Publicado em

O secretário da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou que o segundo contingenciamento no Orçamento federal deverá ficar bem abaixo do primeiro, que foi de cerca de R$ 30 bilhões. "O valor do contingenciamento é diretamente associado à revisão paramétrica da taxa de crescimento do PIB. As receitas respondem ao crescimento do PIB, se vem para baixo as receitas também caem", afirmou ele a jornalistas durante audiência da Comissão Mista de Orçamento (CMO), nesta tarde de terça-feira, 14.

O contingenciamento será feito, de acordo com o secretário, de maneira precavida, com transparência e conservadorismo. "Os valores serão abaixo da magnitude de contingenciamento anunciado em março. Bem abaixo", acrescentou, sem dar um número exato.

Segundo o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou, a equipe econômica trabalha hoje com um corte de pouco mais de R$ 5 bilhões, mas o número ainda não está fechado e o governo busca alternativas de receitas e despesas antes de definir o contingenciamento.

Sobre a revisão da projeção para o Produto Interno Bruto, que será oficialmente divulgada no dia 22 de maio, ele informou que o governo conversa com os agentes de mercado que fazem as previsões e as parametrizações "são muito próximas". "O que nós temos efetivamente é a revisão do PIB que será anunciada e que aponta para número abaixo de 2%", explicou Rodrigues Júnior.

O secretário disse ainda que o governo estuda medidas para reduzir o gasto tributário ainda neste ano, mas que poucas coisas podem ser feitas por decreto. "Depende do Congresso Nacional", afirmou.