Publicado em

Financiar um imóvel nada mais é que pegar dinheiro emprestado de uma instituição financeira, visando a compra de um imóvel. Como o pagamento a vista nem sempre é possível, a maneira mais comum de se comprar um imóvel é através do pagamento da entrada ao vendedor e seu complemento com um financiamento, seguido do pagamento de parcelas ao banco que disponibilizou o empréstimo do valor restante. Como o Financiamento é um crédito, em geral, grande e de longo prazo (até 30 anos), é importante entender no detalhe cada pedaço que compõe uma prestação.
Uma parcela de Financiamento imobiliário tem geralmente a seguinte aparência: Parcela = Amortização + Juros + Seguro de Morte e Invalidez Permanente + Seguro de Danos Físicos ao Imóvel + Taxas Administrativas.

  • Amortização – A amortização é a devolução do dinheiro que foi pego emprestado junto ao banco. A soma de toda a amortização é igual ao valor que foi pego emprestado inicialmente.
  • Juros – O juros é o valor cobrado pela instituição financeira pelo empréstimo, sempre calculado sobre saldo entre o valor que foi emprestado e a somatória de todas as amortizações já realizadas.
  • Seguro de Morte e Invalidez Permanente (MIP)– Este seguro é obrigatório e serve como garantia para instituição financeira credora do recebimento dos valores devidos em caso de Morte ou Invalidez Permanente do comprador. O valor pago é calculado sobre o saldo devedor e varia de acordo com a idade do comprador.
  • Seguro de Danos Físicos ao Imóvel (DFI)– Seguro contra eventuais desastres que podem vir a destruir o valor do bem garantidor do empréstimo. Ele é calculado como um percentual do valor de avaliação do imóvel.
  • Taxa administrativa – É uma taxa cobrada pela instituição financeira pelos custos incorridos na operação de financiamento imobiliário.

Tipos de Financiamento

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

  • Desenvolvido pelo Governo Federal, garantido pelos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).
  • O valor do imóvel é de até R$ 950 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, DF e Minas Gerais,  e de até R$ 800 mil em outros estados;
  • Para utilização do FGTS o cliente precisa se enquadrar nas regras do conselho curador;
  • Rege a maioria dos financiamentos imobiliários do país.

Sistema Financeiro de (SFI)

  • Para imóveis acima de R$ 950 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, DF e Minas Gerais, e acima de R$ 800 mil para os demais estados;
  • O Cliente não pode utilizar o FGTS;


Carta de Crédito FGTS

  • É a linha de crédito da Caixa Econômica Federal que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.
  • O montante recolhido por todos os brasileiros forma uma grande conta e é dela que sai o dinheiro emprestado pela CEF.
  • O que determina se o comprador do imóvel vai conseguir esse tipo de financiamento é a renda familiar e o valor que está sendo pedido.
  • Possui requisitos, prazos e especificações do imóvel que podem ser consultadas no nosso site!


Programa Pró-cotista

  • Somente operam nesta modalidade CEF e Banco do Brasil;
  • O programa, que possui taxas muito vantajosas, é específico para trabalhadores titulares de contas vinculadas do FGTS e o comprador precisa ter contribuído ao menos 36 meses e cumprir com as regras de enquadramento do programa;
  • O imóvel também precisa se enquadrar nas regras do programa e não pode passar de R$ 950 mil;

Financiamento – Passo a Passo

1 – Início do processo:

  • Cliente simula contratação de crédito
  • Instituição Financeira formula propostas personalizadas

2 –  Escolha do Banco

  • Cliente entende as opções e escolhe a melhor proposta para seu perfil
  • Melhortaxa encaminha a lista de documentos necessários para a operação

3 – Análise do Perfil bancário do Cliente

  • Instituição Financeira declara se o cliente está apto ou não a seguir o processo de obtenção de crédito, após analisar a documentação

4 – Análise do Imóvel

  • Instituição Financeira solicita documentação do imóvel, vendedor e FGTS, caso o fundo seja utilizado do processo

5 – Análise Jurídica

  • Se a análise do imóvel e vendedor forem favoráveis, o processo tem continuidade e o banco elabora a minutado contrato

6 – Assinatura do Contrato

  • Dependendo da instituição, há necessidade de reunião para assinatura do contrato com o Cliente, após emissão do acordo de financiamento.

7- Registo em Cartório

  • Cliente leva o contrato assinado para registro em Cartório, assim o banco pode direcionar o capital ao responsável.

8 – Financiamento Concluído

FAÇA AGORA A SIMULAÇÃO DO SEU CRÉDITO IMOBILIARIO!