Publicado em

Historicamente, o serviço de movimentar dinheiro através das fronteiras era encarado como caro, lento e confuso. Por isso, assim como em outros mecanismos de meios de pagamento, o surgimento de fintechs têm contribuído para aprimorar o segmento e disputar mercado com bancos tradicionais. E essa disruptura movimenta relevantes cifras.

Conforme levantamento realizado pela TransferWise, empresa de tecnologia global que atua na movimentação de dinheiro ao redor do mundo, mostra que usar bancos tradicionais para remessas ao exterior, pode ser até três vezes mais caro no Brasil.

“Os cálculos indicam que R$ 200 milhões poderiam ter economizado em 2018 se os brasileiros não tivessem utilizado bancos tradicionais para envio de remessas ao exterior e tivessem adotado apenas os sistemas das fintechs”, comenta Heloísa Sirotá, general manager Brasil TransferWise. A conta leva em consideração dados do Banco Central que indicam que o Brasil enviou mais de US$ 2 bilhões em remessas para o exterior em 2018.

Desde que a empresa chegou ao Brasil, em abril de 2016, a TransferWise viu o país se tornar um dos nossos cinco maiores mercados sem nenhum investimento em marketing. “Isso mostra a necessidade que os brasileiros tinham por um serviço mais fácil, barato e transparente para movimentar dinheiro internacionalmente”, avalia Heloísa. “Até hoje, já movimentamos mais de R$ 15 bilhões no Brasil e vemos o volume mensal crescer cada vez mais”, diz a executiva.

Movimentação

O segmento tradicional, contudo, não assiste a esta investida das startups de braços cruzados. O Itaú Unibanco, por exemplo, anunciou no mês passado uma atualização importante no serviço oferecido. Se antes o processo podia levar até dois úteis, a ferramenta agora permite aos seus clientes enviarem valores ao exterior em poucos minutos.

O serviço, indica a instituição financeira, valerá para operações realizadas pelo aplicativo Itaú no celular, entre 9h30 e 16h (horário de Brasília), e para “envio de dinheiro para conta própria fora do país” ou “auxílio financeiro a estudantes e familiares no exterior”. De acordo com a instituição, a atualização visa oferecer mais praticidade aos clientes, tendo em vista que cerca de 80% das transações internacionais do banco de pessoas físicas são para familiares e estudantes ou para contas próprias de outras instituições.

Concorrência

A briga promete ser acirrada. Outro importante player do segmento, o PayPal também anunciou expansão do seu serviço. A introdução do Xoom vai permitir que todas pessoas que queiram apoiar membros da família no exterior, seja para contas médicas, educação, serviços públicos ou outras necessidades financeiras, possam enviar dinheiro para uma conta bancária ou fazer uma transferência monetária rapidamente, por metade do valor cobrado num envio tradicional. O serviço permite enviar até dez mil euros, em uma única transação.