádio:

O que é um estádio Olímpico?

Estádios olímpicos recebem essa descrição por serem feitos especialmente para a realização de Jogos Olímpicos, ou seja, são adaptados para diversas modalidades como atletismo, para corrida e até mesmo a grama para o futebol. Dessa maneira, as medidas do campo são maiores principalmente pelo fato de conter a pista de atletismo, além de abrigar um maior público, mesmo que não receba jogos olímpicos.

No caso do Estádio Olímpico do Grêmio, o termo “olímpico” está presente somente no nome, já que nunca foi utilizado para fins olímpicos e sim para partidas de futebol.

Quartas de final Champions League 2020/21: confira os confrontos

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes