Publicado em

O uso dos cartões de débito para pagamento em aplicativos será uma das apostas do mercado de cartões para 2019. A expectativa é de que a modalidade traga maior inclusão de usuários ao sistema e mostre um crescimento exponencial até 2020. A segurança, porém, ainda é um desafio do setor.

Também conhecido como “débito digital”, a aceitação da função para pagamentos em aplicativos de celular e na internet já vem desde 2017. De acordo com Rogério Magno Panca, diretor de meios de pagamento do Banco do Brasil (BB), a ferramenta, que já mostra uma “adesão significativa” dos clientes do banco, é uma das principais pautas endereçadas pelo segmento ao longo deste ano.

No BB, aproximadamente um milhão de clientes distintos já utilizaram a solução de débito digital em cerca de 25 milhões de transações. O público, segundo o banco, é diversificado e composto tanto por quem tem apenas a função débito quanto por quem conta com um cartão de crédito.

“Avançamos bastante com alguns parceiros específicos e já geramos volumes bem interessantes no último ano. Para 2019, projetamos um número ainda maior”, comenta Panca. Para o vice-presidente de produtos, soluções e inovação da Visa do Brasil, Percival Jatobá, no entanto, a penetração do débito online no Brasil ainda está “tão atrasada” que mesmo que hajam iniciativas positivas no mercado para a modalidade, ainda existe “muita coisa a ser explorada”.

“É claro que é uma inovação fantástica, principalmente porque abre uma grande oportunidade para aquele grupo de pessoas que ainda não tinham acesso a serviços fornecidos por aplicativos porque dispunham apenas da modalidade débito. Mas ainda é um processo atrasado e que tem espaço enorme pra evoluir. É uma ideia boa, que precisa ser usada com cuidado, mas que merece ser explorada”, avalia.

Os últimos dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), por exemplo, apontam que apesar de o volume de transações feitas no débito em setembro do ano passado terem crescido 1,6% em relação a igual mês de 2017 (de 617,4 milhões para 627,4 milhões), o montante transacionado avançou 7,4% na mesma comparação, de R$ 39,6 bilhões para R$ 42,6 bilhões.

Segundo o presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto, o movimento reflete a tendência do mercado de meios de pagamentos de trazer soluções “mais prontas para a necessidade dos clientes”. “São tipos de soluções diferentes que proporcionarão diversas respostas e que precisam ser totalmente flexíveis à adaptações dos consumidores para que tenham sucesso. Mas acredito que em um horizonte de quatro a cinco anos, isso deve ficar mais presente no setor”, diz o presidente da Mastercard.

Segurança

Ao mesmo tempo em que o avanço dessas novas tecnologias e ferramentas se faz com uma agilidade cada vez maior, no entanto, os executivos entrevistados pelo DCI reiteram a necessidade de investimentos constantes em segurança no setor, uma vez que o uso do débito digital não necessita da senha, por exemplo, para que a compra seja efetuada.

“É preciso cuidado no avanço, já que o débito digital talvez não seja adequado para todo e qualquer tipo de segmento exatamente pelo fator segurança. A ferramenta é mais voltada para segmentos com tickets mais baixos e que possuam um mecanismo de autenticação na entrada do consumidor”, diz Jatobá.

“Essa combinação de segurança e tickets mais baixos torna difícil imaginar um futuro onde todos os aplicativos e sites estejam aptos a oferecer pagamentos com o débito digital. Claro que parte do mercado conseguirá evoluir e a ideia é ter cada vez mais portadores de cartão migrando para essa modalidade, mas não dá para generalizar”, acrescenta Panca.

Ele declara, porém, que as expectativas para esse processo são positivas. “É uma tendência. Pretendemos continuar o que começamos em 2018 e vamos endereçar bem essa pauta em 2019. A expectativa é de um crescimento para esse mercado a partir de 2020”, conclui o diretor do BB.

Mastercard e Visa

A exemplo da Mastercard, a bandeira Visa também vai participar da 13ª edição do Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP), que acontece amanhã (27) e no dia 28 de março, em São Paulo, promovido pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

A participação da Visa será focada em promover tecnologias – como o Visa Direct, que permite a transferência instantânea de valores (P2P), e que irá revolucionar a forma como pagamentos são feitos entre pessoas e empresas.