João Doria discute ao vivo com Rodrigo Constantino; assista

João Doria (PSDB) foi protagonista de uma discussão intensa e polêmica na manhã desta terça-feira, dia 2 de janeiro. Ao vivo na rádio Joven Pan, o governador de São Paulo pediu direito de resposta às críticas feitas pelo comentarista Rodrigo Constantino durante o Jornal da Manhã. Constantino apontou falhas no plano de contingência a pandemia da Covid-19 no estado.

Doria defendeu a vacina CoronaVac, fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e afirmou que não deixaria Constantino desqualificar o imunizante, assim como fez o presidente Bolsonaro (sem partido). O governador também relembrou a demissão do comentarista após suas declarações no caso de estupro Marina Ferrer.

João Doria x Rodrigo Constantino

“O mesmo tempo que Rodrigo Constantino fez críticas, nós usaremos para fazer a defesa, a defesa da vida, da ciência. E contrariar Rodrigo Constantino, um negacionista, ideólogo do Bolsonaro, defensor de um governo homicida, como é o governo Bolsonaro”, começou João Doria.

“Aliás o mesmo Rodrigo Constantino que defendeu um estupro nas redes sociais. Foi demitido da rádio Joven Pan e lamentavelmente voltou. Rodrigo Constantino, São Paulo defende a saúde, a vida, coisa que você e Jair Bolsonaro nunca tiveram, ao contrário, você e Bolsonaro sempre disseram que era uma gripezinha”, completou o governador.

Doria reforçou o número de óbitos causados pelo novo coronavírus, e afirmou que o governo de Bolsonaro tem culpa por tal número, opinião que Constantino discorda. “Hoje o Brasil contabiliza mais de 225 mil mortes, por uma pandemia que poderia ter sido amenizada se não tivéssemos um governo negacionista e jornalistas, aliás, pseudojornalistas como você, defendendo terraplanismo ao invés de defender o povo e a vida das pessoas”, finalizou.

Resposta de Constantino levou Doria a fúria

Rodrigo Constantino também usou o espaço para se defender, mas não demorou muito para o bate boca se intensificar. “Eu entendo que você tenha ficado emotivo assim porque eu apresentei fatos”, afirmou o comentarista, que foi interrompido pro Doria, que o chamou de mentiroso.

- PUBLICIDADE -

“Governador, quem não fala a verdade é você ao falar que eu defendi estupro e por isso fui demitido. Não, eu não defendi estupro coisa nenhuma. Se você tivesse compromisso com os fatos e com a verdade, ao contrário de só pensar em 2022 e fazer discursos sensacionalistas, que acusa presidente de homicida, ia ver que eu não defendo estupro coisa nenhuma”, rebateu Constantino.

João Doria se prontificou em rebater a fala do comentarista e o acusou de extremismo. “Você é um extremista, não honra o jornalismo da rádio Jovem Pan, não honra os ouvintes da Jovem Pan. Você é um vassalo de Jair Bolsonaro, vá beijar as botas de Jair Bolsonaro”

Em resposta, Constantino disse que o governador de São Paulo teria “surtado”, e por isso não seria eleito nem para “síndico” em 2020. “Tenho um pouco de compostura. Eu não obedeço a ditadura chinesa, eu não estou nem aí pro governo, eu falo aqui a minha análise, independente das coisas que você não entende o que é. Porque você deve vassalar a ditadura chinesa”.

‘Vai responder na Justiça’

O comentarista da Joven Pan afirmou que procuraria a Justiça para processar João Doria. Constantino reforçou a decisão através do seu Twitter, em que comentou sobre o ocorrido. “Doria não vai perder tempo comigo, mas liga pra rádio pedindo direito de resposta para ficar me atacando de terraplanista, negacionista e “defensor de estupro”?! É um CANALHA mesmo! Vai responder na Justiça. E onde já se viu “democrata moderado” pedir cabeça de jornalista no ar?”.

Demissão de Rodrigo Constantino

(Foto: Reprodução @rodrigoconstantino1976)

Constantino foi demitido da emissora em novembro de 2020 após emitir comentários polêmicos que envolviam o caso de estupro da influencer Mari Ferrer. Em um vídeo que viralizou nas redes, o comentarista alegou que se sua própria filha fosse estuprada, não denunciaria os possíveis agressores, dependendo das circunstâncias do suposto ocorrido.

Ao longo do vídeo, Constantino fez outros comentários machistas, como: “existe mulher decente ou piranha.” Após muitas críticas nas redes sociais, a direção da rádio decidiu pelo desligamento do colunista. Em nota, a Jovem Pan afirmou que “o Grupo Jovem Pan esclarece que desaprova veementemente todo o conteúdo publicado nos canais apresentados e nesta live”, e também declarou que “a vítima não deve ser responsabilizada pelos atos de seu agressor”.

No entanto, após quase dois meses do ocorrido, Constantino voltou a ser contratado novamente pela Jovem Pan, onde permanece até hoje.

João Doria
Comentários (0)
Comentar