Auxílio de R$ 100 em SP terá 3 parcelas e deve ser pago em dezembro

O Auxílio de R$ 100 deve ser pago para beneficiários do Bolsa Família em São Paulo ainda em dezembro. Covas diz que não é interesse eleitoral

O Auxílio de R$ 100 para pessoas de baixa renda de São Paulo não chegou aos necessitados. Sendo assim, o complemento ao auxílio emergencial para moradores paulistas teve aprovação três dias antes do primeiro turno das eleições 2020. Contudo, não há definição de uma data de pagamento do benefício.

O candidato à reeleição a prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), declarou hoje (25) que fez um acordo com a Caixa Econômica Federal para concessão do auxílio de R$ 100. A afirmação foi feita durante uma caminhada com apoiadores de Covas na Avenida Paulista, em agenda de campanha.

“A lei foi sancionada e deve ser pago na primeira semana de dezembro, portanto, depois da eleição. A gente buscou tratativas com Banco do Brasil, com a Caixa Econômica Federal para viabilizar isso, para ver de que forma atender a população. Então, não há nenhuma relação com o calendário eleitoral já que o pagamento vai ser feito depois da eleição”, disse Covas.

Por fim, a medida prevê o pagamento do auxílio de R$ 100 em três parcelas. Sendo assim, compreende os meses de outubro, novembro e dezembro. Contudo, o benefício ainda não teve pagamento.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Auxílio de R$ 100 em SP

O atual prefeito e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB-SP) alegou que a medida não tem interesse eleitoral. Além disso, ele justificou que o pagamento de R$ 300, referente aos três meses do benefício, acontecerá depois do segundo turno das eleições municipais, no próximo domingo (29).

“Portanto, 1 milhão de pessoas vão receber aqui na cidade de São Paulo os R$ 300 por conta desta legislação aprovada no começo de novembro na Câmara Municipal”, afirmou Covas.

Por fim, o auxílio vai atender pessoas beneficiadas pelo Bolsa Família. Dessaa forma, não haverá necessidade de fazer cadastro ou abrir contas bancárias. O auxílio é um projeto do vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) e está ocorrendo porque o governo federal reduziu o auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300.

Eleições 2020: o que o Covas e Boulos pensam sobre covid-19?

Auxílio Emergencial continuará se houver 2ª onda de covid-19, diz Guedes

Auxílio Emergencial não sacado já passa dos R$ 800 milhões

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes