Publicado em

A Justiça aceitou na segunda-feira, 22, a denúncia do Ministério Público da Bahia e tornou réu o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, suspeito de matar o mestre de capoeira, Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê, de 63 anos.

O juiz Horácio Moraes Pinheiro determinou que Paulo Sérgio responda pelo crime de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima.

Além disso, por ferir o primo da vítima, Germino do Amor Divino Pereira, que tentou defender o capoeirista das agressões, Paulo Sérgio é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado.

O caso está na 1.ª Vara do Tribunal do Júri de Salvador. O magistrado determinou a citação do réu para apresentar a sua defesa. Somente após a instrução com oitiva de todas as testemunhas - tanto de acusação quanto de defesa - e interrogatório do réu, será definido se ele vai ou não a júri popular.

Na madrugada após apuração do primeiro turno das eleições 2018, o barbeiro desferiu facadas contra Moa do Katendê em um bar de Salvador após o capoeirista defender seu voto no candidato do PT ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, e criticar o candidato do PSL à Presidência Jair Bolsonaro.

A reportagem está tentando contato com a defesa de Paulo Sérgio. O espaço está aberto para manifestação.