Publicado em

(Reuters) - Ações de empresas chinesas listadas nos Estados Unidos subiam nesta segunda-feira, revertendo a queda acentuada da sessão anterior, em meio a notícias de que o governo do presidente norte-americano, Donald Trump, estava pensando em deslistar ações de empresas do país asiático de bolsas nos EUA.

As ações do Alibaba e da JD.Com subiam cerca de 2%, após terem caído mais de 5%, na esteria de notícias de que os possíveis movimentos visavam limitar o fluxo de capital norte-americanos para empresas chinesas.

A China alertou nesta segunda-feira sobre a instabilidade nos mercados internacionais após qualquer "dissociação" da China e dos EUA, e reconheceu a resposta do Departamento do Tesouro dos EUA, que disse que não havia planos imediatos para bloquear as listagens chinesas "neste momento".

Ajudando ainda mais o sentimento, o assessor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, negou as afirmativas das notícias e as classificou como "fake news".

"Essa história, que apareceu na Bloomberg, eu a li com muito mais cuidado do que foi escrita. Mais da metade foi altamente imprecisa ou simplesmente falsa", disse Navarro à CNBC.

(Por Shreyashi Sanyal)