Publicado em

O governo federal traçou o objetivo de atender a sociedade com 79% dos seus serviços de forma digital em até dois anos. Atualmente, a União mantém 2.855 tipos de serviços, tendo em vista que 39% são digitalizados.

A previsão e os números atuais foram revelados hoje pelo secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro. Ele foi um dos participantes do LIDE Next “Smart Cities”, realizado em São Paulo. O evento contou com debates sobre as soluções para as cidades do futuro.

Monteiro destacou que a digitalização é um dos caminhos para o corte de gastos da União. O secretário estimou que se todos os serviços públicos federais fossem digitalizados, a economia aos cofres públicos atingiria até R$ 50 bilhões por ano.

Segundo apontou o representante do Ministério da Economia, o Brasil é listado em 44º no Relatório de governo eletrônico das Nações Unidas. A Dinamarca, líder na lista, apresenta índice de 97% de serviços digitalizados.

Pertencem à lista serviços relacionados ao trabalho, desenvolvimento social e seguridade social, vigilância sanitária, comércio exterior, propriedade intelectual, abertura de empresas, agricultura e pecuária. As áreas segurança, saúde e educação também entram na lista.

Monteiro apontou que o País é o 4º mais conectado do mundo, o que facilita o caminho para a digitalização governamental. Segundo levantamento da Accenture, disse Monteiro, a cada 1% de avanço na transformação digital da União, os indicadores econômicos e sociais também aumentam, não necessariamente na mesma proporção.

Participaram também do LIDE o secretário de municipal de Inovação e Tecnologia de São Paulo, Daniel Annenberg, e o presidente do Instituto Smart City Business, Leopoldo de Albuquerque.