Bolsonaro exigiu que Ludhmila Hajjar não fizesse lockdown

Com saída de Eduardo Pazuello da pasta da Saúde, Jair Bolsonaro conversou com a médica Ludhmila Hajjar para assumir ministério. Detalhes das reuniões entre os dois foram divulgadas, e Bolsonaro teria questionado a profissional sobre opiniões políticas como a do lockdown.

O site Poder360 divulgou detalhes sobre a conversa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a médica Ludhmila Hajjar, cotada para assumir o ministério da Saúde. Segundo apurações, Bolsonaro teria exigido que Ludhmila não fosse a favor do lockdown. Critério seria decisivo para sua nomeação como nova ministra. Além disso, o presidente teve um palavreado pra lá de informal com a médica, dizendo até palavrão.

Acompanhado do filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), e do atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Bolsonaro se reuniu com a cardiologista do Incor e dos hospitais Star, da Rede D’Or, no último domingo e nesta segunda-feira (15/03) no Palácio do Planalto, em Brasília. Entretanto, as conversas não renderam bons frutos, e Ludhmila recusou o convite para assumir o cargo.

Bolsonaro não quer lockdown

Imagem mostra Jair Bolsonaro usando máscara
O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia para sanção dos projetos de lei que ampliam a aquisição de vacinas pelo Governo Federal. (Foto:Marcelo Camargo/Agência Brasil)

De acordo com o Poder360, Bolsonaro questionou Ludhmila Hajjar sobre sua opinião em torno do porte de armas e também da legalização do aborto. Um dos temas importantes para o presidente foi a opinião da médica sobre as restrições de circulação por causa da pandemia da Covid-19. Bolsonaro teria dito à cardiologista: “Você não vai fazer lockdown no Nordeste para me foder e eu depois perder a eleição, né?”.

Não é novidade que Bolsonaro é contra as medidas contra aglomeração, toque de recolher e lockdown. Entretanto, a maioria dos estados brasileiros, como São Paulo e Rio de Janeiro, adotaram tais restrições devido ao aumento dos números de internações, novos casos e mortes em decorrência do novo coronavírus.

Declaradamente contra o discurso negacionista, Ludhmila Hajjar, diferente de Bolsonaro, vê o lockdown e as medidas de distanciamento e isolamento social, importantes para conter a disseminação da Covid-19. Outro tema tocado por Bolsonaro, em que a médica apresentou certa discordância, foi em relação ao uso do medicamento cloroquina, defendido pelo presidente, mas sem evidências científicas.

Após se reunir com o presidente nesta segunda (15/03), a médica concedeu entrevistas aos canais CNN Brasil e  rede Globo. Ela confirmou o convite para assumir a pasta da saúde, mas disse que recusou por motivos “técnicos”.

Pazuello mandado embora

Imagem do ministro Eduardo Pazuello
Eduardo Pazuello (Foto: Agência Brasil)

O general Eduardo Pazuello anunciou o seu desligamento do ministério da Saúde. Até o momento do seu pronunciamento, que aconteceu no fim da tarde desta segunda (15/03), especulava-se que Pazuello teria pedido para sair da função por problemas de saúde. No entanto, isso foi desmentido por ele mesmo, que ressaltou: a decisão foi da equipe de Bolsonaro.

Quem deve assumir o ministério da Saúde?

Segundo o próprio portal Poder360, existem dois nomes na mira de Jair Bolsonaro para assumir a pasta, sendo eles o de; Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. E o segundo o deputado Dr. Luizinho (PP-RJ).

Notícias de política no DCI

Leia também:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes