Publicado em

O mercado brasileiro de fusões e aquisições movimentou R$ 42,6 bilhões em abril, em um total de 83 operações reportadas no relatório da Transactional Track Record, em parceria com a LexisNexis e TozziniFreire Advogados.

De janeiro a abril, foram realizados 344 anúncios de compra e venda de participação envolvendo empresas brasileiras, queda de 11,8% face o mesmo intervalo do ano anterior. No período, os aportes financeiros contabilizam R$ 74,2 bilhões, baixa de 21,5% na comparação anual.

O segmento Tecnologia segue como o mais atrativo para os investidores. Em 2019, já foram contabilizadas 82 transações, mantendo a média do ano anterior. No apanhado do ano, o setor Financeiro e Seguros aparece na segunda colocação, com 41 operações, declínio de 11%, seguido por operações no segmento Imobiliário, que cresceram 17% e chegaram a 28 negócios realizados, enquanto Distribuição e Varejo caiu para a quarta posição, com 27 operações, fechando o período em baixa de 25%.

No âmbito das operações transnacionais, foram contabilizadas 80 operações de compra de empresas brasileiras por investidores estrangeiros nos quatro primeiros meses do ano, totalizando R$ 49,2 bilhões em aportes.

Os Estados Unidos seguem como o país que mais realiza aquisições de empresas nacionais, 28 operações envolvendo compradores norte-americanos no ano, que juntas somam R$ 3,3 bilhões. Destas, nove foram deals no segmento de Tecnologia. Destaque também para o apetite espanhol por empresas nacionais, que movimentou R$ 1,9 bilhão, em oito transações anunciadas.

Canadenses e franceses também investiram forte no mercado nacional em 2019. O grupo Engie, da França, e o fundo Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ), do Canadá, investiram aproximadamente R$ 28,4 bilhões para adquirir uma participação de 90% da Petrobras na TAG - Transportadora Associada de Gás. Empresas canadenses realizaram outros quatro investimentos no país, enquanto os franceses participaram de outras duas operações com empresas brasileiras.

No caminho oposto, as compras brasileiras no exterior somam R$ 2,6 bilhões em aportes em 2019, tendo como alvo prioritário os Estados Unidos, onde foram investidos R$ 2,6 bilhões em 11 operações. Portugal surge em segundo com três transações que movimentaram R$ 361,8 milhões.

Private e Venture

As operações de private equity registradas no Brasil desde o início do ano sofreram uma queda de 33,3% no número de deals para 20, enquanto o volume registrado, R$ 3,2 bilhões ficou 29,9% abaixo de igual período do ano anterior. Os investimentos de venture capital fecharam em queda. As 56 rodadas de investimento ficaram 28,2% abaixo do mesmo período de 2018, e os R$ 854 milhões em negócios, 71% menores ante igual comparação.