SÃO PAULO - O conjunto das empresas clientes da incubadora carioca Associação Comercial Cidade Nova (ACCN) registrou faturamento acima dos R$ 130 milhões até junho deste ano, superando os R$ 126 milhões do ano inteiro de 2016.



A ACCN atuava, há cerca de 50 anos com serviço de assessoria jurídica para empresas. A partir do final de 2012, a mudou seu foco e passou a ser uma incubadora que trabalha com quatro tipos de clientes.



O primeiro grupo são aqueles que têm a ideia de montar um negócio e ainda não começaram, com perspectiva de se consolidarem entre 24 e 33 meses. O segundo é formado por empresas já com serviços ou produtos no mercado, mas com a intenção de modernizar sua oferta.



Entre os outros dois tipos de clientes estão as empresas familiares, que enfrentam problemas em sua sucessão, e empresas que estão "travadas", devidos à inadimplência ou falta de crédito, por exemplo.



O presidente da ACCN, Luiz Marcelo Birman, destaca que a incubadora acolhe 83 empresas, que atuam em 28 segmentos distintos. Segundo o executivo, a projeção oficial é atingir 100 companhias incubadas até o fim de 2017 e atingir R$ 200 milhões de faturamento das mesmas. "Na minha opinião, de maneira pessoal, sou mais otimista, e acredito que teremos em torno de 200 empresas incubadas."



Segundo Birman, a intenção é que todos os seus clientes registrem crescimento de 60% em dois anos após o processo de incubação.