Pix começa transações ampliadas na segunda-feira (16)

As operações Pix poderão ser realizadas por clientes de bancos e financeiras que já fizeram cadastro de chaves em aplicativos.

O Pix é o novo sistema de pagamentos instantâneos. Criado pelo Banco Central, a fase teste de pagamentos e transferências pelo Pix começou em 03 de novembro. Sendo assim, a fase ampliada entra em vigor nesta segunda-feira (16), sem restrição de horário, limite de transações e nem de correntistas. Para utilizar o serviço, basta ter cadastro de pelo menos uma chave.

Segundo o Banco Central, as operações estarão disponíveis a partir das 9h30 do dia 16 de novembro, horário do lançamento  do sistema. Sendo assim, o Pix proporciona pagamentos instantâneos, em até 10 segundos, em qualquer dia e horário. Além disso, as transferências serão gratuitas para pessoas físicas e MEIs, mas com exceções.

Além disso, mais de 826 mil transações foram realizadas durante a fase teste. Ao todo, houve a movimentação de R$ 325 milhões, aproximadamente, por operações via Pix.

Nesse período, houve cadastro de  69,5 milhões de chaves, sendo 66,6 milhões de pessoas físicas. Até o momento, o tipo de chave mais cadastrada é a do CPF, com 25,4 milhões, segundo dados do Banco Central.

Para que serve o Pix?

O sistema de pagamentos e transferência via aplicativo bancário é semelhante ao TED e ao DOC. Contudo, o diferencial é a realização de movimentações a qualquer hora e dia da semana, ou seja, durante feriados e fins de semana e fora dos horários comerciais. Além disso, não será mais preciso inserir todos os dados de quem se destina o recurso, basta colocar a chave pix.

A modalidade Pix oferece pagamentos de boletos, além das transferências bancárias e leitura de QR Code. Ademais, o Banco Central integrou outros serviços para o sistema Pix. Um deles é o Pix Cobrança e o Pix para Empresas. Mas também, o recolhimento das contribuições ao FGTS. Contudo, a nova funcionalidade deve ser disponibilizada em janeiro de 2021.

Como fazer cadastro?

Para fazer o cadastro é simples. Basta acessar o aplicativo da instituição financeira em que é cliente e clicar em ‘Pix’, caso o cliente possua alguma conta para operações financeiras. Em seguida, o cadastro tem como base os dados pessoais, em que cada um equivale a uma chave.

Sendo assim, a chave pode ser número de telefone, endereço de e-mail, CPF e  CNPJ, mas também por uma sequência de números aleatória de 32 dígitos.

Dessa forma, esses dados serão utilizados para criar chaves do pagamento instantâneo. Cada pessoa física terá até cinco chaves e cada pessoa física, até 20.

 

Leia também

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.