Publicado em

PT, PSB, PSOL e Rede desfizeram o bloco que haviam formado para a eleição da Mesa da Câmara dos Deputados, mas o movimento, garantem líderes do grupo, é parte de uma estratégia de atuação em plenário e de fortalecimento das siglas da oposição.

Parte do combinado entre as silgas quando se juntaram, a separação agora permitirá que cada um dos partidos tenha seu líder, seu posicionamento e todas as atribuições destinadas a uma bancada. Não terá influência, no entanto, na distribuição das cadeiras nas comissões. "Na verdade formamos o bloco com o objetivo principal de construir uma formação para ocupação de espaços na Casa", disse o líder do PSB, Tadeu Alencar (PE).

"Mas cada partido precisa ganhar seu rosto, sua identidade, sua liderança. Isso sem prejuízo à oposição ao governo Bolsonaro", afirmou o deputado, que alimenta expectativas de atuar na oposição à Bolsonaro ao lado do PDT e do PCdoB . /Reuters