Publicado em

São Paulo - A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo ficou em 9,8% em janeiro, praticamente estável em relação à registrada em dezembro (9,9%) e também aos 9,6% observados em janeiro do ano passado.

Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pela Fundação Seade em conjunto com o Dieese, e refletem não um cenário favorável para o mercado de trabalho, mas sim a redução da População Economicamente Ativa (PEA). Em janeiro, 45 mil pessoas saíram da PEA, o equivalente a uma redução de 0,4% na força de trabalho da região. "A expectativa é que o percentual continue reduzindo durante este semestre", disse o coordenador da pesquisa e técnico da Fundação Seade, Alexandre Loloian.

Na comparação anual, a variação da taxa de desemprego representou mais 15 mil pessoas sem atividade remunerada, totalizando 1,058 milhão de desempregados.

Segundo a PED, 1,665 milhão de moradores da Região Metropolitana de São Paulo tinham uma atividade remunerada em janeiro.

Na comparação com o mesmo mês de 2014, o nível de ocupação registrou variações expressivas em alguns segmentos. No de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, por exemplo, houve recuo de 5,8%. Isso representou uma redução de 102 mil empregados.

A construção teve a segunda maior queda no nível de ocupação, de 65 mil trabalhadores, o mesmo que um decréscimo de 8,7% na comparação entre janeiro e o primeiro mês de 2014. Assim, os canteiros de obras encerraram o período com 681 mil funcionários.

O setor industrial dispensou 24 mil trabalhadores no mês. Na comparação com janeiro de 2014, houve recuo de 1,4%. O segmento totaliza 1,635 milhão de operários.

Na contramão desse movimento, o setor de serviços ampliou seu efetivo em 99 mil empregados, para 5,646 milhões de trabalhadores. O acréscimo, na comparação anual, foi de 1,8%.

Segundo a PED, o total de assalariados em janeiro atingiu 6,989 milhões, uma alta de 0,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

O setor privado representava 6,220 milhões de trabalhadores, acréscimo de 0,1%. Desse total, 5,363 milhões eram registrados e 857 mil atuavam no mercado informal.

A pesquisa revelou ainda que a Região Metropolitana de São Paulo tinha 1,470 milhão de autônomos, alta de 0,8%, e 613 mil empregados domésticos, queda de 6,8% ante janeiro do ano passado.

Variação mensal

Em relação a dezembro do ano passado, o nível de ocupação da construção caiu 7%, e do comércio, 1,4%. Por outro lado, o setor de serviços ampliou o efetivo em 0,6%, e a indústria de transformação, em 1,5%.